26 de janeiro de 2014

Give Me Love com Liam - Do you Remember? – Capitulo 2




Narradora On:




É estranho e louco como fatos podem realmente mudar uma pessoa de uma maneira que chega a ser difícil de explicar, Seunome não apenas tinha perdido sua mente e sua vontade de viver como também tinha perdido sua vontade de tocar, sim, aquela enorme sensação confortante que só acontecia quando ela tocava, ela havia perdido essa essência também. E hoje no dia do seu aniversário, no dia que ela e sua mãe haviam planejado de passar no shopping fazendo compras, jogando Boliche e comer até a morte como todo o ano, claro, só depois de acorda-la as 6 da manha com toda aquela barulheira que diferenciava o dia da garota, então, quais seriam o planos de Seunome para esse dia? Provavelmente andar... como fazia todos os dias para mais uma vez tentar afastar o sentimento de culpa que nela habitava.
Porém, o que a garota não esperava é que depois de seu sonho, ou melhor, pesadelo era continuaria dormindo, o que não era comum pois ela sempre acordava assustada e não voltava mais a dormir, se levantava e seguia em seu caminho sem destino. Mas hoje não, talvez porque era o dia do seu aniversário ou talvez porque seu corpo decidiu pegar as horas de sono não dormido, de volta. Mesmo se Seunome tivesse acordado cedo do quarto ela não iria sair, pois seu irmão Noah havia dormido na porta dele. 
Então assim quando deu 6:00 horas da manhã já estavam Grace, Sandy e Noah com panelas e cornetas dando o maior susto na garota que dormia como nunca antes.


Seunome On: 





Eu acordei assustada mas dessa vez não foi por causa do sonho e sim porque Noah, Grace e Sandy estavam fazendo o maior Paranauê no meu quarto. Primeiro foi um barulho que não parava mais, depois começou um batuque com parabéns que parecia ter sido ensaiado pois até sambar Noah sambou, assim arrancando alguns quilos de risos meus, porque o tipo dele não parecia do qual dançava, imagine um cara de 1.90 de altura com músculos que te tacariam longe, sambando?! É definitivamente foi bem engraçado, Grace e Sandy caíram no chão de rir. Meu irmão sempre conseguia o que queira e naquele segundo enquanto eu ria que nem uma condenada, ele me olhava com uma cara de satisfação pois até esse momento eu não sorria, era apenas frieza e sofrimento, e por um tempo ele conseguiu inverter essa situação, até minha tia que acordou desesperada por conta daquela barulheira se contorcia de rir por cima de um edredom na porta do meu quarto que até o momento eu ainda não sabia o que estava fazendo ali.

- Yeeeeah!!! - Grace, Sandy e Noah batiam as mãos em comemoração ao feito.



- Noah, você é muito idiota! - Disse minha tia Glória ainda rindo.

- Vocês não existem! - foi apenas o que consegui dizer antes que eles se jogassem em cima de mim na cama gritando muito.

Assim que eles decidiram sair de cima de mim antes que eu morresse sufocada por 3 idiotas e então Enzo entra todo fofo com seu pijaminha de ursinho e uma cesta enorme com frutas, chocolates e tudo em que eu mais amava, meus Deuses me esqueci de mencionar, Enzo era meu primo de 2 anos filho da minha tia Glória, que era lindo demais e eu amava brincar com ele mesmo eu tendo 17 anos ele me fazia voltar a ter 4 com suas brincadeiras, travessuras e risadas gostosas.
Assim que eu vi ele, fui correndo até aquele coisinha pequena e meiga.

- Parabéns Prima Seunome! - ele disse da maneira mais fofa possível.

- Wooooon, muito obrigada En! - era assim que eu o chamava. 

- Muito dinada! - disse e sorriu, ele sempre falava assim e isso era puramente adorável.

- O que este edredom faz na porta do meu quarto? – perguntei me referindo ao resto deles.

- Só quis me certificar de que você não iria sair desse quarto. – disse Noah olhando meus cd’s. Ele sempre fazia isso, era uma das coisas que mais nos juntava, musica. A musica era o nosso maior tesouro, que tínhamos herdado de nossos pais. E depois de comermos um bolo bem convidativo a engordar que minha tia havia preparado, Grace e Sandy foram para suas casas porque afinal era Domingo e suas famílias sempre se reúnem para beber, digamos assim. Conversei um pouco com a minha tia falei que tinha começado a escrever como o psicólogo havia sugerido, e ela ficou feliz por isso. Então Noah chegou e me abraçou por traz 

- Queria te levar a um lugar agora, Topa? – disse com um sorriso de quem planejou alguma coisa.

