28 de março de 2015

FIRE ☣ 5 - DESCULPA


Oh, I'm going to mess this up
Oh, this is just my luck
Over and over and over again

I'm sorry for everything, oh everything I've done
From the second that I was born
It seems I had a loaded gun
SHOTS - IMAGINE DRAGONS 



Depois que o Cook dormiu, peguei meu celular e mandei uma mensagem para o Zayn, estava curiosa pra saber o que ele queria.

Zayn? O que você queria? X Lindsey

Depois de poucos minutos ele respondeu.

Saber se iria mesmo nesse jantar de familia xx Z.

Vou... meu pai me pediu X Lindsey

Então vai ter que me suportar, tchau xx Z.

Não sei porque mas acabei rindo, sinto ainda muita raiva dele, porém sempre acabo rindo.quando ele diz algo engraçado...
Cook parecia bem, fazia longo tempo que alguém não me deixava preocupada assim.
O cobri e sai do seu quarto dando de cara com seu pai.

- está tudo bem com ele? - perguntou

Não podia dizer a verdade porém não podia dizer que estava tudo bem, porque não está.

- olha... já pensou em falar mais sobre a mãe dele?
- ela foi embora e acabou morrendo, não é minha culpa
- mas era a mãe dele, era carinhosa com ele... talvez só sinta falta desse carinho.- suspirei - preciso ir ele está dormindo, boa tarde
- boa tarde Sullivan e.. obrigado por se importar com ele

Sorri e sai de sua casa, fui andando até a minha e meu pai estava na cozinha, fui até ele lhe dando um grande beijo no rosto, porque fico feliz por ter um pai igual a ele.

- o que eu fiz pra merecer esse carinho? - sorriu
- nada - sorri
- animada pro jantar?
- não - ri e me sentei do seu lado - mas fico feliz por ter achado alguém que te faça bem
- pensava que não gostava da ideia
- não é isso - ri - só não gosto da melosidade de vocês - fiz uma careta
- desculpa não ficar muito tempo em casa com você
- nem esquenta com isso
- olha.. até que você uma filha boa - brincou 
- vou dormir um pouco, quando for umas sete me chama?
- claro - sorriu 

Sorri pra ele e fui até meu quarto. Tirei meus sapatos e me joguei na cama, não demorou nada pra mim cair no sono.

[…]

Ouvi batidas na minha porta, acordei notando meu pai entrar no quarto.

- sete horas, querida
- já estou acordando
- okay

Ele saiu do quarto. Depois de um tempo na cama arrumando coragem pra me arrumar me levantei.
Fui até o banheiro, tomei um banho e aproveitei pra lavar os cabelos também, depois me enrolei na toalha, sequei meus cabelos, procurei uma roupa, acabei colocando uma calça jeans, blusa simples, jaqueta e coturno.
Desci as escadas, não demorou muito para que meu pai descesse também.

- então vamos?
- claro - respondi

Fomos até seu carro e meu pai começou a dirigir.
Depois de meia hora, chegamos a casa da Trisha, era de um tamanho médio, meu pai estacionou o carro e fomos até a porta. Apertei acampainha e logo, provavelmente Trisha atendeu.

- amor e você é a Lindsey certo? - se direcionou a mim
- sim, prazer

Ela veio até mim e me abraçou não estou acostumada com muito afeto mas correspondi ao seu abraço. Depois que nos separamos ela voltou a me encarar com um sorriso.

- vou te apresentar minhas filhas

Trisha me puxou me aproximando de três garotas .

- essas são Safaa, Waliyha e Doniya

Elas se aproximaram de mim e começaram a conversar normalmente comigo, esse jantar esta parecendo melhor.do que eu pensava.

- ah, esse é o Zayn, acho que já se conhecem

Olhei para a porta e Zayn estava ali, me encarou com um sorrisinho cinico no rosto, por dentro revirei os olhos mas por fora correspondi ao sorriso.

- bom te rever, Lindsey
- o mesmo, Malik

Talvez meu pai tenha notado o clima tenso e empurrou todo mundo para a cozinha onde Trisha preparava o resto da comida, conversei um pouco com as garotas, depois de um tempo dei a velha desculpa de "preciso tomar um ar" e fui até o lado de fora, fiquei em uma parte escura, me sentei e traguei um cigarro.

- sempre fumando escondido.

