Cabeçalho

Cabeçalho

The Hunger Games ♡ 2º Temporada - 2

21 de setembro de 2014 | | | 7 comentários:


ANGEL



um rosto lindo 
e um sorriso encantador 
e um jeitinho de falar, que me pirou... 
CBJR 

CAPITULO ANTERIOR - 

- acho que vai ser díficil - comentei
- nada é impossível - sorriu

Correspondi ao seu sorriso, e me aconcheguei em seus braços, fechei meus olhos, ele apagou a luz e acabei caindo no sono.


DIA SEGUINTE 

Mais um dia clareava, mas os distritos pareciam não ter descanso, fogo, mortes, para todos os lados em cada distrito, a capital estava em pânico com que estava acontecendo, mesmo assim, não baixaram a guarda, e estavam decididos em aniquilar os rebeldes, principalmente os que causaram isso... 

NARRADORA P.O.V. 

Harry acabou acordando mais cedo que Seu Nome, a garota estava cansada, que dormia pesado, e não acordaria tão cedo. Mas Harry, mesmo sendo 7 A.M. acabou perdendo o sono, e decidiu levantar, fez suas higienes. Voltou para a cama, e olhou para Seu nome que dormia.

- até parece um anjo - disse a si mesmo - pena que não é - riu

Estava se sentindo um idiota apaixonado, talvez pudesse pensar em uma palavra mais sútil do que "idiota", porém foi a única que lhe veio a mente. Um sentimento que tão forte que chega a doer.
Tirou os cabelos que caiam sobre seu rosto, e acariciou de leve a maçã de seu rosto.
Decidiu parar de admira-la, foi até a cozinha, e para sua surpresa, Joseph estava sozinho sentado a mesa.
Harry ainda tinha muitas dúvidas sobre ele, não o conhecia, não sabia seus interesses, sua idade, muito menos de onde de fato vinha, só sabia o seu nome e que no fundo... não gostava tanto dele assim.

- bom dia - Joseph o encarou
- bom dia - Harry disse se sentado
- acordou cedo - comentou
- e você parece que não dorme - brincou
- me preocupo com o trem, durmo algumas horas, e já não consigo mais
- por que se preocupa tanto? - aproveitou a brecha para fazer perguntas
- porque sim, todos aqui são importantes
- todos? - o encarou - ou só a Seu Nome?
- como assim? - perguntou - Harry, não leve as coisas pra esse lado
- só desconfio porque não te conheço - tomou um pouco de café - talvez se você falasse só um pouco sobre você, eu confiaria, porque minha confiança não é tão difícil quanto a dela

- só quero deixar vocês seguros
- simples assim?
- Harry o que você quer saber? que merda, se eu estou ajudando, é simplesmente isso
- calma aí, só perguntei
- suspirou - eu conhecia os pais dela, era pra me casar com ela
- o quê?! - quase cuspiu o café
- sabia que não devia dizer
- não, pode esperar, quero detalhes
- Styles eu...
- não vem com Styles, me conta
- manteve o silêncio -
- não conto pra ela, juro
- jura?
- sim - assentiu
- okay - tentou relaxar
- não é meio velho pra ela? deve ter quase 20 e poucos
- 25 anos... a familia dela e a minha se gostavam muito, fizeram uma pequena aliança, e me prometeram ela, mas não estou aqui por isso, é só porque... quero protegê-la, provei isso pro James, e ele acreditou em mim, não iria estragar essa chance
- não sabia que ainda tinham esses costumes
- alguns tem, a familia dela era uma dessas, mas não era obrigado, se ela não quisesse não aconteceria, mas a tia dela nem sonhou que ela seria tão...
- única - completou
- é... os pais dela sabiam, por isso não prometeram de verdade, só foi uma pequena "promessa que poderia ser quebrada"
- isso é bem louco, estranho
- não vou mentir, no começo gostei dela por causa da personalidade, acho que é meio difícil não gostar
- e agora?
- ela parece gostar de você de verdade - desviou o olhar - e eu não vim aqui pra atrapalhar, mas para ajudar
- eu sei... só é estranho isso, e nada confortável de escutar
- sei bem, mas respeito tanto ela quanto você, não se preocupe comigo
- espero que não - terminou de comer
- é sério

Joseph estava bem sério, e para Harry até que parecia bem convincente, mas se tem algo que ele aprendera na capital é que "nem tudo que parece é", porém queria acreditar nele, pois Joseph parecia um cara que valia a pena confiar.

- vou deitar mais um pouco - Harry disse se levantando
- acho que depois chegamos no distrito 13, deve estar um caos
- tudo bem, lidamos com isso
- está bravo comigo? - riu - Harry, já sou mais velho, não sou um dos seus amigos que vai roubar sua namoradinha - riu

- não deveria ser divertido
- tudo bem, desculpe
- foi mal, só algo estranho que senti... bem, depois nos vemos.

Harry saiu dali, e foi de volta para o quarto, onde avistava Seu Nome saindo do banheiro, ainda coçando os olhos parecendo ter acabado de acordar.

- bom dia - ela disse sonolenta
- bom dia - Harry respondeu voltando a se deitar - acordou cedo...
- tive um sonho ruim
- ah...
- tudo bem? - perguntou
- sim, por que da pergunta?
- não sei, você costuma ser o bem humorado pela manhã - se deitou ao seu lado
- essa manhã não estou muito
- algum problema?
- talvez eu não vou muito com a cara do Joseph
- até que eu acho ele legal - Seu nome disse

A garota falou na inocência, nem sonhava que Harry havia acabado de ter uma conversa um tanto tensa com Joseph. Ele olhou para ela, e apenas desviou o olhar, mas manteve o silêncio, pois prometeu a Joseph que não diria nada, e não seria agora que começaria a quebrar promessas.

- com o que sonhou? - Harry perguntou
- sonhei que você estava me abandonando, foi estranho...

Harry engoliu em seco, e soltou um alto suspiro.

- ei - ela o cutucou - não fica preocupado por essas coisas - riu - temos problemas maiores
- voltou a encara-la - me sinto egoísta demais com você por perto
- por quê? - perguntou
- por querer você só pra mim, quero acabar com qualquer cara que ameace a encostar em você, ou te olhe de outra forma, me sinto egoísta por querer você só pra mim, pra maioria dos casais isso é normal, mas você tem um jeito tão... livre de ser, que me faz sentir egoísta de querer te ter só pra mim

Nos lábios de seu nome, formou-se um sorriso envergonhado, ela que olhou fixamente nos olhos dele a cada palavra que ele dizia, desviou o olhar, pois não sabia o que dizer. Ficaram um leve tempo em silêncio.

- você tem razão, sou livre mesmo - voltou a olha-lo nos olhos - mas até parece ser divertido ser apenas sua - sorriu de canto

