13 de junho de 2015

FAKING IT - 11 [FIM]

But you know what you're here for
Close your eyes
Lay yourself beside me
Hold tight for this ride
We don't need no protection
Come one love
We don't need attention

Open your hand
Take a glass
Don't be scared
I'm right here
Even though you don't roll
Trust me girl

Já estava à minha casa junto com Louis, me sentia feliz pela boa vontade da Jay. 

–  Pensando?   Louis abraçou minha cintura 

–  sim... 
–  no quê? 
–  que eu te amo   o beijei

Louis ficou em silêncio parecendo processar a informação e depois sorriu. 

– Não está me zoando né? 
– por que eu faria isso?  ri 
– não sei, só parece meio impossível 
– sou tão difícil assim? 
– "tão difícil" é algo pequeno, você é impossível – riu 


DIA SEGUINTE 



Acordei cedo pra tomar um banho e lavar meu cabelo e depois secar. 
Por incrível que pareça, acordei de bom humor, me vesti e soltei os cabelos, fiz uma maquiagem leve e peguei as chaves do meu carro, dirigi até o trabalho e deixei-o no estacionamento. 
Fui direto até minha sala e vi uma pasta que não tinha ideia o que era, li a mesma, tinha algumas coisas sobre um processo, mais um?! 
Peguei a pasta e fui até a sala do Louis, bati duas vezes na mesma e abri a porta, e de novo ele estava próximo daquela secretária, mas se afastou na hora. 
É a terceira vez que eu vejo isso, as duas primeiras não fizeram nenhum efeito, mas agora é diferente, não é só por causa do namoro, foi o sentimento de decepção que ficou, e eu nem sei o que aconteceu direito, porém é difícil manter o lado advogado nessas horas. 
Dessa vez a garota não ficou envergonhada, porém me fuzilou. 

– Quase toda vez você aparece – ela disse – é de propósito? 
– Mendy – Louis respirou fundo – Nunca vai rolar nada, sai da minha sala 
– Mas.. 
– Essa é Natasha, não sei se conhece, minha namorada – ele cruzou os braços 
– É? – sorriu maliciosa e olhou pra mim – Com licença senhor Tomlinson 

Ela saiu e trombou em mim de propósito, sério isso? 

– Ei, acho que você esqueceu alguma coisa – finalmente disse algo 
– O quê? – me encarou 
– Sua vergonha na cara, oxigenada – sorri cínica 
– Eu... 
– Mendy, fora da minha sala! – Louis perdeu o controle 

A tal Mendy saiu rápido da sala ao notar Louis elevar a voz, olhei pra ele e respirei fundo. 

– Nat eu... 
– se explica depois, agora quero falar de algo sério – o encarei  – senhor Tomlinson – imitei a voz dela 
– Ficou com ciúmes, é? – sorriu 
– Já disse pra falar disso depois – revirei os olhos – quero falar disso – mostrei a pasta 
– A culpa não foi minha – se justificou 
– Não? – eu disse irônica 
– Eu juro, o cara me multou quando viu minha cara e o Tomlinson na carteira mentiu falando que eu desacatei a autoridade – se aproximou – você sabe que estou me controlando, principalmente as palavras 
– Quer dizer que não mandou ele pra nenhum lugar, ou ir tomar em algum lugar? 
– Não – negou – eu prometo 
– Tudo bem – suspirei  vou resolver isso

Me virei e andei até a porta, quando estava prestes a abri-la, senti a mão de Louis na minha cintura, logo me virou e me fez olhar em seus olhos azuis. 

– O que foi? 
– Não fica assim, você sabe que não dou a mínima pra essa garota 
– Por que está se justificando? Eu não disse nada, quem não deve não teme 
– Não dá uma de advogada comigo – me encostou na porta – admite que ficou com ciúmes 
– Eu admito que não gostei, agora pode me deixar ir? 
– Não vou te deixar ir até você pelo menos sorrir 
– Para com isso, Louis, tenho que trabalhar e... 
– Só um sorrisinho 

Sorri falso, Louis riu e me beijou. 

