2 de fevereiro de 2015

Longfic - When you Love - Cap 6 (final)

(Com Louis)



Ps: [Capítulo escrito por Jull Tomlinson]
[...]

  As férias já estavam no fim, e infelizmente daqui a três dias teria que me despedir de Louis, que bom que o mesmo sabia do meu retorno para casa, pois tinha explicado a ele antes de ontem, quando fomos a sorveteira, confesso que na hora ele ficou meio abalado mas superou. Fui tirada de meus devaneios quando senti um par de braços em torno de minha cintura.

- Estava com saudades de você! – Louis foi mais rápido do que eu e depositou um beijo em minha boca, nossa, aquele sim era um, quer dizer, um não O melhor beijo da face da terra.

- Eu também. Mas então, tudo bem?

- Sim, melhor agora com você. Ah, Louis, será que você poderia me ensinar a surfar? – Louis olhou com uma expressão de preocupação – Por favor, eu juro juradinho que não vou me machucar. Por favor!!!

- Ok, mas quero uma coisa em troca – Ele me abraçou pelo pescoço e aproximou sua boca em meu ouvido e sussurrou – Quero um beijo, mas não um qualquer, quero um beijo de cinema.

Gargalhei e prossegui:

- Ah meu Deus, porquê não falou antes? Já teria feito isso a muito tempo!

Pus minhas mãos em seus rosto e dei um beijo nele. Sua boca era tão doce, seu beijo me levava nas nuvens, sua pele tão macia. Jamais me cansaria de ficar falando do Louis, de como ele me deixava feliz, de como ele me completava. Paramos o beijo por falta de ar e nos entreolhamos e voltamos a nos beijar; tínhamos uma conexão que nada quebrava ela e ela ficava mas forte a cada segundo. Assim que terminamos o nosso momento “awn” resolvemos ir para a praia.

Descemos e encontramos vovô assistindo ao noticiário e tomando uma xícara de café, desejamos bom dia a ele e fomos para a praia.

...

O dia foi agradável, aprendi um pouco de surfe, até que me sai bem, mas teve uma hora em que se não fosse o Louis teria me afogado, é que eu cismei (diz ele) que queria ficar sozinha na prancha, mas chegou na hora e a onda estava muito forte e levei um caldo bem forte. Louis riu da minha situação e depois me ajudou, mas continuou rindo, brigamos, rimos, nos beijamos, resumindo, meu dia foi um dos melhores. Assim que cheguei em casa fui direto para o banho, porque não consigo ficar com areia grudando na minha pele, incomoda muito. Quando entrei debaixo do chuveiro com água quente fiquei pensando em tudo que aconteceu desde que cheguei na Califórnia até aqui, e por incrível que pareça também pensei em Ray, a forma de como ele dizia:

“- Isso não vai ficar assim ( Seu Nome ), você sabe que não.”

Me assustou um pouco, mas o Ray é passado, o presente é que importa, ou seja, Louis. Saí do meu banho e me sequei, lembrando de que tinha que comprar a passagem de volta para Londres, nisso ouço meu celular tocar.

- Alô?

- Oi filha! É sua mãe.

- Ah, oi mãe, tudo bem? Estou morrendo de saudades.

- Eu também, olha, sábado você precisa estar de volta, porque só resta uma semana para o fim das férias, e você vai usá-la para descansar – Minha mãe dizia numa empolgação que só Deus, mas sabe, fico feliz por ela.

- Eu sei, vou comprar hoje ou amanha mesmo, mas não se preocupe.

- Então filha... como está sendo passar as férias com seu avô?

- Maravilhosa mãe. Aprendi a surfar, conheci pessoas novas, fiz amizades, tudo de bom - estava num entusiasmo só, mas tive que contar sobre o Ray -Mãe, o Ray esteve aqui, ele disse que queria reatar o namoro só que eu não aceitei.

- Ah filha, você gostava tanto dele e eu também. Sinto muito, mesmo - minha mãe parecia estar um pouco triste, mas precisava dizer que o Ray não era quem ela sempre achava, educado, carinho e etc..