Me virei e encarei Zayn, que estava me olhando e não demorou muito para que ele se acomodasse do meu lado.

- pois é... - desviei o olhar
- gostando da familia feliz? - ele perguntou irônico
- gostei delas, sim.. por que essa ironia?
-pensava que acharia um saco
- sorri - você não me conhece, Zayn
- você não deixa - reclamou
- ri falso - idiotas, feito você? Não merecem me conhecer melhor, só isso
- ainda está brava comigo pelo que eu fiz?
- por tudo, Zayn
- só foi uma vingança
- pelo que eu não fiz
- não é mais facil admitir? - me encarou nervoso

Agora foi a vez do Zayn acender um cigarro. O que me deixa nervosa é ele insistir me culpar por algo que eu não fiz, mas cansei de ignorar isso como se não fosse nada, joguei meu cigarro fora e o encarei.

- não vou admitir algo que eu não fiz... mas saiba que eu não me importo mais se você me odeia, porque meu sentimento por você é totalmente igual... - me levantei - e cigarro mata 

Ele riu e se levantou, antes que eu entrasse ele parou na minha frente. 

- você tem motivos pra me odiar, esse é o esquema desde o princípio
- esquema? 
- é... eu me juntei com os garotos no primeiro dia que você apareceu aqui, comentei sobre fazer com que você se apaixonasse por mim, mas eu perdi minha paciência e acabei fazendo aquilo, foi tudo um plano, Liam foi quem deu a ideia, Louis seu amiguinho, também estava no meio 
- eu não me importo mais com isso 
- não minta, eu sei que se importa 
- não me importo com nada que envolva você 

Entrei em casa, tirando a jaqueta, prendi os cabelos pra não notarem muito o cheiro, nos sentamos juntos, e terminamos de comer. 
Depois de um tempo, meu pai finalmente quis vir embora, me despedi das garotas que por um acaso são adoráveis, mas não me despedi do Zayn, por fim, me despedi da Trisha, e fui embora com meu pai. 

- gostou do jantar? - ele perguntou enquanto dirigia 
- a comida estava boa 
- você odeia aquele Zayn, não é? 
- parece que você me conhece bem - suspirei 
- eu... não sei se vou continuar com a Trisha 
- não? - o encarei - por quê? ela é tão simpática 
- sim, ela é mas... eu não quero me casar de novo, sua mãe me deixou com fobia de casamentos 
- sorri de canto - eu te entendo 

Quando chegamos em casa, eu subi as escadas direto para o meu quarto, depois tomei um banho, e coloquei um pijama.
Abri minha janela, e olhei para o Cook que estava lendo alguma coisa, não sei como, mas ele notou que eu o encarava, olhou pra mim e sorriu. Correspondi ao seu sorriso e fechei a janela. 
Ouvi meu celular tocando e atendi na hora. 

- alô? 
- Lindsey? é o Louis 
- o que foi? 
- Zayn... a mãe dele esta preocupada porque ele não ligou quando chegou em casa, fui no apartamento dele... mas nenhum sinal, sabe onde ele pode estar? 
- não, por que eu saberia? 
- não sei - suspirou - se receber alguma notícia, fala pra mãe dele, tudo bem? 
- certo... 
- tchau 

Desliguei, e fiquei olhando para a tela do meu celular, será que eu tento ligar? Ele não vai me atender... se não está atendendo nem a própria mãe. 

- bem, pelo menos tentar, não custa nada- disse a mim mesma 

Liguei para o seu celular uma vez, deu caixa postal, tentei a segunda só por tentar e chamou... chamou... chamou... então escutei sua voz. 

- Sullivan? - ele perguntou 
- sim... onde você está? 
- por que quer saber? 
- sua mãe está preocupada, deveria ligar pra ela 
- riu - ou você ficou preocupada? 
- não mesmo
- estou perto dos trilhos do trem... se vier pra cá eu ligo pra minha mãe 
- sério isso? 
- sério... 
- suspirei - okay, não sai daí 

Coloquei uma calça jeans, e uma regata qualquer, coloquei o celular no bolso de trás da calça e desci as escadas. 

