2 de março de 2015

Rocket Love- Capítulo 24: Era feliz.

~Mallu ON~

~ Amores, mil desculpas, o meu computador deu problema, perdi tudo que estava nele e me desanimei completamente mas vou postar essa fic até o fim mesmo que demore a postar, capítulo mini, desculpem, só queria postar logo para saberem que estou viva~ 



Lá estava eu sozinha no meu quarto escuro, somente os sons das minhas lágrimas podiam ser ouvidas. A forma como eles me olharam, mal conseguindo me encarar, eles estava visivelmente decepcionados, era como se finalmente tivessem me conhecido. Mas eu não sou assim. Quando Louis deixou escapar aquelas palavras de sua garganta eu quis morrer ´´Você é uma vagabunda.´´ Ele xingou Harry antes de ir também mas eu mal conseguia respirar para ouvir claramente. Foi uma grande confusão, eles me pressionaram de inicio ambos claramente confusos porque um não sabia do outro. ´´Fala o que significa isso!´´ a voz de Harry saía tão agressiva que senti minhas pernas fraquejarem.

Não consegui falar claramente, só consegui dizer ´´Eu não queria magoar nenhum dos dois´´  e acho que só piorou tudo, foi a cereja do bolo para a minha maldição. Nunca em toda a minha vida achei que aqueles olhares me encarariam daquele jeito, com tanto ódio e decepção. E apenas saíram do quarto logo depois me deixando lá, sozinha.

Desde que comecei esse lance de ficar com os dois ao mesmo tempo, sabia que não daria certo por muito tempo e não deu mesmo. Foram apenas alguns dias para tudo cair por terra e como eu fui burra. Perdi meus dois melhores amigos por causa dos meus sentimentos fodidos. Devia estar ficando louca, devia ser realmente uma pessoa ruim, devia ser o que meus pais achassem que eu fosse, uma perdida.
Isso é uma verdade, estava perdida. Queria ir embora de Wolver outra vez mas agora por um motivo que doía mil vezes mais do que da última vez. Mas não podia, não podia.

Nós dias que se seguiram eu tentei falar com Louis e Harry, mas era como se estivesse invisível para eles, almoçava dentro do cubículo do banheiro, mas mal comia nada. Não tinha fome, meu corpo já estava bem alimentado de angústia e dores constantes no coração. Não era vivendo que estava, estava no piloto automático. Fui repreendida em várias aulas por somente encostar minha cabeça na carteira e ficar vidrada em algum ponto do azulejo do chão.

O que me machucou foi ver os dois afastados também, eles não estavam se falando e isso eu não podia aguentar. Não era culpa deles, era minha, total. Nenhum deles faria isso um com o outro, eu sim. Pela primeira vez desde que voltamos de nossas férias juntos pensei novamente no quanto eu não os merecia como amigos. Precisava consertar isso, pelo menos para eles. Porém não conseguia encara-los nos olhos, fiz isso algumas poucas vezes e foi devastador. Então decidi escrever.

Escrevi dois bilhetes. Minhas mãos tremiam muito. Mas fui firme.

´´ Louis/Harry... Sei que sou a pessoa que você mais odeia na sua vida provavelmente mas o Louis/Harry, ele não fez nada. Não sabia de nada que tinha entre eu e você. Só pedi para manter segredo, eu sou a errada da história. Vocês tem uma amizade tão linda, não deixe isso acabar com minha causa, nunca iria me perdoar. ´´

Eram idênticos, dobrei-os e decidi colocar em seus quartos depois da aula já que sabia que Harry estaria no laboratório até mais tarde com sua turma e Louis na quadra no treino de futebol. Meu coração pulava só de entrar ali naquele quarto, o cheiro dos dois me torturando, fazendo minha mente querer se derramar em lágrimas. Como seria difícil minha vida sem aqueles dois.

Lembrei em como fui estúpida, egoísta e pretensiosa. A amizade já estava bom demais para mim, era feliz e não sabia. Nossas risadas, ás vezes que matamos aula apenas para ficar na grama e conversar bobagens, cantar músicas estupidamente toscas, o jeito como eles me irritavam de vez em quando me chamando de ´´ mascotinho´´, eu poderia me ferir mas gostava. Gostava de tê-los ao meu lado, gostava da companhia, era como se grandes pedaços do meu coração tivessem sido arrancados.

Olhei para aquelas camas paralelas, o que eu fiz? Como pude ser tão cruel? Eles dormem no mesmo quarto, o que eles tem é a coisa mais linda que eu já vi na vida e estraguei isso. E o quão bizarra eu era achando que esses dois bilhetes completamente ridículos poderiam salvar isso. Balancei minha cabeça, entrando no quarto na ponta dos pés, estava tudo escuro exceto pela uma luz, a do banheiro, deviam ter esquecido ligada. Entrei e fechei a porta, caminhei lentamente até as camas mas algo me atingiu forte antes que pudesse chegar até elas. Uma voz.

- O que diabos você está fazendo aqui? - Tomlinson esbravejou.

Meu deus, como eu tremia. Fechei meus olhos depois de obviamente arregala-los, queria buscar algum ponto de equilíbrio para não me jogar aos pés dele e chorar como uma criancinha, eu não era mais assim.

- Eu... eu só... Louis, precisamos conversar, sei que não deve estar querendo ouvir minha voz mas... - ele me cortou.

- Não, definitivamente não queria ouvir sua voz. - isso foi como um chute no meu estômago, eu preferia uma facada a ter que ouvir isso. Baixei minha cabeça tentando encontrar forças.

- Não foi o jeito que está pensando... - disse tão baixo que achei que ele nem conseguiria ouvir.