- Mãe, pare com isso, Ray não é quem você pensa, muito pelo contrário, ele é um idiota.

- Por que?

- Porque sim mãe. Não quero mas falar sobre isso – disse um pouco rude – enfim, como foi seus dias com o Bill?

- Ok, foi maravilhoso filha, foi tão perfeito. Amei, ele sim é o homem dos meus sonhos hihihi.

Essa risadinha da minha mãe diz que a coisa foi boa mesmo, enfim, ficamos conversando por horas até ouvir umas batidinhas na porta, despedi de minha mãe e abri a porta e era vovô.

- Oi minha querida! Quer assistir um filme comigo?

Assenti e fui para a sala com ele, quando cheguei lá estava passando Bob Esponja, era um de meus desenhos preferidos quando eu era criança. Ficamos assistindo e comendo pipoca, quando terminou o filme, vi que meu avô estava dormindo, fui para seu quarto peguei um cobertor e pus sobre ele e fui dormir. Acordei com meu celular tocando com aquele toque idiota.

- “Quié”

- Porque que você não me falou que tem um quase namorado? – era minha mãe no celular e estava com um tom reprovador.

- Por que ainda não é meu namorado mãe. E por que está me ligando a essa hora da manhã?

- Por que sim, ah, agora fale um pouco sobre ele, nome, idade, TUDO.

- Bom, o nome dele é Louis Tomlinson, um ano mais velho que eu, mora na Califórnia - disse impaciente – E você quer o RG dele também?

Louis P.O.Vs

Não consegui dormir direito essa noite pensando em como pedir a (Seu Nome) em namoro, pensei em tudo, mas queria uma coisa especial, uma coisa única, ah, já sei, poderia falar com o Paul e pedir umas dicas. Fui direto para casa dele, quando cheguei ele havia dito que (Seu Nome) foi ao shopping, momento perfeito para termos uma conversinha.

- Paul, estou pensando em pedir sua neta em namoro, você apoiaria? – perguntei com receio dele negar, mas foi muito pelo contrario.

- Claro que sim meu querido, você é uma pessoa que confio muito, mas só uma coisa. Não magoe minha neta, senão eu não vou querer ver você pintado nem de ouro.

    Ele me deu um abraço e depois fui em direção ao shopping em encontro com ( Seu Nome ), chegando lá fui direto para a praça de alimentação e liguei para ela, mas só chamava e caia na caixa postal, já havia tentado 8 vezes e nada, estava começando a ficar preocupado, então resolvi ligar para Paul para ver se ela estava com ele, mas ele disse que não.Ai sim comecei a ficar preocupado.

Ray P.O.Vs

     Era hoje que meu plano entraria em ação, já que a (Seu Nome) não queria reatar comigo por bem, dessa vez seria por mal. Contratei um homem para segui-la para onde ela fosse, e hoje é o dia perfeito, onde ela estará sem aquele tal de Louis. Assim que Foster me disse que ela estaria no shopping fui direto para o mesmo.

- Senhor Ray, (Seu Nome) está indo em direção ao estacionamento. Ala P2, segundo andar. – Foster me deu informações, e agora sim, entraria em ação.

Fui para a ala P2 e encontrei Foster dentro do carro, fingindo ser uma pessoa qualquer, e logo depois vi (Seu Nome) carregando bolsas, fui em direção a ela e parei atrás dela.

- A senhorita aceita ajuda?

Quando ela me viu, senti que estava com medo, mas logo respondeu.

- Vá embora Ray, deixe-me em paz, se eu quisesse ajuda já teria pedido.

- Então, vou fazer uma outra pergunta. Lembra de que disse que não ficaria assim? Você com o Louis?

- Não, você só pode estar doido.- fez-se de desentendida – Agora me deixe ir embora.

- Só se for comigo lindinha.