- pai, me empresta o carro? 
- sabe que horas são? 
- confia em mim, é uma urgência... meu amigo está passando mal perto dos trilhos 
- aqui estão a chaves, e se tiver um arranhado no meu carro você está de castigo pelo resto do ano 
- peguei as chaves - obrigada, pode deixar 

Saí de casa, entrei no carro e dirigi até os trilhos, não acredito que estou fazendo isso por um idiota feito Zayn Malik. 
Quando cheguei perto dos trilhos, que na realidade estão abandonados, avistei o carro do Zayn, estacionei ao lado, saí do carro, andei um pouco. 

- Lindsey? 

Olhei para o lado e sentado em uma pedra estava o Zayn, o encarei como um "eu quero te matar por ter me feito vir aqui", me aproximei e ele finalmente disse algo. 

- está meio frio pra andar sem blusa 
- e está meio tarde pra você me fazer sair de casa pra ver como a princesa está 
- riu - você quis vir 
- liga logo pra sua mãe 

Ele assentiu, pegou o celular e ligou a mãe dele, que provavelmente brigou muito com ele. 

- Satisfeita? 
- sim - me sentei do seu lado 
- pensava que você não viria 
- eu cumpro com o que eu falo, e sua mãe é muito legal pra ficar preocupada com o filho babaca dela 
- tem razão - me encarou - no fundo você gosta pelo menos um pouco de mim 
- bem no fundo, eu sinto pena de você 
- pena? 
- é... aquilo que fizeram com você foi horrível, acho que se fosse eu ficaria bem problemática também 
- você parece mesmo não ter feito nada 
- pois é... - me levantei - como eu já disse inúmeras vezes... você não me conhece 
- queria saber por que veio aqui? você disse que me odeia 
- olha, eu não sou tão ruim assim, não sou nenhum monstro, eu me importo 
- se importa comigo? - riu 
- como eu me importaria com um cachorro de rua, o mesmo sentimento - saí andando 
- Lindsey - me chamou 
- o que foi? - o encarei
-  me desculpa 
continua... 


-----------------------------------------------------------------------------------------------------

OI OI! 
ESPERO QUE TENHAM GOSTADO DO CAPÍTULO, vou tentar postar rápido pra deixar vocês felizes após a decepção que recebemos porque amo vocês <3 haha 

26 de março de 2015

FIRE ☣ 4 - DIFÍCIL


Dia Seguinte < 
Acordei, estava na cama, mas nenhum sinal da Lindsey, me levantei, fui até o banheiro, fiz minhas higienes e fui até a cozinha, ainda assim nenhum sinal dela, estranhei, olhei na pequena mesa um bilhete. 
Tive que ir, na verdade não tive, só preferi vazar... bem, bom dia :) ah, nem procure, porque eu lembrei e levei a playboy, haha, nos vemos por aí. 
Lindsey xoxo 

Ah, ela é um amor, digo isso com toda a ironia do mundo... 

Narração: Lindsey O' Sullivan 
Estava andando pra casa, tentando parecer que não estava morrendo de sono, a rua estava um pouco vazia, afinal... era domingo, 9 horas, quem acorda a esse horário? Ah, é... eu mesma, pra fugir da casa do Malik. Não queria encontrá-lo, o que eu de fato falaria? Então preferi, dar um jeito e vazar, espero que ele veja que a porta está aberta... 
Chegando em casa, liguei meu celular, tinha mais ligações do Cook do que do meu pai, que só eram duas... Já que estava acordada mesmo, fui a frente da sua casa, e comecei a jogar pedras em sua janela... até ele abrir a mesma e me encarar com a cara "acabei de acordar, vai embora, garota!" 

- O que você está fazendo a essa hora, aqui?! 
- ri - tinha um monte de ligações suas 
- pensava que Malik tinha te matado, eu ia hoje fazer uma investigação - riu 
- não precisa mais, estou viva 
- transaram ?
- sim 
- ele é bom de cama? 
- VAI DORMIR  JAMES COOK! 
- Acho que alguém ficou nervosa - riu 
- tchau 
- sorriu - tchau 

Então ele fechou a janela e eu entrei em casa. Subi as escadas devagar até meu quarto, fechei e tranquei a porta. Fui ao banheiro, tomei um banho, depois coloquei uma roupa velha e dormi. 

{...} 

Acordei com algumas batidas em minha porta, me levantei ainda cambaleando de sono, abri a porta e era meu pai. 