- Ok mas, o que você ta planejando Sr. Harrison?! – perguntei ligeiramente desconfiada.

- Relaxa maninha! Tenho certeza de que vai ser bom pra você. – percebi que seus olhos brilhavam de uma maneira esperançosa quando ele disse isso. 

Fui me trocar porque afinal eu ainda estava com o meu pijama de cerejas, e depois fui ao encontro de Noah que já estava me esperando há um tempo, entrei no seu carro mas ele não entrou logo em seguida e então percebi que ele ainda me esperava no portão.

- Não vamos de carro? – perguntei

- Hoje, não. – apenas respondeu.

- Okay, então... – disse saindo do carro.

Fomos em direção ao ponto de ônibus, eu estava completamente curiosa para o que esse meu irmão tava aprontando e quase toda hora eu o olhava tentando descobrir pelo seu olhar pra onde a gente ia, nós conversamos sobre muitas coisas no caminho exeto pra onde a gente estava indo o que pra mim tava sendo péssimo enquanto Noah tava se divertindo com a minha cara de curiosidade, pegamos metrô e depois outro onibus, fiquei imaginando pra onde é que ele estava me levando e porque era tão longe, fomos pro outro lado da cidade até chegarmos numa galeria, uma que até me parecia um lugar que não via desde pequena, mas isso era impossível, pois meu pai havia vendido esse lugar. 

- Chegamos – disse olhando com orgulho para a galeria que havia na nossa frente e que me fazia lembrar um lugar mas não exatamente, muito menos de sua localização.

- Onde estamos? - questionei confusa.

-Você realmente não se lembra? – disse ele ainda com aquele tom de mistério e com um pingo de decepção.

- Mais ou menos, só que isso é impossível! – disse olhando para o lugar e o imaginando de uma maneira diferente. 

Então Noah abriu a porta com uma das chaves que estavam no seu bolço, e assim que entrei lembrei aonde nós estávamos, aquele cheiro eu conhecia Sim, era o Estúdio de música que nossos pais tinham.

- Não acredito!! – disse surpresa, aposto que naquele momento meus olhos brilhavam, eu estava impressionada em como ainda estava tudo ali, desde a mesa onde nossa mãe ficava pra atender as pessoas até o relógio cuco do lado esquerdo da sala.


- É, faz tempo não?! – disse Noah com as mãos nos bolsos.

- Achei que papai havia vendido este lugar! - Eu já estava olhando e tocando as coisas, as olhando com cuidado como se estivesse em um museu histórico, aquele cheio de madeira me fascinava. Parecia que nada havia mudado, até o mesmo tapete de anos atras onde eu derrubara tinta azul estava lá, parecia que eu havia voltado no tempo ou como se ele não houvesse passado naquele lugar. 

- Ele jamais faria isso, esse lugar sempre foi muito especial pra ele. Então quando eles tinham que comprar uma casa maior, pois não tinha como passar mais tempo naquele apartamento em que vivíamos, ele pensou em vender esse lugar mas de ultima hora desistiu, e além de pedir um empréstimo no banco, trabalhou em dobro pra que nada faltasse em nossa casa e que esse lugar permanecesse intacto. Mamãe achava que ele tinha se desfeito desse lugar também, mas não, ele sempre guardou esse segredo e apenas me contou e pediu que tomasse conta desse lugar pelo celular quando me ligou momentos antes de... – ele parou ai. Eu sabia o que ele ia dizer, e era incrível como um cara feito ele, durão e grandalhão não conseguir falar uma simples palavra, tão pequena, era como se essa palavra fosse a que mais o afetava.

- Não tinha dito que havia falado com ele depois de tudo... – disse o encarando, e consegui ver em seus olhos o sofrimento, o sofrimento de o ter escutado pelo telefone pela ultima vez. 

- É, não tive coragem. Mas depois que vi esse lugar de novo, senti o quanto ele tomou conta daqui e de ter mantido segredo por todos esses anos, para depois ter confiado a mim, foi realmente incrível saber que este lugar continua do mesmo jeito que era antes. 