- Ahh então você não estava nos fazendo de otário, ficando com o Harry e comigo ao mesmo tempo? - Droga, era meio que verdade, suas palavras eram ditas em tom irônico e por Deus, como isso me machucava.

- Okay, eu fiz isso. - admiti - Mas Harry não sabia que acontecia com você, não tem que ficar bravo com ele, apenas fique comigo, eu sou a culpada de tudo, eu estraguei tudo. - já sentia minhas lágrimas querendo descer e não, não iria nem tentar segura-las, seria inútil.

- Você não é quem eu pensava que fosse, eu... caralho, eu confiei em você, até mais do que no Styles, eu pensei que fosse minha amiga... - agora ele mostrava sua dor e eu quis me ajoelhar aos seus pés outra vez. Implorar pelo seu perdão.

- Fui sua amiga sim, só que eu..., meu sentimentos me possuíram. - Mas que porra, meu cerebro parecia derretido. - Não queria que acabasse assim.

- hahaha - soltou uma risada forçada- Como achou que acabaria? Você me punhalou pelas costas. Você me traiu completamente. - Trair? Fechei minhas mãos em punho. Eu estava acabada.

- Como acha que eu me sentia vendo você com outra todo dia? Acha que não me sentia traída? - cuspi as palavras.

- Fui sincero com você o tempo todo. E sabe disso. - Pior que eu sabia. - Espera... você começou a ficar com ele pra me atingir?-  Dei uns dois passos para trás, aquilo embrulhou meu estômago. Como ele podia falar isso pra mim?

- Eu nunca faria isso. - minha voz saiu furiosa.

- Bem, você realmente já fez muitas coisas que nunca pensei que faria.

Era o bastante pra mim, joguei os bilhetes no chão. Não ia ficar ali quase sem respirar enquanto a pessoa que eu amo fica me ferindo sem limites. Caminhei para ir embora, ele agarrou meu braço. Seu toque me destruiu mais ainda, sua pele quente sobre a minha. Sabia que ia dizer mais alguma coisa que me machucaria demais. Encarei-o, queria que ele dissesse, queria estar completamente acabada.

- Pensei que você valhesse a pena. Sou um idiota. - e me soltou... Fechei meus olhos.

Quando eu saí daquele quarto foi como dar passos na escuridão, não conseguia ouvir nada, não conseguia ver ninguém, então esbarrei em alguém. Aquele cheiro, sabia quem era... As lágrimas saíram dos meus olhos e eu corri, ouvi ele chamar meu nome com aquela voz rouca e eu quis parar, mas não estava pronta para ouvir ele me dizendo coisas ruins. Seria minha tragédia.


No dia seguinte, a Diretora Úrsula nos convocou bem cedo para uma reunião, ela dizia algo sobre novo sistema, nos proporcionar um melhor aprendizado, mais atividades de lazer, viria com regras rígidas mas que seriam para melhorar o conforto no Internato. Minha mente fugiu do restante do discurso. Só conseguia pensar em como esse lugar podia desabar aos meus olhos e não iria me importar. Os alunos pareciam exageradamente animados, acho que depois que descobriram que Drew havia matado Josh, queriam um recomeço. Todos hostilizavam o clã, isso era ótimo. Mas eu nem me importava tanto, só queria voltar para meu quarto e dormir nos horários vagos, depois das aulas. Nem tinha mais cabeça para ler, até mesmo a coisa que eu mais gostava de fazer foi tirada de mim.

Eu pisei na bola, de verdade e não tinha a mínima ideia de como ou se eu poderia consertar isso, e a cada momento longe de Harry e Louis era como se minha vida estivesse se esvaindo pelas minhas mãos. Queria que aquela tortura acabasse logo, eu pudesse ir para alguma universidade bem longe, onde faria outras coisas, conheceria pessoas novas e pensaria a todo momento em como essas novas pessoas não eram tão incríves quanto meus dois ex melhores amigos.


CONTINUA...

Desculpe pela demora e pelo capítulo pequeno.

14 comentários:

  1. Aaaaaaaa ta pft pelo amor de Deus Drica nunca pare de escrever tu tem futuro

    ResponderExcluir
  2. Dricaaaa!!! Continua por favor ;))
    Beijo ;*
    Angélica Styles - Xoxo

    ResponderExcluir
  3. Saudades Dri, continua logo, está perfeita a fic

    ResponderExcluir
  4. DRICA MDS POSTA MAIS PRFV , ESTOU EM PRANTOS , N DEMORA PLS

    ResponderExcluir
  5. Driiiiiiii continua plmds...

    ResponderExcluir
  6. Postaaaaaaaaaa logo ô qando puder amei e eu chirei tanto a briga deles ...Buaaaaaa

    Xx Tais

    ResponderExcluir
  7. Amei o capítulo! *-*
    -Julyana Esther

    ResponderExcluir
  8. Drica por favor continua logo...

    ResponderExcluir
  9. Continua Sra. Payne <3
    -Maah Jawaad Horan

    ResponderExcluir
  10. Drica que perfeito!!! Sensacional! E mais uma vez queria te parabenizar pela faculdade de Biomedicina. Parabéns!!!!!!!

    ResponderExcluir
  11. continua... no seu tempo, quando puder...

    ResponderExcluir
  12. Ahh ameeei, Capitulo pft .. Continua logo!
    -Jú '

    ResponderExcluir
  13. Por favor não me torture desse jeito e poste logo!!
    Ta perfeito !! <3

    ResponderExcluir

Não saia sem comentar. Dê sua opinião!!! Malikisses *-*