– Já te disse que ela sempre tenta e não consegue 
– Então por que deixa ela se aproximar?
– Ela fica cara-cara comigo, demora alguns segundos pra sacar e afastá-la, acho que você tem o imã pra problemas, porque é a terceira vez que chega bem na hora 
– Como se eu gostasse disso – resmunguei 
– Estou fazendo um milagre, pra deixar você com ciúmes 
– besta – ri baixo 
– ah, pelo menos uma risada consegui hoje – se afastou – vou parar de te encher

O puxei e lhe beijei, depois rompi o beijo e olhei em seus olhos. 

– Se isso acontecer de novo, aí sim você vai saber o que é ciúmes 
– Sim, senhora – ergueu as mãos em rendição 
– Bom mesmo – sorri vitoriosa 
– Marrenta 

Fiz uma careta pra ele e saí de sua sala. 

LOUIS TOMLINSON P.O.V. 

Não acredito que quase tive uma briga com a Natasha por causa das Mendy. Poderia demiti-la mas infelizmente ela trabalha muito bem, e eu fizesse isso todo mundo estranharia, então acho justo apenas mudá-la de setor para evitar que ela fale comigo. 
As horas passaram, e eu já estava me cansando de revisar tantas coisas de um projeto novo, Me levantei olhei pela janela notando já estar de noite, apoiei minha mão na mesma, escutei duas batidas e logo a porta ser aberta, continuei apoiado na janela, logo senti as mãos de Natasha em meu ombro e seu beijo no meu pescoço. Sorri e me virei. 

– Já sentiu minha falta? – sorri convencido 
– Não fica se achando não – me beijou – só vim dizer que já estou indo 
– Estranho não ter ido sem me avisar me deixando plantado aqui – tirei o cabelo do seu rosto 
– Estou tentando ser legal – sorriu – estou com pressentimento meio ruim 
– Te chamaria pra minha casa, mas acho que vou ter que ficar de babá 
– dos gêmeos? 
– Não, Lottie, ela brigou com minha mãe, com certeza vai estar na minha casa... pode ter certeza que eu adoraria ficar olhando pras suas pernas, mais agradável
– Ah, cafajeste – riu – te ajudaria, mas eu sou péssima nesses assuntos 
– Eu sei, por isso achei melhor não te chamar – beijei seu rosto – mas que pressentimento é esse? 
– Besteira, só comentei por comentar, agora já vou, estou morta 
– Tudo bem, se a Lottie dormir cedo eu te ligo 

Ela me beijou e sorriu, então foi embora. Normalmente os pressentimentos dela estão certos, esse é o problema, por isso disse que ligaria, mas vou esperar que seja "espera" como ela mesma disse. 

NARRADOR P.O.V. 

Ao chegar com seu carro em casa, Natasha deixou o mesmo na garagem e quando estava perto de fechar o portão, viu a imagem que ela mais temia, sua mãe. 
No fundo, Natasha sentia medo dela, queria muito ter qualquer outro sentimento, mas tinha exatamente esse. 

– Acho melhor ir embora antes que eu chame a polícia
– Vai me tratar assim? 
– Por favor, só vai embora – ela pediu – minha vida está boa demais pra você simplesmente chegar e estragar tudo 
– Só vim agradecer por ter pago o que eu devia e que estou saindo dessa vida e... 
– Não me importo – a interrompi – eu queria mesmo ser a vilã de história, a filha sem compaixão mas... você sabe o que você fez – suspirou – não fui eu que paguei, foi o Louis
– Louis? 
– Meu namorado 
– Filha isso e ótimo – sorriu e se aproximou
– Para, por favor – me afastei – eu não consigo, não dá 
– Bem – se afastou – diga ao Louis que eu agradeço e à você... mil desculpas 
– Eu falo pra ele que agradeceu... veio pra cá só pra me ver? 
– Eu na verdade estava resolvendo alguns problemas por perto, estou me recuperando, estava fora de mim 
– Então esteve fora de você por muitos anos, porque não foi ontem que você começou a ser o que é 
– O que era – me corrigiu – eu sei, filha 
– Preciso descansar 
– Okay, podemos nos ver um dia e... 
– Tchau mãe, tenha uma boa noite 
– Entendi – suspirou – Tchau, filha

Ela se afastou da garagem, então Natasha pode fechar o portão e entrar logo em sua casa. Soltou um longo suspiro mas dessa vez de alívio, por mais de não acreditar no fundo tinha um pouco de esperança que ela tenha mudado e agora teria mais paz.
Foi até o banheiro tomou um breve banho, prendeu os cabelos, colocou um pijama e se deitou na cama. 