Harry acabou sorrindo, ela se aproximou e selou seus lábios, o beijo era calmo, ela rompeu o beijo, mas logo ele tomou seus lábios violentamente e lhe deu um beijo intenso. A garota acabou ficando por cima dele, Harry sentou-se e seu nome ficou em seu colo.
Romperam o beijo, Harry colou suas testas, com suas respirações descompensadas pelo folego que o beijo havia lhes tomado. Seu nome, puxou o garoto pela nuca, e voltou a beijá-lo, sentiu suas mãos por baixo de sua blusa, subindo até seus seios cobertos pelo sutiã, os apertou de leve, fazendo a garota arfar entre o beijo.
Styles rompeu o beijo e se livrou da blusa de Seu Nome, que fez o mesmo com a dele. Ele distribuiu beijos pelo pescoço dela, que fechou os olhos sentindo os lábios de Harry descerem pelo seu corpo.
Harry trocou de posição ficou por cima dela, roçou seus lábios pela barriga da garota, e desabotoou seu shorts, o tirando e o jogando no chão.
Seu Nome olhou nos olhos verdes de Harry, e mordeu o lábio inferior o provocando.
Ele puxou da pequena gaveta ao lado da cama, uma camisinha (pequena dica que James lhe deu alguns tempos). Voltou a beijar intensamente os lábios de Seu Nome, as mãos da garota, foram até sua calça, desabotoando, ele rompeu o beijo e se livrou da mesma.
Harry abriu o sutiã da garota, tendo a visão dos seios, distribuiu pequenos beijos, o que faz a garota, bem baixo, dizer seu nome.
De surpresa, Seu Nome, sentiu as mãos do Styles arrancaram sua calcinha, e lhe penetrar, ele abafou o som com um beijo, pois não estavam sozinhos no trem, mas adoraria escuta-la gritando seu nome.
Seu Nome, arranhou suas costas, ao mesmo tempo que sentia certa dor, sentia um prazer imenso, com as respirações já descompensadas, e Harry com movimentos cada vez mais rápidos, notou já o suor correr pelos seus rostos, e o cansaço lhes tomar.
Porém ela ficou por cima dele, e rebolou em seu colo, fazendo o garoto virar a cabeça e morder com força o labio inferior para não gritar.
Chegaram depois, a ápice. Deitaram-se lado a lado, olharam o teto branco, apenas com um lustre simples, tentando se recuperar.

- eu nunca quero te abandonar - Harry disse

SEU NOME P.O.V.

Sorri pra ele, só espero que nada mais dê errado entre nós.
Nunca pensei que sentiria um desejo tão grande por alguém, igual sinto por Harry, isso me assusta, apenas uma pessoa me tem em suas mãos. Mas acho que ele não deve se sentir diferente.
Depois de minutos ali deitados, tomamos um banho, e resolvemos voltar a cama, Harry dormiu, mas eu não conseguia dormir, me mantive acordada, abri as cortinas, olhei para a paisagem, que passava rapidamente pela janela.
Me recostei na parede, e olhei para Harry que dormia na cama. Sorri de canto, e continuei ali o admirando.

- pois é Seu Nome.... você está apaixonada - disse a mim mesma

Queria que minha mãe estivesse aqui, para que eu pudesse ser uma adolescente normal, e chegar nela extasiada dizendo que estava apaixonada, e que meu pai estivesse aqui, para que querer conhecê-lo, e lhe dar um breve susto como "se quebrar o coração da minha filha eu te quebro"
Mas a realidade é diferente, estou apaixonada em meio de uma guerra...
Saí do quarto, fechando a porta com cuidado, e encontrei Joseph sentado no sofá parecendo ler um mapa.

- Bom dia, Joseph - sorri
- Bom dia - me encarou e sorriu
- lendo mapas agora? - brinquei
- só vendo algumas coisas, não se preocupe com isso agora
- tudo bem... e James? notou se ele está melhor
- acordou, mas dormiu de novo, está cansado, porém bem
- melhor.... estava preocupada
- eu notei, mas vai ficar tudo bem
- eu espero - desviei o olhar
- sente falta de todos não é?

Era bem estranho a forma que Joseph na maioria das vezes parecia me conhecer super bem, mas nunca me abri sobre meus sentimentos com ele.

- sinto, de cada um, mas a saudade da minha irmã ainda está grande demais - suspirei - nunca vou aceitar, vou muito injusto
- te entendo
- já perdeu alguém?
- sim, meu pai... tinha 10 anos
- lamento
- é... mas fingimos que passou
- não vou fingir que passou
- então o que vai fazer?
- vou vingar minha irmã, e cada pessoa que teve sangue derrubado por culpa da capital.


-----------------------------------------------------------------------------------------------

OI OI! TUDO BEM, GENTE LINDA? <3 
PRIMEIRO, vou agradecer por vocês serem tão fofas e amáveis comigo sempre nos comentários, :3 
segundo, mals demora, e sei que to devendo continuação dos mini imagines, mas criatividade tá meio foda, porém fazer o que.. mas não quero deixar aqui algo aqui sem nenhuma qualidade u.u 
mas, se vocês acharem que o capitulo sei lá estiver chato, pode falar <3 CBJR NO COMEÇO PQ ME INSPIROU NESSE CAPITULO NÃO SEI PORQUE, PQ NEM TEM MUITO HAVER, MAS SLÁ, ADORO ESSA MUSICA. 
JOSEPH MORGAN ALWAYS NO CAPITULO PQ EU AMO ESSE HOMEM :V 
bem gente, é isso, espero que tenham gostado e não fiquem bravas comigo haha, beijo - mi 



Viva se conseguir ou morra tentando - interativa

20 de setembro de 2014 | | | 8 comentários:



Viva se conseguir ou morra tentando









Capítulo 1


   

P.O.Vs

       Hoje com certeza é o dia mais feliz da minha vida! Casei com meu grande amor e estamos de partida para nossa Lua de Mel. Vai ser tudo maravilhoso tenho certeza que sim, vamos aproveitar o máximo. Pego minhas malas no nosso quarto porque  já me espera lá embaixo.

: Vamos amor, o voo sai daqui 2 horas. - gritou -
: To chegando benzinho. 


     Trouxe as malas quase caindo e tropeçando nos meus pés, quando  viu foi correndo me ajudar com aquela cara de bobo que ele faz toda vez que está perto de mim. Eu sorrio sinceramente pra ele e digo irônica:

: Está se saindo um bom marido deixando as malas pra mim trazer. Se continuar assim serei uma mulher de sorte.
: Ha.Ha.Ha. Engraçadinha você não? Pois fique sabendo mocinha que eu vou ser o melhor marido do mundo!
: Eu sei que vai bebê - beijei ele -
: Agora vamos.
: Calma, calma. Vamos tirar uma foto primeiro.
: Ta bom, tudo por você.
: Ao dia mais feliz de nossas vidas!
: Exatamente.

        Coloquei a câmera em cima do carro e programei pra tirar a foto depois de 10 segundos. Fizemos uma pose e tiramos nossa primeira foto de casados.


: Agora Vamos!
: Ai homem é tudo apressado mesmo.
: - sorriu -

      Tiro isso pelo meu pai, quando era menor ele vivia me apressando pra ir pra escola, ficava lá buzinando de segundo em segundo. Eu sou uma garota poxa! Preciso arrumar cabelo, maquiagem. Isso leva tempo!  dirigiu até o aeroporto onde um chofer levou o carro de volta pra casa. Eu não poderia estar mais feliz.  comprou entradas pra um Hotel que ele diz ser o melhor das ilhas Caraíbas. Pra quem não sabe são ilhas que ficam no Caribe.

   Vai ser ótimo não fazer nada, passar o dia na praia com meu amor, ter jantar pronto na hora que eu quiser, bolos, massagens, cabeleireiro, manicure, pedicure. Ain isso é muita mordomia pra uma pessoa só, ainda mais se essa pessoa for eu. Depois de exatas 7 horas de voo, finalmente chegamos.  O lugar realmente era incrível, o fuso horário mudou então aqui deve ser umas 05:50 hrs da manhã. O dia está clareando.

     alugou um carro perto do aeroporto e a partir daqui vamos de carro até o hotel. Não estou certa de que  conhece o caminho então acho melhor eu perguntar.

: Amorzinho você sabe como chega no hotel?
: Não, mas eu tenho o mapa em mãos.
: Acho melhor pedirmos informação. Estamos na Cidade mesmo.
: Informação? De jeito nenhum! Eu consigo chegar lá sem ajuda.
: O que vocês homens tem contra pedir informação?
: Nada, só sabemos que somos completamente capazes de conseguir isso sem ajuda.
: -sorri forçado- Vamos pedir informação!
: Mas.... Ei volta aqui, não se atreva a descer desse carro! É ela já desceu!