- bom dia, garota que chega de manhã da casa do cara que disse a seu amado pai que não teria nada 
- bom dia, pai que sempre tira conclusões precipitadas 
- riu - eu ouvi você gritando com o vizinho, são amigos mesmo? 
- sim pai - bocejei - ele é bem legal 
- ele chegou por aqui faz um ano, já conversei bastante com ele, parece ser meio intelectual e engraçado... 

Sorte que meu pai não imaginava metade das coisas que Cook faz, e pretendo que ele nunca saiba. 

- é, ele é mesmo 
- foi bom o jantar? 
- assenti - foi sim 
-okay, você quer dormir, vou vazar... comida está no microondas, vou passear com minha querida namorada -
- poupe-me da sua melosidade, tchau 

Ele saiu e eu apenas fechei a porta, olhei para o relógio e já era duas da tarde, então achei melhor acordar de vez. Fui ao banheiro, fiz minhas higienes, coloquei uma bermuda e uma blusa solta, pois estava calor e eu não queria sair. 
Fui até a cozinha, tirei a comida do microondas, e isso é algo bom, meu pai cozinha muito bem, quando morava com a minha mãe vivia de comida congelada, pois nem eu, nem ela tínhamos paciência pra cozinhar. 
Esquentei a comida, e logo comecei a comer. Quando terminei, tomei um suco, e ouvi a campainha. Prendi meu cabelo em um coque frouxo e fui até a porta, ao abrir a mesma, surpresa, Zayn Malik. 

- ah, oi Zayn 
- nossa, que animação - disse sarcástico 
- acordei não faz muito tempo 
- posso entrar? 
- o que você quer? 
- perguntei primeiro 
- mas só vai entrar se me responder. 
- conversar - deu de ombros - afinal demos começo a uma ótima amizade - sorriu malicioso
- não sorria assim pra mim, seu pervertido 
- riu - okay, e agora eu posso...?


Dei passagem para que ele entrasse, assim ele fez, fechei a porta e me virei. 

- pode sentar - eu disse 
- se sentou - por que você saiu cedo da minha casa? 
- porque eu quis - respondi em tom óbvio 
- tão doce - disse sarcástico 
- porque não queria preocupar meu pai, quando liguei meu celular, tinha várias ligações dele e do Cook 
- esse cara é meio intrometido, não?
- não, ele só se preocupa - sorri
 - bem, só passei aqui pra encher mesmo, vou sair com os garotos 
- okay, pode sair, a porta está aberta - fui a cozinha 
- ei - me seguiu - por que está assim comigo? 
- assim como? - perguntei confusa 
- parece que eu sou qualquer um, e você está me mandando embora
- qual é a sua, Malik? Você não é nenhum amorzinho, não ia sair? Então sai 
- como você quiser - disse rispido e saiu batendo a porta 

O que foi isso? Sério mesmo? Ele acha que eu sou o que? Uma daquelas iludidas do colégio que vai ficar implorando por um minutinho da agenda dele? Nem nos melhores sonhos dele. 
Coloquei um tênis e decidi ir até "Ch*ck Bad", fazer uma visita a Jenette... Caminhei até a mesma, e ao chegar adivinha, lá estava Zayn e seu bando, conversando as maiores besteiras, e provavelmente ele estava se vangloriando. Ele me olhou quando entrei, esperando que eu falasse com ele, mas fui até Jen. 

- Hey Jen! - gritei me aproximando 
- e aí Sullivan - sorriu terminando de limpar o balcão - pensava que tinha me esquecido 
- claro que não - ri e me sentei - só tinha algumas eventualidades 
- ela se aproximou e começou a sussurrar - o grupinho ali está te olhando 
- eu sei - sussurrei de volta - isso não é importante... coca cola? - sorri voltando a falar em tom normal 
- aqui - colocou em um copo
- alguma novidade? - perguntei 
- hum... talvez algumas... 

Então ela começou a me contar algumas histórias engraçadas que aconteceram na loja, e com certeza me fizeram rir muito, quando parei um pouco de rir. 

- Ei, Lindsey - pude escutar me chamarem 
- me virei - sim? 
- não quer sentar com a gente? - perguntou Niall 
- sorri de canto - não, valeu
- por que não? - Liam perguntou 
- dei de ombros - estou conversando com a minha amiga, fiquem de boa
- Zayn se levantou e aproximou-se - posso falar com você? Lá fora? 
- okay - disse desconfiada 

Me levantei, e fui atrás dele, saímos da lanchonete, e paramos na porta mesmo. Acendi um cigarro e o encarei... que parecia sério. 