     Peguei o pano com sonífero e pus contra seu rosto, a mesma ficou se debatendo até fazer efeito. Assim que ela adormeceu, peguei-a no colo e levei para o carro. Fui para uma casa abandonado no subúrbio da Califórnia, assim que cheguei no imóvel empoeirado e sujo, pus (Seu Nome) deitada num sofá que tinha perto de uma mesa suja e amarrei seus pés e suas mãos.

Seu Nome P.O.Vs

Acordei tossindo muito, e pior ainda, amarrada e num lugar que nunca tinha visto na minha vida. Dei de cara com um homem, mais precisamente, um armário.

- O que estou fazendo aqui? Por um acaso você me sequestrou?

- Cale a boca sua vadia, só estou fazendo meu trabalho.

Nisso que o brutamonte respondeu, aparece Ray com uma faca na mão (passando manteiga no pão) andando em minha direção.

- Ora, ora, ora. Acordou a Bela Adormecida.

- Ray, pelo amor de Deus, o que eu faço aqui?- Estava tão assustada que tremia da cabeça aos pés.

- Pensei que se lembrava de que você ficaria comigo e não com o seu “amiguinho colorido”. Sua idiota – ele me deu um tapa no rosto que só se ouvia o estalo – Me trocou por um surfistinha de nada.

   Comecei a chorar implorando para o mesmo me soltar. Mas em um movimento brusco ele pôs a faca em meu pescoço.

- Cale a boca, sou eu quem falo agora. (Seu Nome), eu te amo tanto, você não faz ideia de como eu fiquei com medo de te perder naquele período em que precisei viajar.

- Mas você me perdeu, Ray – disse chorando, com medo do que ele faria comigo – Me perdeu a partir do momento em que você disse que viajaria para o Brasil.

Ray P.O.Vs

   O que (Seu Nome) havia dito soou como um tapa na cara. Mas eu estava com tanto ódio dela que a puxei pelos cabelos e taquei-a contra o chão.

- Você está errada querida, você está completamente errada. Eu não perdi você e nem você me perdeu. Agora fique aqui, quietinha, pois irei comprar comida para nosso jantar romântico. Senão terei que tomar medidas drásticas em relação a nós.

Seu Nome P.O.Vs


   Ray disse que iria comprar comida para ter um jantar romântico comigo, ele está obcecado por mim. Isso está indo longe demais, preciso sair daqui ou ligar para Louis. Quando Ray saiu o “armário” foi junto então me levantei com dificuldade do chão úmido e sujo, e tentei procurar uma coisa em que pudesse cortar as cordas que me prendiam pelos pés e as mãos. Dei um olhada pela vasta sala e não encontrei nada, foi ai que lembrei que meu celular estava no bolso do meu jeans e liguei para Louis.

- (Seu Nome)! Onde você se meteu? – Louis estava tão preocupado que disparou a falar – Porque não atendeu minhas ligações?

- Louis, não temos tempo. Ray me sequestrou e saiu para comprar comida. Por favor, me salve, mas não ligue para a policia. Preciso desligar, ele chegou. Te amo.

-Mas onde você está? – Louis dizia com a voz já falha por causa do choro que continha.

Fui em direção a primeira janela que vi e enfrente ao imóvel que estava, tinha uma boate de striptease.

-Louis a casa fica perto de uma boate de striptease chamada Lap Dance.

Assim que disse a ele, Ray chegou e viu o celular em minhas mãos e pegou a faca que estava dentro de seu bolso e cortou uma pequena parte de meu pulso.

Louis P.O.Vs


    Precisava fazer alguma coisa, eu não posso perder a (Seu Nome), não ela. Fui para a casa de Paul, chegando lá contei tudo a ele que quase enfartou, depois ligou avisando a mãe de (Seu Nome) sobre o sequestro inesperado da mesma.

   Tentamos descobrir a localização de (Seu Nome) mas nada, foi ai que lembrei que ela havia dito que em frente a casa tinha uma boate. Então Paul já sabia onde ficava.