     Desci do carro e perguntei a um senhor que estava em uma barraca de frutas aonde ficava o Hotel Stanley:

: Com licença senhor, pode me dizer aonde fica o Hotel Stanley?
Senhor: - arregalou os olhos - O Hotel Stanley?
: Ér... Sim, algum problema?
Senhor: Você é tão jovem, vou te dizer uma coisa querida. Cuidado.
: Porque?
Senhor: Aquele lugar esconde segredos jamais desvendados, corra, fuja. Fique longe daquele lugar! - Ele falou em um tom de voz mais alto -
: Eu não estou entendendo o que o senhor quer dizer.
Senhor: Morte, desgraça, choro.
Xx: PAI - gritou -

       Levei um susto, um rapaz forte e alto chegou gritando com o pobre velhinho.  O que ele quis dizer com morte e desgraça? O velhinho olhou pra mim uma última vez antes de ser mandado ir pra dentro pelo seu filho, o qual tomou o lugar dele e me perguntou de cara feia.

Xx: Em que posso te ajudar?
: A... Ér... O que seu pai quis dizer com morte e desgraça?
Xx: Ele é só um velho, não sabe o que diz! Diga logo o que você quer!
: Amor, vamos eu sei que posso chegar. Ah oi? -sorriu pro rapaz que não falou nada-
: Só estamos tentando chegar ao Hotel Stanley.
Xx: Sigam essa estrada e então vire na segunda rua de terra que aparecer a esquerda. Então siga reto por uns 15 Km e vai chegar lá.
: Obrigada -sorri gentilmente apesar do medo-.

       Saímos dali e  passou os braços envolta da minha cintura andando comigo até o carro, então me falou:

: Não gostei daquele cara. O que ele te disse?
: Ele nada, mas o pai dele sim.
: O que?
: Ele disse pra fugirmos, e falou de morte, desgraça. E algo sobre um segredo jamais desvendado naquele hotel.
: Que velho bizarro. Não liga não.
: É - abaixei a cabeça -
: Amor, não vai ficar com medo de uma coisa dessas não é? Isso é conversa pra boi dormir.
: Mas ele parecia tão sério.
: Esquece isso tá? Essa vai ser a melhor semana de todas, nada vai estragar nossa felicidade.
: Ta bom - sorri –

        Depois de seguir todas as instruções finalmente chegamos. O hotel realmente é incrível, tanto por fora quanto por dentro. O sol ainda ainda não estava totalmente no céu o que indica que temos o dia todo pra nos divertir depois do almoço porque claro agora iremos descansar.     

    2 Horas depois....

P.O.Vs

      Depois de descansar não há nada melhor do que uma praia. Tem uma bem aqui pertinho que e eu vimos no caminho. Pego um biquíni dentro da minha mala enquanto faz não sei o quê.

pega meu protetor solar, não quero ficar toda queimada.
: Aonde que está?
: Na minha bolsa de mão. Vou colocar um biquíni já volto.

      Entro no banheiro e coloco meu biquíni, já me viu milhares de vezes não sei exatamente porquê inventei de trocar aqui no banheiro, enfim coloquei o biquíni e saí. Ele me olhou de cima a baixo com um olhar reprovador.

: Qual o problema? Estou muito ruim?
: Você está muito boa isso sim. Boa até demais com esse micro biquíni.
: Já sei, vai me fazer tirar ele?
: Tá brincando? Claro que não! Você é só minha e quero que todos os homens sintam inveja. Eles tem que ver isso.
: Às vezes eu acho que me casei com um louco.
: Ei! Mais respeito com a minha pessoa.
: Perdoe-me senhor .
: Assim está melhor. Agora ‘vambora porque a gente precisa aproveitar nosso primeiro dia de lua de mel.
: Querido?
: Fala amor.
: Seja um cavalheiro e leva minha bolsa!
: Ah sim. Por que não me pediu antes?
: Por que você deveria saber que devia levá-la. Agora anda vai logo.
: Sim senhora bravinha.
: O quê?
: Nada não amor, vamos?

    Ele pegou minha bolsa e nós fomos pra praia. Ah o dia está lindo. E com esse sol vou conseguir pegar um bom bronzeado. quando viu a água saiu correndo e me deixou sozinha. Que ótimo marido ele é hein. parece mais um menino de 14 anos. Eu gosto desse jeito dele, é assim que eu me apaixonei por ele. Mas poxa eu queria que alguém passasse bronzeador em mim! Como vou fazer isso sozinha?

Xx: Olá - sorriu -
: Oi - sorri de volta -
Xx: Precisa de ajuda com o bronzeador?
: Ah não obrigada.
Xx: Sou o Colin.
:  
Colin: Está sozinha?
: Na verdade....
: Não ela ta comigo. - fez cara feia -
Colin: Tudo bem. Não deveria deixar alguém tão bonita assim sozinha. 
: Tá eu vou me lembrar disso. Agora se me der licença.
Colin: Claro.
: Credo , por que ser tão grosso com o rapaz?
: Ele tava de olho na minha mulher mano.
: - sorri - Aproveitando que você está aqui. Passa em mim?
: Será um prazer.

      passou o bronzeador em mim e ficou o resto da tarde ao meu lado. Engraçado como ele não me desgrudou mais. Sinceramente foi muito bom receber um elogio de outro cara, aliás sempre é bom receber um elogio. No fim da tarde voltamos para o hotel e meu Jesus Cristinho! Como aquele lugar ficava medonho nessas horas.

Capítulo 3

          Entramos e fomos direto tomar banho. Eu e tomamos banho juntos e não vou contar das partes intimas pra vocês, enfim nos vestimos e fomos até onde a comida era servida. A variedade de comidas era incrível. Eu não sabia o que pegar de tanta coisa que tinha, por fim acabei pegando um pouco de cada, mais , está me fazendo passar vergonha. Ele encheu o prato dele com tudo e depois repetiu. Eu realmente não sei pra onde vai tanta comida.  

        Seria muita coincidência dizer que Colin é do mesmo hotel que a gente? Incrível, logo quando o viu fechou a cara. E ficou mais emburrado ainda quando Colin veio conversar comigo na nossa mesa. Claro que eu sorri e conversei com ele porque sou uma pessoa educada!

Colin: Heyy, parece que o destino está nos cruzando.
: É parece que sim.
: Infelizmente.
Colin: Posso me sentar com vocês?
: Não!
: Claro! - me fitou de cara feia - 
: Mais já estávamos quase de saída. 
: Quase, porque eu ainda não terminei meu jantar.
Colin: Que ótimo, podemos terminar juntos.

        Colin se sentou à mesa conosco e começamos a conversar. Eu e ele claro porque não disse uma palavra a não ser 10 minutos depois me chamando pra ir embora pro quarto. De tanto ele insistir eu fui. O que foi uma pena porque a conversa estava tão boa, Colin parece ser uma ótima pessoa.

: Eu não gosto dele! - falou abrindo a porta do quarto -
: Para de implicar com o rapaz .
: Implicar? Ele dá em cima de você e você chama isso de implicar?
: Ele não dá em cima de mim, e podemos fazer outra coisa ao invés de falar nisso?
: Tipo o que? - sorriu maliciosamente -
: Eu não sei mas, comprei uma lingerie nova.
: É mesmo?
Aram.
: E será que eu posso ver?
: Claro, mais vai ter que tirá-la de mim porque estou com ela.
: Isso será um prazer.

        me jogou na cama beijando-me selvagemente e tirando minhas roupas, estava tudo indo bem até que o abajur cai no chão espatifando-se. Paramos com o susto e se levanta de cima de mim pra acender a luz do quarto já que ficou tudo escuro.