- É como se nada tivesse mudado, como se ainda fossemos crianças correndo por esses corredores e salas, é como se... Eles ainda estivessem aqui. – disse remexendo em todos aqueles LPs em que eu adorava bagunçar e com isso deixar a minha mãe louca tendo que organizar tudo de volta, e ao lembrar isso um sorriso me domou.





Aquele era um lugar bem do Rock, antes de meu pai se tornar médico, ele dava aulas de Violão, Guitarra, Baixo, e aquele lugar meio que era uma escola de música e galeria porque minha mãe vendia artigos relacionados a música além de outras coisas também.
Estar ali foi muito estranho e ao mesmo tempo a melhor sensação do mundo. 

- Mas, por que me trouxe aqui? – perguntei. 

- Não sei direito, achei que te faria bem, assim como fez a mim. Mas também foi por isso... – disse me puxando pelo braço em direção a uma das salas.

Ali, acho que era o único lugar onde meu pai havia mexido. Lá havia varias fotos coladas em uma parede, fotos de momentos nossos juntos, de todos nós.
Ver aquilo foi realmente o que mais mexeu comigo, lembro de meu pai tirando as fotos e as mandando revelar mas também lembro de nem eu nem mamãe achar elas pela casa na volta das viagem. Havia fotos de todos nós, juntos em quase todos os lugares e quase todos os momentos que vivemos.
Ficamos ali por um tempo olhando aquelas fotos e relembrando o passado, chegamos até a colocar um dos LPs favoritos do papai pra tocar e começamos a dançar assim como nossos pais dançavam quando éramos criança. Nossos pais não eram velhos, mas eram bem ligados a coisas antigas dos tempos de seus pais, a herança não era apenas uma coisa material era uma coisa que vinha de dentro de nós e que viveria pra sempre ali conosco.
Logo depois, quando percebemos que já estávamos ali há tempo demais, voltamos para casa de tia Glória que estava nos esperando para jantar, junto a Enzo que não desgrudava da mãe, chegamos, jantamos e ficamos um pouco assistindo tv com nossa tia enquanto En estava em algum lugar no quintal brincando com a carola, carola era uma tartaruga de estimação que minha tia tinha desde quando eu era pequena, adorava aquele bicho, e me irritava com ela também porque não fazia barulho nenhum e era completamente lerda, e como eu nem era ligada no 220 quando era criança, uma vez a amarrei num barbante e a arrastei por cada canto da casa de minha tia, e lá estava eu de novo sorrindo, mais porque estava sorrindo? Esse não era exatamente um momento bom para se sorrir, e assim ao mesmo tempo também me fazia a pergunta será que nunca mais eu vou conseguir sorrir de novo sem ter culpa? Será que essa culpa vai me acompanhar pro resto da vida? É, acho que sim além do mais eu mereço isso, mereço que todo o sofrimento ande lado a lado comigo. Meus pensamentos foram interrompidos pela voz de En me chamando, fui até ele do lado de fora da casa, ele estava com um sorriso grande e sapeca no rosto e estava eufórico querendo me mostrar alguma coisa, talvez uma minhoca como sempre fazia quando achava uma em meio as tulipas da tia Glória, mas desta vez não, dessa vez ele havia me arrastado para que eu olhasse para um balde com água e sabão? Hãn? Como assim? 

- Olha! Olha! – dizia ele.

- O que En? – mas foi só eu olhar melhor para perceber que tinha algo mais além de sabão no balde, carola estava lá. Na mesma hora a tirei tentando ver se tinha algo errado com a tartaruga.



Não pude deixar de rir, coitada da carola, ela era da família, mas não podia brigar com Enzo, primeiro porque ele era pequeno demais e segundo que aquela carinha gostosa e sapeca ria comigo, e era quase impossível dar uma bronca nele.

- En, não pode colocar a tartaruga no balde, ela fica dodói! – disse digamos na “língua dele” pois sabia que ele não ia entender de outra maneira. Ele respondeu um simples “Taboum prima” e voltou lá pra dentro me chamando pela mão logo que chegou na porta, eu o olhava e pensava o quanto sentiria falta daquela coisinha fofa, e pelo primeiro minuto do dia parei e lembrei que seria amanha o dia que iria pra Inglaterra e em como seria difícil dizer adeus a todos ali. 


Continua...