    Fomos para lá, e acionamos a policia, sabíamos que a (Seu Nome) pediu para não chamar mas tive que fazer isso pela segurança dela. Conversei com um policial que se passaria por uma pessoa qualquer para não chamar atenção, então o Agente Clarence foi na frente para nos guiar até a casa. No caminho só sabia pensar em (Seu Nome), em como ela andava, a forma que falava que me ama, como era doce, meiga, linda, a forma de como me beijava e me fazia feliz. Eu a amava tanto, não poderia perde-la, não agora. Temia do que Ray poderia fazer com ela, então tentei pensar em outra coisa para não ficar nervoso e começar a chorar novamente.

     Então pensei em como a pediria em namoro, já sabia em como pedi-la. Iria pedir no dia em que ela embarcaria, ou seja, no dia em que ela iria embora, no aeroporto. Fui tirado de meus pensamentos quando Paul me cutucou dizendo ter chegado ao local.

Ray P.O.Vs

Quando cheguei (Seu Nome) estava chorando e com o celular na mão, como eu fui burro de não ter revistado-a , então a peguei pelos cabelos e levantei-a, assim que a mesma levantou, peguei minha faca e fiz um pequeno corte no seu pulso.

- Tive que te machucar para acreditar que não estou brincando não é?

      Enquanto fui em direção a cozinha para preparar nosso jantar, (Seu Nome) ficou chorando e pressionando seu pulso, foi quando ouvi um barulho de porta sendo arrombada. Corri para ver o que aconteceu e vi policiais em seguida Louis e Paul, avô da (Seu Nome), peguei a arma que estava perto da faca e puxei (Seu Nome), coloquei ela entre meu corpo e meu braço, pressionando seu pescoço e pondo a arma apontada em sua cabeça e disse para os policiais:

- Larguem a arma agora, senão mato ela.

- NÃO, por favor, solte-a. – Louis entrou na frente dos policiais e vindo em nossa direção.

- Não chegue perto seu surfistinha.

    Louis parou onde estava e pediu para que os policiais largassem as armas e os mesmos obedeceram ao seu pedido. Comecei a falar:

- Eu a amava tanto, mas infelizmente ela me trocou por você, Louis, mas como eu disse, “isso não ficaria assim” e não vai ficar. Ela morrerá comigo, assim como minha mãe morreu ao lado de meu pai. – falei chorando e colocando a cabeça de (Seu Nome) ao lado da minha, logo em seguida apontando a arama para minha cabeça – Assim que eu apertar o gatilho, a bala disparada em minha cabeça passará por ela e depois na cabeça da minha amada (Seu Nome).

Seu Nome P.O.Vs

     Quando Ray disse que íamos morrer eu comecei a chorar, na verdade, fiquei em prantos, quando ouvi o gatilho sendo acionada por Ray, meu coração parou e disse em voz alta que amava todos, principalmente Louis e agradeci o mesmo por tudo. Foi ai que fechei os olhos e deixei que uma única lágrima rolasse pela ultima vez e assim ouvi o disparo e uma mão me segurando.

    Ouvi aquela voz que fazia meu coração sair pela boca dizendo “Você está viva ”,abri os olhos e dei de cara com o corpo de Ray ensanguentado e comecei a chorar novamente, sabe, eu gostava da amizade do Ray, mas só um pouco. Abracei Louis e dei um beijo nele, mas não foi um qualquer beijo, foi o melhor beijo que nós já demos, foi um beijo carinhoso misturado com saudades e afeto.

- Louis, eu te amo tanto, obrigada por me salvar, obrigada por existir, obrigada por tudo!

Demos um outro beijo, só que Louis interrompeu e pôs suas mãos em meu rosto e disse:

- (Seu Nome), eu estava esperando chegar o dia em que você iria embora para te fazer uma simples pergunta que pode mudar nosso futuro.

- Mas...

- Xiu – ele pôs seu dedo indicador em meus lábios – Só ouça. Então, estava esperando chegar o dia de você ir embora para te perguntar se você quer namorar comigo, ser minha confidente, ser minha amiga, minha companheira, minha amante, meu coração, meu tudo.Enfim, você aceita?