: Como ele caiu?
: E-Eu não sei, vai ver estava na ponta.
: Na ponta ? Ele tava aí a horas porque só caiu agora? - meu coração batia forte-
: Amor, você não ta pensando no que um velho falou está?
: Ele foi bem claro pra mim .
: Esquece isso. É só um abajur, vou pegar a vassoura pra limpar e depois pagar pelo prejuízo.
: Vai me deixar aqui sozinha?
: Qual o problema?
: Nenhum - suspirei - Vou tomar um banho pra quando você voltar a gente terminar. O que começamos.
: Eu ia adorar. - sorriu -

        Ele saiu e eu entrei no banheiro, liguei o chuveiro no mais quente que podia ficar e comecei a me lavar, quero ficar bem cheirosa pra quando voltar. Confesso que fiquei meio assustada com o que acabou de acontecer mas tem razão, foi só um abajur e além do mais a gente tava sacudindo bem ali perto. Escuto a porta do banheiro se abrir e sorrio involuntariamente. Deve ser que chegou pra tomar banho comigo. Ele foi rápido.

é você? - sorri -

     Eu estava olhando do boxe pra porta e vi uma sombra se aproximar, gosta de ser misterioso. Ela chegava cada vez mais perto e então parou perto do espelho. Porque está com uma faca na mão? Ai Meu Deus. Eu grito e na mesma hora a faca é arremessada contra o espelho quebrando-o, abro o boxe e não há ninguém lá. Apenas a faca ensanguentada cravada no espelho para segurar um bilhete. Pego o bilhete tremendo enrolada no roupão de banho e leio:

    "Nunca ouvem o que o velho tem a dizer não é mesmo? Agora sofram as consequências e saiam vivos se conseguirem. E não tentem fugir, será pior."

: Ah Meu Deus. - sussurrei -

    entrou correndo no banheiro e me olhou espantado contemplando o banheiro. Ele me fitou e me abraçou no momento em que lágrimas escorreram dos meus olhos. Ele tirou o bilhete das minhas mãos e leu, então olhou pra mim novamente e perguntou:

: O que isso quer dizer? O que aconteceu aqui? Você está bem?
: E-Eu não sei, eu só vi uma sombra, de um homem e aí ele ergueu a faca e quando eu gritei ele a cravou no espelho e sumiu.
: Você tem certeza?
: Sim, estou com medo.
: Tudo bem vamos sair daqui agora.
: Mas e o bilhete?
: Dane-se o bilhete, vamos sair daqui. Se troca.
: Ta bom.

      Peguei a primeira roupa que vi e coloquei, não tirou os olhos um segundo de mim, é como se estivesse me protegendo. Ele pegou minha mão e então saímos do quarto. E no mesmo instante nos arrependemos. As pessoas corriam desesperadas e não sabemos porquê. Uma menina passou pela gente gritando que queria ir embora pra casa dela. O que está acontecendo aqui?

      Apertei a mão de e ele me puxou pro quarto de volta fechando a porta, correu até a janela para abri-lá mais estava trancada, por dentro e por fora.

: Que droga! - gritou -
: O que vamos fazer?
: Eu não sei - suspirou -

    Ele me pegou pela mão novamente e saímos no que parecia ser um hospício com gritaria e correria, descemos as escadas e havia um corpo pendurado com uma corda bem no meio da sala de estar, a visão era terrível.

: Não olha pra isso ta?

     Assenti e ele correu até a porta tentando abri-lá, assim como outros três caras tentavam. Onde está Colin? Ah Meu Deus será que aconteceu alguma coisa com ele? Ouvi um grito estridente, e sobrenatural até. Não era o grito de uma pessoa, era diferente, me desesperei e corri até , puxei ele pra cozinha.

: O que está fazendo?
: Eu preciso de uma faca!
: Pra quê?
: Pra me prevenir, não vou morrer sem lutar.
: Morrer? Nós não vamos morrer. Ah Meu Deus isso é só um sonho. Daqui a pouco vamos acordar.
: Eu espero mesmo, mais enquanto isso não acontece vamos nos prevenir.

     Peguei uma faca e pegou outra pra ele, uma menininha muito bonitinha apareceu na nossa frente chorando e falou:

Xx: Mataram minha mamãe, mataram minha mamãe.
: Ah Meu Deus eu sinto muito, quem fez isso com ela?
Xx: O homem mal.
: Homem mal? Que homem é esse?
Xx: O homem mal, muito mal - chorava - Não me deixa sozinha.
: - ela me abraçou - Não vamos te deixar sozinha ta bom. Cadê seu papai?
Xx: Eu não sei, o homem mal pegou ele também.
: Está tudo bem, vamos cuidar de você. Qual seu nome?
Xx: Lindsey.
: Eu sou , e este é . - ele acenou pra ela -

    Puxamos Lindsey com a gente e ficamos na sala, aos poucos todos estavam reunidos na sala, a maioria eram jovens mais também tinha uns 3 idosos, dois senhores  e 1 senhora.

 Os rapazes tentavam um plano de fuga enquanto eu ficava abraçada com Lindsey em um canto mais afastado da sala. Ela me contou sobre sua vida. Lindsey tem apenas 5 anos e é uma menininha bastante esperta. 

    Estávamos todos lá, engraçado como nos conhecemos melhor em situações difíceis. Em um momento como aquele consegui quatro novos amigos. Travis, Ludmila, Trenton e Cristina. Eles parecem ser bem legais. Cristina e Trenton são irmãos, enquanto Ludmila e Travis estão em Lua de Mel assim como e eu. Tudo parecia bem, até que o grande lustre que ficava no meio da sala caiu de repente. Haviam três pessoas aonde ele caiu e agora não passam de carne moída. O sangue espirrou por todo meu corpo e minha roupa.

      me olhou preocupado, ele também estava com muito sangue, na verdade todos os sobreviventes ainda estavam, até os mortos no meio da sala óbvio. Puxei Lindsey pra que ela ficasse de pé ao meu lado. Abracei ela que chorava assustada. Era exatamente isso o que eu queria fazer mais precisava ser forte pra passar essa força pra ela.


     De repente a porta se abriu com um vento inexplicável, todos olharam pra ela assustados e esperando o pior, mas nada aconteceu, não na porta pelo menos. Mas aqui dentro com certeza. correu pro meu lado abraçando a mim e a Lindsey. E então algo aconteceu...
----------------------------------------------------------------------------------
Postei essa longfic no MEU TUDO 1D há um tempo atrás e agora estou postando ela aqui como interativa, originalmente eu a fiz com o Harry. Enfim, espero que gostem quem ainda não tinha lido lá. Só quero recompensar vocês por estar sem tempo pra postar Gardênia. Amo vocês

Give me Love – Capitulo 19 – I saw everything...

| | | 4 comentários:

Narrador ON:



No outro dia Seunome já acordou confusa, bom, no meio da noite por conta das cenas que não saiam de sua mente, seu beijo com Liam e com Josh ficaram durante a noite a atormentando e tirando o sono, porque afinal “qual deles escolher?” a pergunta que mais a perturbou durante a noite toda, não inteira completamente, conseguiu dormir por algumas horas, mas não direto, acordou o tempo todo do nada, sem pesadelos sem nada, simplesmente abria os olhos as cenas voltavam em sua mente e a faziam ficar acordada por mais um tempo até dormir novamente e assim sucessivamente, quase toda hora...
A garota de todas as formas tentou aliviar sua cara inchada, não era de passar maquiagem, não curtia muito porém sua cara estava horrível e não ia pra escola da maneira como estava acabaria assustando alguém, sem duvidas. Se maquiou, muito bem pra quem quase não pratica. E então desceu e o cheiro de café recém feito já possuía todo o andar de baixo.



-Bom dia – disse calma.

-Bom dia querida. Dormiu bem? – Seunome pensou “tão bem que to até com vontade de voltar pra cama...”

-Aham... – foi apenas o que saiu no momento.

-E como é que foi ontem? – Seunome estava sentada de costas, já cortando um pedaço de bolo que estava na mesa.

-Ontem? – ai ela se lembrou que sua avó conhecera Josh, e que permitiu que ela fosse no cinema com ele – Ah... Foi legal. – Não queria falar sobre isso, já estava de saco cheio, não conseguia se decidir, então ela tentou evitar pensar sobre.