- por que está assim? 
- assim como? 
- fria, uma boa palavra
- por que se importa? 
talvez eu me importe - corrigiu 
- suspirei - quer saber a realidade? okay... eu sei que você já está se vangloriando por ter pegado a "garota problema da cidade", que bom, Zayn... não acho errado, mas não precisa ficar forçando uma amizade. 
- não estou forçando nada, não precisa me odiar 
- quem me odeia é você, Malik
- já disse! Não odeio mais! 
- não grita comigo, idiota - me virei 
- me segurou - não vai, você não é a Sullivan? Por que está fugindo ?
- não estou fugindo 
- então... 
- vai a merda Malik - joguei o cigarro

Entrei na lanchonete, deixei o dinheiro no balcão, e me despedi da Jen. Saí trombando propositalmente no Zayn, e fui embora pra minha casa. 

Dia Seguinte. 
No colégio - 

Cheguei no colégio, todos me olhavam com um sorriso, antes de entrar na sala, fui puxado pelo Cook.

- O que foi? 
- Zayn, é um idiota 
- ah, sério? - eu disse sarcástica 
- não... o idiota espalhou que vocês transaram, contou detalhadamente, e ainda... pendurou uma calcinha que ele diz ser sua na sala, porém já tiraram. 
- revirei os olhos - ele é um grande idiota - suspirei - e agora? 
- boa sorte - ele deu de ombros - se alguém te encher, fale comigo 
- não se preocupa, eu sei me cuidar muito bem 

Antes de sair o abracei, e fui até a sala, acho que nunca me senti tão amiga de alguém em tão pouco tempo. 
Entrei na sala, e os olhares se voltaram pra mim, principalmente o do Zayn, que tinha o olhar mais divertido. 

- e aí, Lindsey? - Zayn disse alto 
- Oi, Malik, tudo bem? - me sentei
- tudo - respondeu estranhando 
- então... Lindsey - disse um dos garotos da sala - curtiu a noitinha com o Malik? - sorriu - a sua calcinha até guardei pra mim - riu 
- ah é? - sorri - que bom - disse com desinteresse 
- acha que eu tenho chances com você? 
- se você for melhor que o Malik, talvez...- ri - apesar que com certeza isso não é difícil - todos riram 
- não foi exatamente isso que você me disse, amor - ele sorriu, fazendo todos rirem
- sério, amorzinho? - eu disse sarcástica - mas eu também adoro iludir, principalmente pra um coitado feito você... na realidade classe, eu daria mais detalhes, mas sabe... coisas pequenas assim, esqueço fácil - todo rirem e eu o encarei e sorri 
- você está pronta na minha cama a hora que eu quiser - ele disse nervoso
- e você está aos meus pés quando eu estralar os dedos, Malik - respondi sem olhá-lo diretamente

Então finalmente o professor chegou, fazendo todos ficarem em silêncio. 

{...} 

O sinal tocou, e enfim pude sair desse inferno, ainda me olhavam mas ninguém tinha de fato coragem de falar algo pra mim, quando estava no grande portão da saída, Cook veio do meu lado e fomos indo pra casa em um grande silêncio, que chegava a ser insuportável, então o puxei e mudamos o caminho, indo para uma praça, só que em vez, da principal fomos para uma mais afastada. Me sentei em um banco e ele fez o mesmo ao meu lado. 

- ficou magoada? 
- acho que sim - o encarei 
- vai se vingar? 
- não - fiz um sinal negativo - não quero me vingar... ele acha mesmo que eu fiz o trote, por isso fez isso 
- vai deixar assim, barato? 
- assenti - vou, acho que agora ele me deixa em paz... 
- uou - ele disse - então está afim de mudar? 
- não exatamente mudar, talvez me acalmar - dei de ombros 
- colocou o braço em volta da minha cintura - aiai, vou ter que te aguentar 
- ri - vai mesmo - coloquei a cabeça em seu ombro ...
1 mês depois < 