    Comecei a chorar, mas chorar de emoção e felicidade. Como alguém poderia ser mais perfeito que Louis Tomlinson? Aceitei na hora e nos beijamos de novo, de novo e de novo.

     Passei a tarde na delegacia para dar depoimento e tudo mais. Assim que cheguei em casa a primeira coisa que fiz foi ligar para minha mãe. Conversamos, desabafamos e tudo mais, ela ficou muito preocupada, pois ela não estava aqui e por causa do sequestro, enfim, conversamos muito. Depois que terminamos fui tomar banho e depois iria comprar minha passagem.

Sábado, 08:30 a.m.

     Ontem ganhei uma festa de despedida, foi tão linda,com pessoas que fiz amizade ao longo em que fiquei aqui, para falar a verdade foi mais uma balada do que uma simples festa de despedida, teve muitos abraços, beijos e com direito a chororô. Estava a caminho do aeroporto e minha cabeça fez uma retrospectiva desde quando cheguei até aqui. Foi as melhores férias a minha vida! E serei eternamente grata por minha mãe que me mandou passar as férias com vovô. Quando sai do carro do vovô, fui direto fazer o check-in enquanto ele comprava um café, assim que terminei ouvi alguém gritando meu nome, me virei de costas e vi Louis correndo em minha direção, larguei minhas malas no chão e fui a seu encontro e nossos corpos se chocaram, parecia que iam se tornar um corpo só. Ouvir Louis chorando é uma das piores coisas do mundo, saber que teria que deixá-lo me dava um aperto no coração.

- Meu amor, já estou sentindo muitas saudades. Como irei viver sem você? Como viverei sem seu beijo? Seu abraço calorosamente perfeito? Me diz como? Por favor – Louis estava aos prantos, e isso já bastava para ficar no mesmo estado que ele – Eu te amo muito, sei que você não pode ficar aqui, por causa dos seus estudos e nem eu posso ir por causa dos meus. Mas saiba que serei eternamente grato a você. Sempre te amarei!

- Ah Louis, não fique assim, eu volto, juro para você! Eu também te amo e sempre te amarei. OBRIGADA, obrigada mesmo, Louis, por tudo!

Estávamos nos beijando quando fomos interrompidos por uma voz dizendo que todos que viajariam pelo voo LondonGolf 199 precisavam se apresar para entrar no avião. Dei um longo beijo no Louis e me despedi do vovô.

- Amo vocês, obrigada por tudo, agora preciso ir.

Com um breve aceno, fui em direção ao avião, chorando, mas indo.

9 meses depois...

Louis P.O.Vs

     Hoje faria nove meses sem a ( Seu Nome ), sentia tanta falta dela. Meu mundo, depois que ela se foi, ficou sem cor, sem vida, sem tudo. Não consegui matar saudades dela por telefone, nem por Skype, nem nada, era horrível viver sem ela. Estava levando da minha cama e indo fazer minha higiene matinal quando ouço umas batidinhas na porta do meu quarto e vejo minha mãe adentrando no quarto e sentando na minha bagunçada cama.

- Bom dia amor, arrume suas malas que iremos para Londres, pois seu pai acabou de conseguir a promoção de trabalho que tanto queria! – mamãe falou numa ansiedade, mas quando ela disse “Iremos para Londres” meu mundo parou.

- Então isso quer dizer que vamos morar em Londres?

- Sim meu filho! Vamos para LONDRESSS!!

    Assim que ela saiu do quarto arrumei minhas malas rapidamente, peguei meu jipe e fui para casa de Paul contar sobre a novidade, chegando lá contei detalhe por detalhe, mas não podia demorar, pois daqui a pouco partiremos.

- Mas meu querido, isso é ótimo, ( Seu Nome ) irá ficar toda boa. Mas você tem o endereço dela?

- Não, então vim aqui também por esse motivo. Enfim, o senhor pode me passar o endereço dela?