-Só? – “droga!” seunome pensou, não ia conseguir escapar, era obivio que ela queria saber e era mais obvio ainda que ela ia ter que contar.

-O filme, foi incrível. Muitas cenas de ação e ficção, você sabe... Amo isso! – ela não desistiria tão fácil e falaria de uma vez, por isso deu mais uma volta, também pra ver se ela percebia e desistia de perguntar.

-Gostei do Josh, ele parece ser bem legal... – "era estranho ouvir uma senhora de idade,  dizendo a palavra “legal” é de uma maneira louca, estranho." Seunome pensou.

-Ele é mesmo.

-Esta namorando com ele?

-O que? Não!!-  "Ainda" Seunome pensou, mas logo Liam voltou a sua cabeça, ela não conseguia se decidir, os dois eram tudo de bom, e ela nunca imaginara que isso seria um problema. - já vou... - disse se levantando - te vejo depois da escola vó, beijos. 

- Não quer levar pra... - Seunome saiu logo, não queria mais ficar ali e correr o risco de ser bombardeada de perguntas novamente.

Havia combinado com Liam uns dias atrás de se encontrarem 7:00 e pegarem o ônibus juntos, mas hoje ele não estava lá, talvez não fosse, mas estranho Liam costumava mandar mensagem, talvez tivesse perdido a hora. Seunome esperou ate o ônibus chegar, não podia se atrasar a prova de Química seria logo na primeira aula, ela sentiu falta da companhia de Liam no caminho, mas tentou não pensar nele. Talvez hoje não o vê-lo seria bom, assim não ficaria com aquilo tudo na cabeça, relaxar e pensar a faria bem. Assim que chegou na escola, o portão estava quase se fechando, então correu, e continuou correndo pra chegar logo na sala, o professor de Química não era um cara chato, a maioria dos alunos gostava dele, ele era bem mongo, mas era muito engraçado. Quando chegou na sala ate deu interrompeu seus passos por uns segundos quando viu, ele estava lá, olhando pela janela, serio. Seunome sentou no único lugar que tinha lá, estava longe de seus amigos mas nem tanto, o professor já começara a prova. 
Olhou pra traz de novo pra ter certeza de que tinha visto certo, e dessa vez Liam olhou de volta pra ela, mas desvio o olhar calmo de novo, voltando a olhar por fora da janela, Seunome percebeu que algo devia ter acontecido ele estava estranho, a ignorou completamente, ele nunca fazia isso, sempre a cumprimentara nem que fosse um sorriso ou um olhar carinhoso, “porque diabos ele está assim?” saiu de seus devaneios com a movimentação de Allana lá atrás, ela sorriu e mandou um oi, assim como Cindy, ela acenou rápido e virou no susto quando o professor de Química colocou a prova em sua carteira.

 Após as duas primeiras aulas, que era a aplicação da prova ela finalmente conseguiu ir falar com suas amigas, mas no momento em que se virou pra levantar, um vulto passou rapidamente por ela, a passos pesados e rápidos, Liam saiu da sala. Dos outros meninos apenas Harry havia faltado, mas isso era bem comum ainda mais numa segunda-feira. O que realmente intrigava Seunome era Liam e sua maneira de agir, ainda olhava pra porta na qual ele havia passado passando varias cenas em sua cabeça e esperando achar seu erro mas nada lhe vinha, "Pode ser que Geoff tenha pegado pesado no sermão pra ele..." pensou Seunome, mas não tinha sentido ele a ignorar daquele jeito. Cindy a despertou dos pensamentos quando a chamou.

-Hey – Cindy a chamou, e ela foi em direção a elas –Acordou atrasada?

-Demorei pra me arrumar... – falou, virada ainda olhando pra porta e tentando descobrir porque Liam continuava a evitando.

-É, quis caprichar hoje pelo visto... – disse Louis, a examinando sentado, ou melhor largado na cadeira – Motivo especial? – ergueu as sobrancelhas curioso e debochado.

-Não... Porque quis mesmo!

- Uhum, sei... – ele disse num tom de voz que fez Seunome perceber que ele sabia de algo, porém não ia falar, então a garota decidiu ignorar ele, afinal estava mais preocupada com o cara que voltava pela porta, o observou vindo, com os braços balançando em ritmo com o corpo que agora por conta dos treinamentos de basquete parecia mais ereto, os ombros e braços mais fortes, o que fazia a manga de sua camiseta ficar apertada deixando-o ainda mais sexy,  e com cara de poucos amigos, Seunome ficava encantada em como ele conseguia ser completamente lindo ate emburrado.
Ele simplesmente se sentou em seu lugar, seunome achou melhor deixa-lo lá pelo menos até o intervalo, afinal o próximo professor tinha acabado de entrar.

Quando o intervalo chegou, Seunome percebeu que Liam ia sair rápido da sala e a ignorar de novo, então saiu na frente e quando ele passou pela porta ela o parou, não gostava daquela atitude, e ainda mais sem razão nenhuma dele estar agindo daquela maneira.

-Hey! Você não pode me ignorar pra sempre...

-Mas posso tentar! – nessa hora ela viu que parecia ser bem pior do que ela imaginara – Posso? - disse já saindo.

-Não! Não pode! – ela disse resistindo, ele revirou os olhos – Liam... – disse calma – o que eu te fiz? – colocou muito ênfase na ultima palavra, primeiro por que não entendia e segundo pra ele perceber que ela não estava entendendo nada.

-Daqui 5 minutos, no ginásio. – foi apenas o que ele disse, e saiu por entre a multidão de alunos que andava rápido em direção ao pátio. Seus amigos saíram da sala logo em seguida.

-Cadê o Liam? – Niall perguntou a você – Achei que ele estava aqui com você...

-Na hora em que eu saí, ele sumiu no meio de todo mundo.

-Ah... – ele pareceu preocupado – ele ta estranho hoje. Eles seguiram por pátio junto com todos mas seunome desviou entrando no banheiro, Allana a seguiu, o que Seunome não queria, entrou em um dos box e ficou lá um bom tempo, quando saiu sua amiga não estava mais no banheiro, ela cansou de esperar e achou que Seunome já tinha ido, era exatamente o que ela queria e quando saia pela porta do banheiro, Cindy entrava

-Ah, você ta aqui! – ela disse animada, como era normal – Me espera? Eu só vou lavar as mãos.

-Ok... – disse e ficou do lado de fora esperando, mas queria mesmo era correr pro ginásio.
-Pronto!

-Ah, Cindy... Eu tenho muito que ir, a biblioteca, peguei um livro emprestado e vou pedir mais uma semana...

-Ok, mas não demora ta?! – disse e saiu. 



Seunome não pensou duas vezes e correu pelos corredores em direção ao ginásio torcendo pra que nenhum inspetor a pegasse e a parasse pra uma bronca, ou ate mesmo advertência por correr daquele jeito pela escola. Ninguém, nem se quer um sinal de vida, estranho, mas favorável.

-Cheguei – disse ofegante.  Mas não havia ninguém lá. Ela foi então a passos rápidos pro vestiário, não fazia ideia de onde ele poderia estar, mas saiu procurando, voltou até o pátio procurando por ele pelos corredores que passava naquela escola imensa. Nada.

Quando chegou no pátio, inventou uma desculpa qualquer relacionada a biblioteca, pra todos, e continuou procurando Liam nos arredores, mas com o tanto de gente que estava lá, era uma missão impossível. Voltou pra sala, e Liam já estava lá, ele a olhou com desgosto, o pior de tudo para seunome era não saber o que estava havendo pra ele estar daquele jeito, ele falava com Niall, o amigo provavelmente questionara a causa daquele comportamento, mas pelo humor de Liam as respostas foram curtas.