– Melhor parte a noite  disse a si mesma se referindo a cama 

Natasha escutou seu celular tocando, esticou-se para alcançá-lo na comoda e atendeu. 

– Lou? 
– Sim... então está tudo bem? 
– Tirando que minha mãe apareceu na minha garagem, tudo 
– Ah... foi muito ruim? 
– A conversa não durou nem dez minutos... ela disse que estava mudada, queria tanto acreditar
– Pode ser verdade 
– Mesmo que fosse verdade... esquece isso, como foi com a Lottie? 
– Ela vai falar com minha mãe amanhã e tudo volta ao normal, sou ótimo nisso 
– Isso é ótimo  riu 
– Porém ela vai ficar um pouco na empresa amanhã, será que não pode ficar com ela um pouquinho? Tenho tanta coisa pra fazer 
– Louis eu... 
– Você também deve ter, esquece isso 
– Não  ri  só ia dize que não sei se vou ser legal o suficiente, mas não tem problema 
– Sério? 
– Sério... agora vou dormir, estou cansada 
– Boa noite 
– Boa noite  sorriu e desligou


DIA SEGUINTE 

Natasha estava na empresa em sua sala sem coragem nenhuma de arrumar suas coisas então ficou lendo alguns processos em andamento, mas depois de meia hora escutou as batidas em sua porta. 

– Pode entrar – eu disse 

Logo entrou uma garota loira maquiada e ao me ver sorriu, então se lembrou que Lottie viria à sua sala, como Louis pediu. 

– Sou Charlotte irmã do Louis, ele disse pra mim vir pra cá 
–  sou Natasha – sorriu e se levantou – bom te conhecer – beijou seu rosto 
– O mesmo, sei bem quem você é minhas irmãs falaram de você, Louis também 
– Ah, espero que coisas boas – riu 
– Muito boas 
– pode sentar – apontei para as cadeiras – quer uma água? café? 
– Não, estou bem – disse se sentado 
– Louis me disse que você brigou com sua mãe – sentou-se 
– É – suspirou – as vezes minha mãe fala demais, quer cuidar demais de mim 
– Sei como é – riu – quase que eu e Louis não namoramos por isso 
– Exato! Ela quer interferir no meu namoro, isso me incomoda muito, sua mãe não deve se intrometer não é? 
– Bem... podemos dizer que minha mãe não é uma mãe de verdade 
– Como assim? – perguntou confusa 
– Não é uma mãe protetora, ou que se importa comigo – deu de ombros – então quer uma dica? 
– Acho que estou precisando – riu baixo
– Volta pra casa, relaxa, se sua mãe se intrometer apenas pede pra ela compreender, conheço senhora Hanna, ela é ótima, e boa no diálogo, porque eu não tive a sorte de ter uma mãe feito ela... não quero me fazer de vítima, igual a minha tem várias porém... igual a Jay, não é sempre 
– Uau – ela disse por fim – obrigada... espero conversar mais com você, parece legal – sorriu 
– valeu – riu – pensava que meu conselho não serviria de nada 
– Serviu muito, pode ter certeza!


1 SEMANA DEPOIS 

Natasha estava em sua sala organizando suas gavetas quando escutou um barulho de seu computador significando que havia acabado de chegar uma e-mail. Ela largou as pastas sob a mesa e sentou-se na cadeira.
Estranhou o e-mail, afinal não se lembra de ninguém com esse nome, ao abrir, havia uma proposta enorme, respirou fundo e leu tudo. Resumindo, era algo para que ela se mudasse para os EUA e virasse juíza, a chance que ela esperou por tanto tempo e agora tão rápido, parecia até impossível, ela tinha feito a prova e os testes sem esperança nenhuma à um tempo atrás. 
O problema é "EUA", simplesmente se mudar pra outro país, um tempo antes ela faria isso sem nem piscar, responderia agora mesmo, mas... a primeira coisa que veio à sua mente foi Louis, então notou que estava completamente apaixonada por ele, afinal, nada a prende mais no Reino Unido que ele. 
Enquanto ainda pensava olhando para aquele e-mail a sua porta foi aberta pela única pessoa que nunca bate antes de entrar, Louis. 