As coisas não estavam dificeis como de fato eu pensava que ficaria, pensava que eu seria mais julgada por todos, mas com uma semana, acabaram esquecendo isso, talvez porque acharam super esperado que eu faça outra besteira... e essa foi apenas mais uma.
Agora eu tenho ficado bem próxima do Cook e incrivelmente, do Louis e Niall, eles começaram a conversar comigo um dia qualquer, e como não tenho nada contra eles, comecei a puxar assunto também.Com Zayn, não falo mais, depois daquilo, quando vou falar com os garotos ele desvia o olhar, ou me olha com olhar debochado e eu apenas não ligo.
Hoje é segunda feira, um dos dias mais odiáveis pra qualquer um,e  comigo não é diferente. Depois de acordar e tomar um banho quente, porém rápido, coloquei uma calça jeans, um coturno e um moletom afinal estava frio, procurei minha mochila, e logo saí de casa, fui até a janela de Cook e gritei, logo depois ele saiu.
Fomos andando até o colégio conversando diversas coisas, ao chegar, pedi para que ele fosse andando na frente, e ele logo foi falar com seus outros amigos, fui até o grupo dos garotos, Zayn logo me encarou, porém eu, logo desviei o olhar e eu chegar pousei minha mão no ombro do Louis. 
- sim? - se virou - Oi Lind - sorriu 
- oi - sorri - só queria te devolver seu cd do The Fray - o entreguei - você tem razão, é muito bom, bom MESMO - ri 
- eu disse, eu estava certo como sempre - se gabou 
- quase sempre - o corrigi 
- revirou os olhos e riu - quer mais um cd emprestado? 
- não sei - dei de ombros - qualquer um que você queira me emprestar, eu pego, gosto de ouvir música mesmo - sorri 
- okay, vou ver no meu estoque - ele brincou 
- ri - tudo bem - sorri - ah, oi meninos... já vou tchau 
Narração: Zayn Malik 

Logo depois que ela saiu, encarei Louis com uma sobrancelha arqueada. 

- está de caso com a Sullivan? 
- riu - não... ela só é uma garota legal - deu de ombros 
- isso é verdade - Niall concordou 
- qual é gente? Ela NÃO é uma garota legal 
- Malik - Harry colocou a mão em meu ombro - esquece o que já foi, ela fez merda, você se vingou, e agora ela parece estar numa boa 
- revirei os olhos - eu também estou numa boa, só estou dizendo que na época se ela fez aquilo comigo sem nem me conhecer direito, imagine se ela conhecer vocês - cruzei os braços 
- lembra quando você teve aquela noite com ela? - Liam comentou - você disse que foi super divertido 
- ah, claro, e logo depois ela parecia que nem me conhecia 
- porque ela sabia que você queria aprontar algo - Louis disse 
- como sabe disso? - perguntei 
- porque eu perguntei, e ela me falou oras - deu de ombros 
- tudo bem... vamos parar de falar nela, okay? - eu pedi 
- okay - todos concordaram 
- vamos falar do campeonato que está vindo - Louis disse 

Os garotos jogam futebol, eu não gosto muito, então assisto, mas gosto de comentar com eles, porque as vezes acabo dando dicas, sou melhor como técnico do que jogador, então rapidamente o assunto mudou, e todos estávamos conversando empolgados sobre o campeonato. Por um momento, meu olhar rodou o pátio do colégio, e logo meu olhar se encontrou com o da Lindsey, em vez de desviar o olhar como sempre tem feito nesse mês, ela me encarou desafiadora e sorriu, então finalmente desviou o olhar, não sei o que passa pela mente dela, não sei o que imagina, mesmo assim dela espero tudo. Por que estou pensando nisso? Deveria me focar em outras coisas, mas o fato de como ela superou bem tudo o que aconteceu me incomoda um pouco. 
Balancei a cabeça tirando ela de meus pensamentos, e voltei ao assunto com os garotos. 
{...}

Primeira aula havia acabado de começar, o professor começou a falar sobre peças aleatórias, não estava prestando muita atenção. 
- Malik? - o professor me chamou 
- sim? - o encarei 
- te fiz uma pergunta 
- me desculpa, não prestei atenção 

O professor Carson, não era extremamente chato, na realidade ele era super legal, só que eu de fato não estava com cabeça para aula, porém ele repetiu a pergunta... 