O resto das aulas passaram rápido, era o que seunome queria, que todas elas se fossem, que todos se fossem e ela conseguisse ficar sozinha com ele, e conversar.

Na confusão que estava, ela conseguiu o puxar para dentro do armário de vassouras do zelador, o mesmo no qual eles haviam se beijado, só que dessa vez o motivo era diferente.

-Qual é? – ele disse assim que foi puxado – o que você quer?!

-Liam! Eu só quero saber, o que ta acontecendo com você?! – disse no começo nervosa, mas ao desenrolar da frase se acalmou mais.

-Eu ia te explicar naquela hora, mas você só me deixou esperando... como sempre.

-Eu tava tentando despistar as meninas, eu corri pra chegar no ginásio mas quando cheguei, você já tinha saído.

- Fala a verdade! Para de mentir! Niall me disse que você não estava com elas... – Seunome ficou em duvidas quanto ao inicio da frase, ele havia colocado tanta ênfase em “Para de mentir!” que ela achou que pudesse ter outro sentido.

-Porque eu tava correndo que nem uma desesperada pelos corredores! Indo ate você! – disse agora alterada do começo ao fim.

- Não! Porque devia estar ocupada demais conversando com seu namoradinho pelo telefone e dizendo como foi bom o cinema ontem com ele! – ele jogou de uma vez e a ficha de Seunome caiu. Ela não disse nada apenas encarava Liam vendo a raiva nos olhos castanhos do garoto.



 – Eu vi tudo Seunome! - e então ele abriu a porta bruscamente ao lado deles e saiu nervoso.

A garota se sentiu completamente culpada com aquilo. Não queria que acontecesse, não queria magoar nenhum dos dois, mas simplesmente não conseguia se decidir. 

CONTINUA........ 




Heeey \0
Ja vi pessoas confusas mas Seunome é outro nível djsfjkfkjajvfd 


Cap pequeno mas, semana de provas são sempre um saco... 
Espero que gostem ;DD

Malikisses <3 

♠ Rocket Love - Capítulo 8: Foguete ♠

19 de setembro de 2014 | | | 56 comentários:
~Narradora ON~

~Gente, eu queria que quem não segue o blog ainda, siga pfvr, belê? Para dar um apoio aí para nosso trabalho~



 Música Alta, jovens, álcool, sem regras. Que combinação explosiva. Naquela noite, muitas coisas aconteceram. Depois de dias sem coisas a fazer, o clã finalmente teve serviço, faturou alto na festa dos irmãos Hemmings. Niall, Jake e Zayn foram encarregados de entregar a mercadoria mas ambos também curtiram a festa. Drew ficou com Angel, os dois pareciam cão e gato quase sempre mas dessa vez Chadwick disse que tinha algo legal para a garota. Ela encheu os olhos quando viu as folhinhas verdes e secas, que exalavam um cheiro que ela conhecia, mas melhorado. Era maconha da melhor qualidade. Foi assim que passou sua noite de quinta feira. Não ficou sabendo para onde Drew foi, provavelmente para a festa com seus amigos.

Ao degustar o baseado que ganhara, alguém veio a mente da garota. Um par de olhos castanhos... Balançou a cabeça jogando aquela imagem o mais longe que conseguia.


Liam, alvo dos pensamentos da garota, passara sua noite do lado de sua namorada, aproveitaram que o Internato ficou as moscas e a menina foi para seu quarto. Os dois trocaram carícias mais íntimas que não podiam fazer fora dali e pela primeira vez Kathy conheceu aquele lado de Payne. Pode tocar seu corpo sem camisa. Não avançaram mais do que isso, por mais que Liam quisesse ele sabia que tinha limites que sua namorada fazia questão de mencionar quando as coisas esquentavam demais. Por fim, ele a deixou em seu quarto e voltou para a ala XY. Sem grandes emoções.

Ao contrário da noite de May Lucianne, sem dúvidas a noite mais ousada de toda a sua existência. Se seus pais pudessem a ver, provavelmente a colocariam em um colégio de freiras.

A última que aprontara foi seu enroscamento desastroso no vestido que usara, este que furtou de sua amiga acreditando que ela nem ligaria.
Louis e Harry não puderam deixar de notar a silhueta da garota, com sua calcinha e sutiã pretos colocados sobre o desenho do corpo. Ajudaram-a rapidamente, e então ela disse que conseguia por conta própria.

Deixaram a porta aperta e puderam ouvir o barulho do chuveiro.

Espero que ela fique melhor, nunca em mil anos achei que a veria nesse estado. - Harry comentou tirando sua camisa e colocando no sexto de roupas sujas.

Ela é uma caixinha de surpresas mesmo. - o seu amigo falou olhando para o teto, já de boxer e com a mesma camisa da festa.

Logo a menina aparece de toalha pedindo roupas ainda fora de sua normalidade e discrição. Harry pega uma camisa sua no armário e a entrega, pegando também uma cueca samba canção que ganhou de sua avó a uns dois anos mas nunca havia usado.

A porta do banheiro se fechou mais uma vez e alguns minutos depois, sai Mal u com os cabelos molhados e revoltados, a pouca maquiagem de seu rosto já havia sumido. Era somente a garota doce novamente e mais alguns mililitros de vodka na sua corrente sanguínea.

Tem uma escova aqui? - ela perguntou se olhando no espelho do quarto.

Vem cá, deixa que eu faço isso para você. - Louis chamou ela para a cama e pegou uma escova em suas mãos, penteando delicadamente as madeixas. Fazendo uma trança em seguida.

-Obrigada Lou, eu te amo. - a garota se virou para ele e o abraçou


Tomlinson recebeu aquele abraço e retribuiu na mesma intensidade. A posicionou em sua cama, onde ela dormiria.

E onde você vai dormir? - May perguntou.

No chão, coloco um edredon e fica bom. - Louis falou e já ia se levantar quando sentiu as mãos da garota segurando a sua.

Dorme aqui comigo, tem espaço, olha. - ela mostrou que daria para os dois dormirem ali

É melhor não... - ele disse determinado e se levantou.

Por que? - a garota perguntou com os olhos tristes.

Porque eu acho que não aguentaria dormir do seu lado hoje, assim tão perto e não fazer nada. - declarou e simplesmente virou as costas e pegou um edredom no guarda roupa.


Malu ficou sem palavras, o que significava aquilo? O que Louis quis dizer? Deitou na cama macia, sentindo o cheiro vivo do seu amigo. E adormeceu em questão de segundos.

Os outros dois logo fizeram o mesmo, não foi uma noite intensa apenas para Malu. Naquela noite seus amigos sentiram algo se despertar dentro deles em relação a amiga. Nada demais, apenas conheceram um lado dela que fez que uma chama de desejo se acendesse dentro de cada um deles. O que fazer com esse desejo? Guardá-lo. Desejos se têm de sobra, mas amizades verdadeiras são raras.

Mais cedo do que nunca, Harry ouviu seu despertador tocando.

Hey Louis, acorda a Malu aí!! - ele disse, vendo que seu amigo também tinha acordado.

Tomlinson se ergueu esticando o corpo dolorido. Realmente o edredon não é o suficiente, olhou para a imagem de sua amiga em sua cama, tão angelical. Levou suas mãos até as costas dela, e fez carinho para que ela acordasse, chamando seu nome devagar.



Hã? Oi? - disse a garota se remexendo, abriu os olhos e levantou no susto por ver que não estava em seu quarto.

Olhou para Harry e depois Louis e então se lembrou de algumas coisas. Levou a mão na cabeça sentiu a dor forte, sentiu seu estômago embrulhar.

Droga... - ela levantou as pressas e correu para o banheiro

Se ajoelhou em frente ao vaso e vomitou. Os meninos se levantaram e foram arrumando suas camas e pegando seus uniformes enquanto ouviam a garota gemer de dor.