    Sem pensar duas vezes Paul pegou uma caneta e um papel de um bloquinho de notas que ficava perto do telefone fixo. Assim que ele terminou de escrever, o mesmo me desejou boa viagem e entregou o papelzinho com o endereço. Minha mãe já sabia sobre ( Seu Nome ) já até se conheceram, nesse dia elas foram ao shopping e passaram a “tarde das mulheres”. Minha mãe adorou ( Seu Nome ) isso foi um alivio para mim quanto para ( Seu Nome ).

Chegando em casa minha mãe estava pondo as malas no carro e meu pai fazendo o mesmo.

Seu Nome P.O.Vs

Vovó Rose iria voltar para Krósvia hoje. Então resolvi levar ela ao aeroporo junto a mamãe. Minha avó era uma das pessoas que mais gostava de conversar, por que ela tinha muitos assuntos, como as historia que ela me contava de como era antigamente.

Fomos para o aeroporto e tomamos café por lá mesmo, vovó preferiu assim para não se atrasar, quando terminamos o café, os autos falantes informavam que o voo dela sairia daqui a 10 minutos, nisso nos despedimos e ajudamos ela a levar suas malas. Quando me viro para ir embora com mamãe, vejo um par de olhos azuis correndo em minha direção, foi nisso que percebi que era ele, o garoto que me fez feliz,o garoto que me amou, e que ainda me ama, o garoto que mudou completamente minha vida.

- Ah Meus Deus LOUIS, É VOCÊ?

Disse correndo em sua direção, meu coração parecia sair pela boca de tanta felicidade. E de novo, nossos corpos se chocaram, essa foi a segunda vez em que acontecia isso e eu amava essa sensação, pois Louis me completava de uma forma inexplicável.

- Sim meu bem, sou eu! E tenho uma novidade para você. Deseje boas vindas ao novo morador de Londres, EU.

Confesso que fiquei sem reação, não poderia ser real, alguém me belisca! Sabe quando uma coisa maravilhosa acontece e sua ficha não cai? Então, eu estava nesse momento!

- Ah Meu Deus! Louis! Vem cá meu amor! Seja bem vindo a minha cidade! – nos abraçamos e logo em seguida ele me pegou no colo e nos beijamos – Eu te amo Louis!

- E eu mais ainda!

...

     Bom, o decorre da minha vida foi um máximo, então vou fazer um resumo dela, começando que hoje é o dia mais feliz da minha vida, vocês logo logo saberão pó que. Bom, assim que eu e Louis tivemos nosso momento “awn” minha mãe conheceu o meu namorado e nesse mesmo dia fizemos um jantar de boas vindas a família Tomlinson, descobri que o mesmo moraria uma quadra depois da minha casa, que coincidência do destino, não é mesmo? Nossas famílias se tornaram amigas e sempre que tem um jantar ou almoço, na verdade o que for minha família e eu estamos na casa deles e vice-versa.

    Completei meus estudos e me formei em designer de moda, estou me esforçando para abrir uma marca de roupas. Minha amiga aquela do começo da historia, a Katy se formou em gastronomia, sabia que aquela garota iria fundo com seu sonho, hoje ela tem 28 anos e a mesma já até abriu um restaurante, na verdade um bistrô chamado Garden Secret, um dos mais famosos de Londres, assim que abriu o bistrô, ela se casou e logo engravidou de uma menina, chamada Reenesmee, uma fofa. Depois de 2 anos o departamento de policia disse que Ray já tinha passagens na policia, por agressões e sequestros, bom, ele foi tarde. E atualmente tenho 27 e Louis 29 e vou finalmente dizer o motivo de hoje ser um dos dias mais felizes da minha vida.

    Hoje é o dia de meu casamento e nesse momento estou sentada no banco de trás de um carro indo em direção da igreja. Confesso que vivi poucas e boas, mas valeu a pena cada segundo dessas lembranças, sou tirada bruscamente de meus devaneios pelo motorista dizendo que houve um problema com o carro e que não daria par chegar a tempo. Sai apressadamente do carro mas primeiro paguei o motorista e agradeci mesmo por não ter chegado na igreja, assim que fiz isso sai correndo para a igreja, percebi vários olhares curiosos, até eu pensei em que se visse uma noiva correndo no meio da rua praticamente , sujando seu belo vestido branco e ainda por cima ficando descabelada, claro que iria ficar curiosa. Só sei que meu coração parecia que iria parar a qualquer momento, mas não podia parar, tinha que chegar a igreja e em questão de segundos havia chegado.