– E aí? – sorriu – por que essa cara? Eu disse que ia passar aqui no almoço 
– Ah, eu... nada – disfarçou – só estava pensando 
– Algum problema? – perguntou desconfiado 
– Não – se levantou – vamos almoçar? 
– Tem certeza? 
– Tenho – pegou sua bolsa – vamos logo – o puxou pelo braço 
– Está com fome pra ter essa pressa toda? 
– Estou, morrendo de fome e se você continuar com esse tom de desconfiança vou ficar com fome e estressada 
– TPM? – disse apertando o botão do elevador 
– Não, só dor de cabeça 
– Que bom porque não queria que isso estragasse minhas intenções dessa noite? – piscou 

Natasha respirou fundo e sabia que não podia esconder isso dele, sem mentiras, ela já havia prometido, então clicou nos botões de travar o elevador e encarou Louis que não entendia nada. 

– Me chamaram pra ser juíza, nos EUA 
– Juíza? – perguntou surpreso – isso é bem grande pra alguém nova feito você – desviou o olhar 
– Sabe do que estou falando não é? 
– De me deixar aqui na Inglaterra completamente apaixonado por você e viver uma vida nos EUA com muito poder porém infeliz – a encarou 
– Eu pensei nisso – passou a mão no rosto – mas quando eu vou ter uma chance dessa de novo? 
– Me desculpa – cruzou os braços – só não consigo ficar relaxado quando tudo está indo no caminho no qual eu vou me ferrar 
– E eu não? Eu te amo, Tomlinson, vai ser difícil dar as costas pra tudo e ir embora 
– É isso o que você quer então? Já está decidida 
– Eu não sei, pela primeira vez eu não sei o que eu quero da minha vida! – disse nervosa – Não sei se quero viver aqui e tentar algo que com certeza me faz feliz, ou sair e tentar algo que eu lutei minha vida pra conseguir 
– Olha você deve ir, mas eu não quero, por mais de ser egoísmo da minha parte 
– Tudo bem, eu vou pensar mais – o abraçou 
– Mas eu nunca mandei em você não é mesmo? – a encarou – eu quero, mas não vou fazer você ficar, acho melhor você ir porque eu conheci a história da sua vida, e é uma história incrível, conquistar isso vai te deixar muito orgulhosa no futuro... não vou ser eu que ou te privar disso 
– Você vai me fazer chorar desse jeito – riu 
– Nem sonhe em fazer isso – a beijou 


1 MÊS DEPOIS 

Natasha P.O.V. 

Estava no aeroporto, foi um mês tentando me despedir o suficiente do Louis, mas parecia que eu só me apegava mais e mais. Só que agora não tem mais volta, já aceitei o novo trabalho e me demiti da WT. Pedi para que Louis não me trouxesse não queria uma cena de despedida, muito menos chegar nos EUA de olhos inchados de tanto chorar. 
Quando entrei no avião, guardei minha bolsa e me sentei na poltrona. Meu coração estava apertado de saudades. 
Por incrível que parece ontem falei com minha mãe, mas foi um papo breve, no qual ela se desculpou de novo, parecia de fato estar mudando, então me sentia mais em paz com ela. 
Não consegui dormir a viajem toda, apenas pensando no Louis, na família Tomlinson que parecia ter me adotado de verdade. 
Depois de horas, finalmente chegamos, quando o avião pousou, me espreguicei e peguei minhas malas. Coloquei óculos escuros porque minha cara não deveria estar das melhores. 
Fui até o resto das malas, peguei a minha, não trouxe tanta coisa assim e andei até a parte dos táxis. 

– Pra que pegar um táxi se você tem um chofer pessoal? – escutei a risada 

Me virei e olhei para Louis que estava com um sorriso no rosto, tirei meus óculos, fui até ele o abracei na hora. 