Malu usou uma escova de dentes que estava fechada dentro do armário do banheiro, e usou o enxaguante bucal umas três vezes. A dor de cabeça ainda a castigava. Conhecia aí uma das piores consequências do álcool. A ressaca.

Saiu pelo banheiro com uma carinha de quem fez coisa errada. Não deu muito tempo dela falar nada, logo Louis entrou no banheiro.

Ela se sentou na cama, vendo Harry ainda lutar contra o sono. Ele a olhou e fixou seu olhar nela. Depois de algum tempo, fez uma pergunta.


Por que você ficou com o Luke? - a garota se virou para ele e ergueu a sobrancelha.

Por que eu não ficaria? - riu perguntando mas Styles permaneceu sério- Não estou entendo você Harry, não é quase um lema seu de vida? Pegar geral e ser feliz? - disse irônica


Mas você não é assim. - falou em um tom magoado que deixou a garota confusa.

Eu não sei quem eu sou Harry mas te digo que ontem foi um dos melhores dias da minha vida. - ela sorriu e correu até ele, pulando em sua cama, fazendo cosquinhas imediatamente no garoto de cabelos cacheados.

Só não deixe de ser... você. Nunca. - ele pediu entre os risos que não conseguiu evitar.

Pode deixar Styles. Eu nunca vou deixar de ser a garota que te ama. - falou e então Harry a olhou sério.

Uma imagem veio em sua cabeça, quando ela tentou o beijar, ele a rejeitou. E então outra cena veio a mente de Harry, de Malu e Luke se agarrando. No quanto ele quis estar no lugar do garoto de cabelos loiros. Mais uma vez ela estava tão próximo a ele. Desde a festa algo está em sua mente, como teria sido se ele somente tivesse beijado May?

Segurou em seus braços, fazendo carinho devagar. Seus lábios vermelhos e sedentos por aquele momento, ele mordeu devagar. A garota percebeu sua respiração começar a falhar. Sua mente girava mas esqueceu da dor de cabeça por aqueles segundos. Harry estava tão perto, ele acariciou o cantinho da sua boca com o polegar, ajeitou um fio de cabelo seu atrás da orelha e quando ia realmente encostar seus lábios. Ouvem um pigarro e se viram em direção ao barulho.

Ehhh... eu vou... deixa eu... ir... meu vestido? - Louis apontou para o banheiro como se dissesse que estava lá. A garota saiu da cama de Harry e se dirigiu a passos apressados, quando fechou a porta atrás de si, respirou fundo. Se sentando no vaso. O que diabos estava acontecendo? - pensou alto.

Vestiu seu vestido rapidamente, logo saiu pela porta. Louis e Harry a olharam ansiosos.

Só vê se tem alguém no corredor e eu vou embora. - ela disse impaciente

Tomlinson assentiu e Harry entrou no banheiro logo depois. Após espreitar o corredor, o amigo fez sinal de positivo e Malu pode sair do quarto. Antes disso deu um abraço em Louis. Nesse momento lembrou-se das palavras deles antes dela dormir... Teve certeza que as coisas estavam mais loucas do que nunca. Correu por praticamente todo o campus que era a distância que separava a ala feminina da masculina. Chegou na sua ala e novamente não havia ninguém. Diminuiu os passos e enfim chegou ao seu quarto, entrou e fechou a porta, parando um pouco ali feliz por ter vivido a noite mais louca da sua vida e ter chegado bem em casa. E então ouviu uma voz furiosa atrás dela.

O que pensa que está fazendo com o meu vestido? - Malu tremeu de susto e se virou em direção a amiga. Kathy se levantou e veio em direção a sua colega de quarto, o rosto vermelho de raiva.

Desculpa Kathy, eu só... - May não pode explicar. Logo sente as unhas de Katherine machucando sua pele numa tentativa desesperada que ela tire.

Conseguiu se afastar um pouco e conseguiu puxar o zíper e tirar o vestido, o jogando na cama de Kathy em seguida.

Como pode roubar minhas coisas assim? - ela disse lançando um olhar que Malu nunca vira em sua amiga e achou que nunca viria.

Eu não roubei, só peguei emprestado, vou lavar, eu juro. - ela disse tremendo de nervoso pelo jeito assustador que a amiga a olhava

LAVAR? - ela gritou – Eu nunca mais vou poder vestir isso- Olha só o que eu vou fazer com isso...

E Malu viu a amiga andar poucos metros e abrir uma de suas gavetas, puxando uma tesoura de ali. Abriu a boca em sinal de completo terror e observou quando a loira começou a cortar todo o vestido jogando apenas os pedaços de pano no chão. A vontade e determinação com que ela fazia aquilo... Deixaram a pele de Malu completamente arrepiada. Quando não existia mais a menção de que aquilo já havia sido um vestido. Katherine se estendeu ao chão, chorando perdida olhando os pedaços que cobriam o chão do quarto.

Amiga, me desculpa. - Malu falou receosa e com lágrimas nos olhos mas a outra apenas chorava sem parar.

Se ajoelhou no chão ao lado dela e a abraçou de leve, a amiga segurou em May a abraçando também sem cessar seu choro desesperado. Aquilo fechava com chave de ouro uma noite que de normal, não tinha absolutamente nada.


***   

As primeiras aulas do dia foram torturante para os baladeiros de plantão, muitos nem ao menos apareceram, depois que aguentassem as consequências dessas faltas. Mas como quem quebrava as regras era geralmente quem achava um jeito de se livrar das punições, não fazia muita diferença. 

Algo tinha mudado no clima e no olhar de Louis para May, ele a via com outros olhos de certa maneira. O garoto passou mais uma aula viajando, sem conseguir focar sua atenção para as explicações de Física III nem por cinco minutos. 

A hora do almoço finalmente chegara, Malu se levantou, ainda sentindo o peso da dor de cabeça. Olhou para seu amigo que estava de cabeça baixa, ainda sentado imóvel em sua mesa. Ia chamar o seu nome quando viu alguém tampar sua visão sobre o garoto. Era Carly, a namorada dele. Revirou os olhos e juntou suas coisas apressadamente. Mas ainda conseguiu ouvir a pequena discussão dos dois. 

´´ Carly, nós conversamos depois okay? Não estou com a mínima paciência para as suas loucuras.´´ - Louis disse expressando exatamente o que dizia, paciência zero. E então a garota disse algo que deixou Malu atordoada. ´´ Eu vi o jeito que olhava para ela, não vem com esse papo de melhor amiga, cansei Louis Tomlinson! ´´ 

May sentiu sua boca se entreabrir com o choque daquele comentário, pegou suas coisas e saiu dali o mais rápido que conseguiu. Sentiu os olhos de Louis a acompanharem até a porta mas virou seu rosto e não o esperou. 

Quando estava no corredor, sentiu que alguém a encarava e a imagem de quem era, fez com que seu corpo todo ficasse gélido. Drew Chadwick estava parado, encostado em seu armário, a olhava compenetrado. Não fez nada além disso. A garota se virou para o interior do seu espaço, jogou seus livros ali e quando olhou na direção que ele estava, já não o encontrou mais. 

Quando braços apertam sua cintura, ela dá um grito de susto alto. Se tranquilizou ao ouvir a voz rouca atrás de si. 

- Calma Malu - Harry disse - Eu sei que meu toque te deixa louca mas não precisa demonstrar para todos da escola - ele debochou

- Cala a boca - revirou os olhos, trancou seu armário e seguiu para o refeitório olhando para os lados. 

- Está procurando o Luke? - Styles perguntou com a voz mais baixa. 

- Hã? Claro que não Harry. Vamos deixar isso no passado. - ela falou e continuou a andar. 

Apesar de suas últimas palavras não conseguiu se conter ao ver a imagem do garoto de cabelos loiros e topete irresistível, ele usava um óculos preto e aquele ar de mistério fez Malu sorrir. Mas não o encarou por mais de três segundos e rezou para que ele não a notasse. Sentou na mesa de costume com sua bandeja, pouca comida, apenas uma colher de macarronada ao molho branco, filé de frango ao molho de amoras, suco de laranja e uma grande fatia de melão. 