   Encontrei Katy quase arrancando os cabelos e olhando perplexa com meu estado.

- Mas menina, o que houve, você está com o vestido sujo, cabelo um pouco bagunçado e você está um pouco suada também.

- Foi o carro que quebrou no meio do caminho ai eu fiquei com medo de me atrasar mais ainda e vim correndo. – disse como se fosse obvio.

- Então vá, por que o Louis está quase tendo um treco.

Subi as escadarias e dei uma ajeitadinha básica no cabelo e as portas se abriram ao mesmo tempo com a marcha nupcial, quando vi todos os olharem pesando sobre mim encontrei o de Louis. Eles estava tão lindo, com aqueles cabelos para trás formando um pequeno topete, seu smooking perfeitamente bem arrumado e sua barba feita, quando cheguei ao altar trocamos olhares e começou a cerimônia. Havia chegado na parte em que tem a coisa de aceita.

- Louis Tomlinson, você aceira ( Seu Nome ) Marshall como sua legitima esposa? – o padre disse como se a resposta fosse obvia da parte de Louis.

- Sim, eu aceito!

Louis disse com os olhos marejando e então o padre se direcionou a mesma pergunta para mim. Então eu disse:

- Lembra de quando você me pediu em namoro com aquela coisa de que queria que eu fosse sua amiga, companheira e tudo mais? Eu estava errada.

Ele me olhou um pouco assustado, mas prossegui.

- Eu quero ser mais que sua amiga, sua amante, sua confidente, sua companheira. Quero te amar para o resto de minha vida, quero não, irei te amar para o resto de minha vida, irei amar sempre o garoto de olhos azuis, irei sempre amar o garoto que me salvou e me fez feliz. Irei sempre te amar Louis Tomlinson.

Oii lindas, primeiramente eu queria agradecer a JULL, foi ela quem escreveu esse ultimo capítulo inteirinho pra mim então os créditos são todos dela, obrigada Jull amo você. Amizade virtual existe mesmo! Somos à prova disso né Jull? E tudo graças à "Gardência" rsrs. 'Segundamente, quero pedir desculpa pela demora. Ps: Eu vivo dizendo isso pra vocês, preciso parar de demorar! E ultimamente, obrigada por serem leitoras tão fiéis e obrigada por lerem Gardênia, que por sinal está acabando :´(  #comoeusofro! Enfim, boa noite eu amo vocês. -Deh♥


5 comentários:

  1. Awn que fofo esse capitulo, e essa garota que escreveu deve ter muita sorte de te conhecer e ter uma amizade virtual com você. Sorte a dela. OPA! Quem eu estou querendo enganar! Sou eu!!!! Ah Deh, eu que agradeço a você por você existir na minha vidinha :3 eu sei que você me ama e eu amo você também! E sim, somos a prova de que pode-se ter uma amizade virtual!!!! Mas enfim... Eu adorei esse cap kkkkkkk e infelizmente "Gardência" ( hahahahahah nunca vou cansar de dizer Gardência ) está acabando mesmo, poxa, magoou! Enfim! Obrigada mesmo Marida, por tudo e saiba que essa long foi uma das melhores!!!!
    XxJull, amo você ❤

    ResponderExcluir
  2. Ficou lindo! Parabéns ela escreve muito bem *-*

    ResponderExcluir
  3. Maria Luiza Horan Styles15 de maio de 2015 22:47

    ficou perfeito ta de parabéns amei de+ você tem futuro em um futuro ótimo e grande tudo de bom e de melhor para você

    ResponderExcluir

Não saia sem comentar. Dê sua opinião!!! Malikisses *-*