- perguntei a todos e agora você, para de viajar garoto - riu - que conclusão você tira do conhecido romance de Romeu e Julieta? 
- hum... - pensei - que nada é como nós gostaríamos que fosse 
- boa resposta, fale mais 
- preciso? 
- precisa - respondeu 
- só que... as coisas acabam acontecendo e saindo do nosso controle, e quando tudo parece perfeito, quando o plano parece perfeito - olhei rapidamente para Lindsey - parece que algo faz com que ele se torne errado - olhei novamente para o professor 
-  certo... boa resposta... Lindsey... que conclusão tira com o conhecido romance, Romeu e Julieta?
- bem... - parecia pensativa - que provavelmente nenhum romance dá certo, sabe, a história acabou ali, eles morreram, todos conhecemos a história mas ninguém viveu ela junto com eles, ambos eram jovens - deu de ombros - talvez não tivessem certeza, talvez só estavam gostando da adrenalina, talvez nem fosse amor mesmo 
- boa resposta também... parabéns... - senhor Carson disse - bem, assim todos responderam, melhores respostas, foram do Malik e Sullivan, um ponto pra cada
Depois disso voltei a não prestar mais atenção dele, mas senti um olhar sob mim, olhei para o lado, e Lindsey me encarava. Ao notar que a olhei de volta, ela riu baixo e disse. 

- parabéns pela resposta Malik, parece que está aprendendo um pouco sobre romance - disse sarcástica
- eu li livros, porque na vida real, são "apenas uma transa e adeus" 
Ela desviou o olhar ao notar que eu repeti a frase que ela mesma tinha dito naquele dia. E acho que pela primeira vez, o último a acabar com a discussão fui eu, então tornamos ao silêncio, enquanto eu só queria que as aulas acabassem pra mim voltar à minha casa. 
Saída do colégio - 

Estava com os garotos saindo finalmente, do colégio, Louis saiu rapidamente e foi falar com adivinhem quem? Lindsey, essa aproximação não me favorece muito, não que eu tenha algum sentimento, mas depois de tudo, voltei a talvez... odia-la, e não quero que ela possa fazer algo com meu amigo, um dos meus melhores amigos. Então decidi segui-lo, e eles conversavam sobre uma banda aleatória. 
-E aí cara - Louis disse 
- e aí? - sorri - vou te esperar 
- valeu - ele sorriu - Bem, já vou Lindsey, depois nos encontramos 
- tudo bem, tchau, pra vocês dois. - ela saiu 
E depois de um mês, ela me dirigiu a palavra publicamente, estranhei, mas saí do colégio com Louis em puro silêncio, os outros já haviam ido embora, então, como Louis morava perto da minha casa, fomos andando... mesmo eu tendo carro, prefiro vir andando pro colégio. 
- o que houve, Malik? - Louis perguntou 
- nada - respondi 
- sério? que eu saiba você não foi lá pra me esperar, e sim pra saber o que eu conversava com a Sullivan 
- talvez - me dei por vencido - é só que... eu não confio nela, ela pode fazer alguma coisa contra vocês sei lá 
- quantos anos eu tenho? 5? sei me cuidar... você está preocupado com o que? que eu goste dela? cara isso não vai acontecer 
- mesmo assim, olha... deixa isso quieto 
- esquece ela, é melhor pra você - disse por fim 
- eu estava até esquecendo mas... ela parece que não me deixa esquecê-la, hoje ela até falou comigo
- vocês ainda vão ter muita coisa - Louis disse revirando os olhos 
- não quero ter mais nada com ela - eu disse orgulhoso - a não ser que seja pra ferrar a vida dela
- a diferença é que... você não manda nisso 
- suspirei - vamos mudar de assunto, okay? 
- certo... tive uma ideia, pega uma garota do colégio 
- quem? 
- sabe a Megan? Líder de torcida, parece uma boa - sugeriu 
- veremos... 
Narração: Lindsey O' Sullivan 

Eu havia acabado de chegar em casa, e por um milagre meu pai estava. Fui até a cozinha, onde ele estava lendo algo e tomando um café. 
- oi pai - eu disse
- oi filha - ele sorriu - tenho uma boa, talvez má notícia isso depende de você
- diga
- vamos jantar na casa da Trisha minha namorada
- isso é bom
- mas acho que ela quer que você seja amiga do Zayn, que é o mais próximo de sua idade e você então... acho que ele estará lá
- sério pai? Não posso dizer que estou sei lá... doente?
- vamos filha, por mim? quero tanto que a conheça
- revirei os olhos - tudo bem, pai
- isso aí - sorriu animado - vamos 9 da noite, certo?
- certo - concordei - vou pro meu quarto descansar um pouco
- tudo bem, pequena 