Comeu devagar, ainda se sentindo nauseada por consequência da noite passada. Notou que seu amigo a olhava de uma forma estranha como se quisesse dizer algo. Lembrou do que aconteceu de manhã. Chegou a pensar que era loucura de sua mente mas realmente pensou que quase se beijaram. Porém em sua cabeça não fazia sentido já que dias atrás, passara um dos momentos mais embaraçosos de toda sua vida quando Harry recusou seu beijo. Portanto no fim das contas, não seria ela quem tocaria no assunto. 

- E aí Louis? - ouviu Harry dizer quando seu amigo se juntou à dupla com uma cara nada amigável. Se sentou com sua bandeja e começou a devorar toda a comida. 

- Hey moço, você vai ter uma indigestão desse jeito. - Malu levou sua mão até a mão de Louis que assim que sentiu o toque, lançou seu olhar para a garota. - O que aconteceu?

O garoto mal humorado lançou um olhar silencioso que pedia para o aguardar, comeu as últimas colheradas agora mais devagar. Bebeu todo o seu suco. Encarou os amigos à sua frente, apoiando os braços na mesa. 

- Eu e a Carly terminamos. - Falou simples. 

Não era algo fora do normal quando se dizia a respeito dos relacionamentos de Louis, afinal. Nunca durava muito mesmo. Os amigos apenas deram tapinhas em suas costas e disseram palavras de conforto mesmo que não se importassem com a união daquele casal. E não era como se Tomlinson estivesse de coração partido mas tinha algo a mais. Algo que envolvia o porquê do termino. Algo que ele não contaria nem para Harry e muito menos para Malu, se ele não teve confiança em contar para sus melhores amigos, fica espantado que não é algo fácil de lidar e de falar em voz alta. 

Mais alguns minutos e já estavam em sala outra vez. Louis não trocou olhares com seu ex-affair, ao contrário, pareceu nem se importar com sua presença. Sua atenção estava voltada para uma garota concentrada, mexendo em seus cabelos negros e anotando coisas em seu caderno. De tempos em tempos, balançava sua cabeça como se pudesse afastar certos pensamentos. Algo vem em sua lembrança. Um quase beijo...Um quase beijo entre seus dois melhores amigos que mudava tudo. 

Em outra sala, o amigo de cabelos cacheados pensava na manhã que teve. Harry não era do tipo que entrava nas situações pela metade, quando ele se envolvia ia com força total. Quando amava, amava intensamente. Quando odiava, da mesma forma. Percebeu uma certa movimentação estranha na sala. Zayn olhava a cada cinco minutos para Angel que permanecia de cabeça baixa, olhando para o chão. Fazem vários dias que ela não responde nenhum professor, não apronta nada, só fica lá no seu canto. Como se não tivesse vontade de sair dali. 

A aula acabou, Harry seguiu para a companhia de seus amigos. Mas Angel permaneceu no mesmo lugar, com os olhos fechados em um cochilo. O garoto de topete e olhos amendoados se agaixou e passou a mão na touca que escondia os cabelos dela. 

- A aula já acabou. - ele disse suavemente 

- Já vou. - falou com preguiça e nem abriu seus olhos. 

- Você continua sem dormir não é? Eu te conheço a anos e é sempre a mesma coisa. - Malik repreendeu em um tom mais sério. 



- Cuida da sua vida e me deixa. - enfim levantara a cabeça e encarou Zayn, as olheiras profundas em seu rosto marcavam o que ele havia dito antes. 

Zayn quis dizer que sua vida era Angel, que ele queria mesmo cuidar dela, fazê-la feliz. Mas não se sentia disposto a segurar as respostas hóstis que ela daria em seguida. Então, apenas absorveu o último comentário e saiu da sala distribuindo passos pesados no chão, virou o rosto e viu a sombra bem modelada andando pelo corredor, uma professora francesa... era um bom fetiche afinal, ele pensou. Essa era a única forma de aliviar sua única desconquista, criando uma nova conquista e essa seria díficil. Era do jeito que ele mais gostava .

 Angel ficou lá na sala. Somente despertou quando uma voz doce invadiu a sala vazia. 

- Professora Madeleine?? - O rosto do menino foi em direção a mesa da professora de frânces. Ela não estava mais lá. Já ia se virar quando algo o prende lá. 

Seus olhos encaram a menina de olhos tristes, ficou confuso. O modo como ela o olhava, de maneira diferente das outras vezes. E pela primeira vez dirigiu a palavra a ela como se ela não fosse quem é. Como se não a odiasse.

- A professora de frânces já foi? - ele disse a voz saindo fraca. 

- Você é cego? Não está vendo a mesa vazia? - falou com impaciência. 

Após essa frase um barulho que ambos já conheciam saiu dos alto falantes fixos no canto mais alto de cada parede. Os dois reviraram os olhos, algo eles tinham em comum, odiavam o momento do hino. 
A garota se levantou, foi até a porta raivosa. 

- Não vai vir? - falou se dirigindo à Liam - Para de agir como um otário e vamos logo! - ela disse rudemente

Naquele momento Payne sentiu algo tão estranho o invadir, um sentimento de ´´Chega!Basta!´´. Então fez algo que nunca pensou que faria um dia, se aproximou tão rápido que até mesmo a sagaz Angel não foi capaz de se livrar de seu braço firme a segurando pelo braço. A expressão dela expressou perfeitamente o imenso sinal de interrogação que aquela atitude despertou nela. 

- O que pensa que está fazendo? - ela disse surpresa e irritada por ter sido surpreendida. 

- Você não é ninguém para falar desse jeito comigo, você é só um lixo desprezível... - Liam falou com os olhos envoltos em fúria e nunca pensou que poderia ser assim tão cruel com as palavras. 

A próxima reação da garota famosa por suas explosões e jeito agressivo não foi o que ele esperava. Muito pelo contrário. Ela se soltou, baixou a cabeça e virou as costas, suas palavras vieram em um tom doloroso. 

- Grande novidade... - falou com melancolia. 

Ele conheceu uma parte que ela nunca permitiu que ninguém visse de tão perto. Não soube o que dizer e o melhor foi ficar calado sem dúvidas. Ouviu a porta se bater e se sentiu mal. Espantou isso para longe e repetiu em sua cabeça duas vezes ´´ Ela mereceu´´. Mesmo assim não deixou de se incomodar com a dor que transbordou daqueles olhos castanhos. 

Seguiu para o hino. Se colocou no último lugar da fila reta. Ajeitou sua postura e ficou ali. Não deixou de perseguir seus olhos procurando González mas não a encontrou. Fugir do hino, apenas uma rotina em sua vida desequilibrada. 

A garota entrou em seu quarto, jogou sua touca para longe, liberando os fios cacheados. Respiração descompassada. 

´´Não, não pode estar acontecendo!!! Por que? Por que? ´´ - ela gritava ao mesmo tempo que chutava os poucos objetos em seu quarto. 

Sim, estava acontecendo, já tinha acontecido. Era forte, destrutivo, potencialmente explosivo, como um foguete. Assim como tudo na vida de Amélia Rose González. Como alguém como ela pode estar sentindo algo tão puro e bonito? Algo que ia contra o que ela representava?

CONTINUA...

Genteeee, vocês não tem noção do que é o próximo capítulo, sem or, ele está extremamente quente e cheio de feels. Um spoiler: Malou

Malikisses e obrigada pelos comentários
Quer o bastante, tipo uns 50 comentários. Ah além disso, quero saber os 3 melhores livros que vocês já leram. 

O meu top 3 é:
1984- George Orwel
Em chamas- Suzaninha
Quem é você Alasca? - João Verde

Me digam o de vocês okay? Okay. haha