Olaaaa! \0/
Gente adorei os comments de todas vcs, falando de suas vidas e se gustavam ou não de jujubas hahahaha
Enfim como todas vcs se apresentaram no outro post e eu costumo ser do contra vou me apresentar nesse! djsifdhisufvd (eu sei que já me apresentei 27347374 vezes, mais vou fazer isso de novo! u.u)
Para as (os) leitores novos se apresentem na hora que quiser! Podem ter certeza que eu vou tar adorando conhecer todos vcs! ;33

Meu nome é Débora Ferreira (Jure?) tenho 15 aninhos sou de SP capital >amo< chocolate, jujubas, lasanha, pizza e os lanches do SUBWAY! (pessoas me manipulam com isso... :c)  sou meio lesa tbm ta? Ah, sou só Directioner, mais isso nao quer dizer que não curta as musicas de outros cantores, eu sou completamente apaixonada pelo Ed Sheeran, Imagine Dragons, Bon Jovi,Mc Fly, Nickelback, Charlie Brown, CPM ... <3

Enfim, espero que tenham curtido o capitulo!
Lisamo <3

20 coments e eu continuo... ;33

Malikisses
Liam's Girl s2

18 comentários:

  1. Heey Débs, \O/ capitulo perfeitoo, cmo sempre né, cada dia q passa eu percebo mais q vc tem o dom p isso, continuaa tá maravilhosooo! Liamo também <3
    Zayn's Girl ( ~Gabi )

    ResponderExcluir
  2. LOL que fofo, coitada da tartaruga kkkta parei "-" bem ta muito bom continua pf

    ResponderExcluir
  3. Hey que capítulo perfeito amei, uma pergunta o que aconteceu com o "amor da vida" do Lee?? Te amo bjss

    ResponderExcluir
  4. Ameii o capítulo ;)) eu esqueci de dizer que eu também sou apaixonada por Subway hahahah como tu gosta do teu sanduíche? :P
    Isa

    ResponderExcluir
  5. realmente ta super,mega,últra,puxa,master incrível mesmo!!!continua logo pf msmo

    ResponderExcluir
  6. Q perfeittoo continuaaa

    ResponderExcluir
  7. Gatita, eu simplesmente AMEI o capítulo. Você não sabe com eu estou anciosa para mais, muito mais! Não me apresentei no outro porque a leza aqui demorou de ler! Meu nome é Isabelle mais me chame de Isa ou de Bell tenho lindos 12 aninhos. Sou Directioner e VampireManiac! Mais amo musica, gosto de vários outros artistas mais não vou citar porque estou com uma enorme preguiça. Ah, e eu amoo jujuba! Então gatinha, esse é um pouquinho de mim. Mais, não é nada muito significante! Continua logo! O En me encantou <3 eu preciso saber do Lee. Então POR FAVOR, continua logo!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  8. Eu to adorando essa fic..... bem não me apresentei ainda mas.... sou joice amanda, tenho 15 , amo livros filmes e seriados, amooo Nutella e lanches do Bob's ..... gosto de várias outras bandas além do 1D como: Paramore, OneRepublic, Fall out Boy, Avicii, David Guetta, Pink .... enfim várias outras .. tenho o estilo bem variado..... e espero q poste logo viuuu ♡♥♥♥

    ResponderExcluir
  9. Eu vou me apresentar : Me chamo Leticia Mendes tenho 13 aninhos sou muitoooo pevertida entam quando postar um capitulo hot avisa antes ta kkk eu amoooo chocolate pizza lazanha bala chiclete nao gosto de verduras nenhuma meu preferido e o zayn e eu costumo xamar ele de meu moleno mas isso nao quer dizer que ele seja so meu haha eu curto outros artistas como Ariana Grande Austin Mahone Little Mix The Wanted ( tenho uma queda enorme pelo Nathan que eu nao sei explicar mas ele e tao cute que da vontade de agarrar ) e mais um monte e eu falo de mais neeh entam xauuuu e a fic ta perfeita linda!!!!

    ResponderExcluir
  10. Você escreve muio bem sua linda! Deb você não tem noção de como eu preciso de mais um capitulo! a perfeito,continua logo. Beijos de uma amante de jujuba,paçocas e Give me Love!

    ResponderExcluir
  11. Aiin Aameei sua fic. Continua logoo please ;)

    ResponderExcluir
  12. Ameii , mds vc gosta de nickelback, imagine dragons, charlei Bronw e o Ed virou minha best :3 rsrsrs....

    ResponderExcluir

Não saia sem comentar. Dê sua opinião!!! Malikisses *-*