Sorri pra ele, e subi as escadas até meu quarto. Ao chegar, me deitei na cama e fechei meus olhos. Porque a droga dessa cidade tem que ser simples a ponto de meu pai ter uma namorada cujo é mãe JUSTAMENTE do Zayn, poderia ser sei lá... mãe de outra pessoa, QUALQUER outra pessoa, quero evitá-lo, eu gostaria de tentar mudar esse meu jeito que todos chamam de rebelde.
Nem minha mãe, minha própria mãe me aguentou mais, quase nenhum colégio me aguentou mais, meus amigos de NY só eram meus amigos porque me achavam "legal" por ser a "garota problema" do colégio,e  aqui, meu único amigo de verdade é Cook, e agora, talvez os outros garotos do grupo do Malik, mas o resto... ninguém é verdadeiramente meu amigo. Queria mudar um pouco pra finalmente conseguir ficar em um colégio, e que meu pai cuide de mim normalmente e não tenha que me aturar, porque sou sua filha... mas parece que eu nunca vou conseguir isso, ficar quieta num canto, alguém tem que destruir isso, e parece que dessa vez é Zayn.
Não tenho como de fato explicar o que sinto quando estou perto dela, acho que é raiva, pelo que ele fez, e pelo que ele ACHA que eu fiz mas eu simplesmente NÃO FIZ.
Olhei para o meu celular, estava no silencioso, e havia 15 ligações perdidas do Cook, corri direto pra minha janela, e comecei a gritar seu nome, mas nenhum sinal dele.
Desci rápido as escadas, e fui até sua casa, apertei várias vezes a campainha e seu pai atendeu. 
- sim? 
- Cook está em casa, senhor Marshall? 
- sim, no quarto dele
- posso subir, ele não me respondeu estou preocupada 
- tudo bem 

Ele abriu passagem, corri até sua porta e a abri, e logo o vi de olhos fechados, deitado na cama, encolhido... estava com a respiração fraca, alguns comprimidos no chão, droga. 
- Cook, acorda! 
- sim? - ele disse baixinho 
- o que houve? - perguntei 
- sinto falta da minha mãe - sussurrou 
- você está bem? 
- tomei algumas coisas, te liguei porque achava que estava tendo uma overdose, e iria morrer... mas passou... mas eu não estou bem
- eu estou aqui  - coloquei sua cabeça em meu colo e acariciei seus cabelos 
- obrigado - ele respondeu 

Ficamos em um silêncio insuportável por alguns minutos, soltei uma lágrima, ele notou e logo se sentou. 
- está chorando? 
- um pouco... 
- por quê? 
- não queria perder mais alguém
- já perdeu alguém? 
- meu irmão... ele parecia você - eu disse baixo - era... era tudo pra mim, sempre me colocou pra cima.. divertido, mas ... ele teve uma overdose, duas vezes, na segunda ele não resistiu.. você é como meu irmão, mas não quero que tenha o mesmo fim que ele - o encarei 
- desculpa 
- não se desculpe - limpei minhas lágrimas 
- me abraçou - acho que somos dois problemáticos - ele riu baixo 
- é... só não me abandone igual todo mundo tem feito esses tempos 
- não vou, prometo 

O abracei forte, e logo meu celular tocou, não queria atende-lo, mas era Zayn, encarei a tela do meu celular confusa, e decidi deixa-lo de lado, e voltar minha atenção para Cook... 

continua...


----------------------------------------------------------------------------------------------------------
oi oi!!
Desculpa a demora, é que eu continuo extremamente sem chão depois da saída do Zayn, foda-se que eu sou Lou Girl, meu sentimento pelo Zayn era demais, é demais, porém... ah eu não sei, mas não se preocupem vou terminar a fic por total consideração à vocês, e tentar não atrasar os capítulos, infelizmente, é vida que segue, tentem não ficar mal amores, ainda temos quatro que são perfeitos e estão firmes e fortes pela gente, e total apoio ao Zayn sei que não deve estar sendo fácil pra ele... minha raiva dele passou, agora estou com pura pena e se pudesse abraçaria ele também, beijos - m