– O que está fazendo aqui? 
– Acho que você esqueceu que a WT é um empresa mundial não é? 
– Não acredito que vai se mudar pra cá? – disse boquiaberta 
– Vou, já realizei quase todos os meus sonhos, por que desistiria de você que só está seguindo o seu? 
– Só pode estar brincando comigo – o beijou 
– Não estou 
– Vai ser chefe da WT dos EUA? 
– Não – negou – o cara que é chefe aqui é simplesmente ótimo, não posso tirar o emprego dele, mas vou trabalhar na minha área, ganhando menos, o que importa? 
– Claro que importa, demorou pra você conseguir ser chefe da WT! 
– Mas eu consegui, sonho realizado, não sou apegado à essas coisas, só quero tentar viver aqui – sorriu e me beijou – mas vai ter que me aguentar uns tempos no seu apartamento 
– Uns tempos? Depois dessa você pode ficar quanto tempo quiser no meu apartamento 
– O que acha de ficar lá até sermos velhinhos, então nos mudamos pra uma casa porque deve ser um saco pra coluna legar elevadores, descer escadas etc 
– Louis – comecei a rir – pra mim parece ótimo – o beijou 
– Então, uma nova vida pra nós 
– Você é o melhor cara que existe 
– Mesmo sendo um cafajeste? – brincou 
– Mesmo assim – sorri – continua o melhor, Tomlinson 
O beijei e estava preparada pra viver com ele, porque agora eu tenho certeza que valeria a pena, principalmente que valeu a pena tudo que vivemos juntos, mesmo não sendo tanto tempo assim, foram tantas coisas, o suficiente pra afirmar que finalmente vou ser feliz de verdade. 


۞      FIM    ۞
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


ESPERO QUE TENHAM GOSTADO! 
Por mais de não ter várias leitoras nessa fic, eu amei escrever porque tem um conteúdo diferente mais dramático e até um pouco mais maduro (na minha opinião) então curti muito escrever. 
Espero de verdade que tenham ficado felizes com o final, e LEITORAS FANTASMAS HORA DE SE MANIFESTAR EM HAHA <3 
VISITEM ESSE BLOG LINDO AQUI - www.staystrongrt.blogspot.com.br
Beijos amores - mi 

12 comentários:

  1. Chorei, morri, perfeito, muito perfeito, mio arrasou
    Jhulia

    ResponderExcluir
  2. Caralho! Caralhooooooo! C-A-R-A-L-H-O!!!!!
    menina casa comigo? Você é simplesmente foda!
    Está tudo tão perfeito *-* Arrasou.

    ResponderExcluir
  3. #chorei sua linda quero 25 Epílogos ok.

    ResponderExcluir
  4. Ai Mii, que perfeito, chorei, muito bom, final ótimo <3

    ResponderExcluir
  5. Ameii, muito perfeito esse final, e obrigada Mi por divulgar meu blog
    Rayla Brito

    ResponderExcluir
  6. Maria Eduarda Zancanelo14 de junho de 2015 14:35

    Não pode acabar!!!!!!! Quero epílogo. Chorei

    ResponderExcluir
  7. Aiiiiio mdssssss como assimmmm
    Caramba não acredito q acabou :'(
    Mas Mi essa fic foi mara, eu ameei ler ela pq ela foi diferente de todas q eu já li ♡

    Malikisses
    XxBambi

    ResponderExcluir
  8. Buuu
    Uma fantasminha aqui!! kkk
    Vc é incrivel Mi
    O final foi simplesmente lindo, amo tudo que vc escreve

    ResponderExcluir
  9. Ai.Meu.Deus
    Eu não acredito que acabou TO CHORANDO BALDES AQUI !
    Eu simplesmente me apaixonei por essa fic e só de saber q o final ficou tão perfeito assim TO EM PAZ Heuheuhue
    Voce escreve mt bem, quero mais fics como essa hen

    Xx Manu ❤ ❤

    ResponderExcluir
  10. Não acredito que acabou. 😢 super perfeito amei amei! 😙😙😙

    ResponderExcluir
  11. Uau. Que short fic mais ❤ sério amei a história e vc escreve super bem!!! Poderia ter continuação 💕

    ResponderExcluir
  12. uau, gostei muito viu, amei, vc escreve muito bem. vem cá, me passa esse seu talento rsrsrs

    ResponderExcluir

Não saia sem comentar. Dê sua opinião!!! Malikisses *-*