Cabeçalho

Cabeçalho

Give Me Love – Capitulo 15 – After all...

23 de julho de 2014 | | | Nenhum comentário:

Narrador ON:




No dia seguinte a rotina dos alunos foi a mesma, acordar, se arrumar e ir a escola. Uns empolgados pra contar a seus amigos como foi incrível seu final de semana, outros simplesmente normais por existir aquela monotonia do dia-a-dia e alguns tentando apagar de suas mentes ou apenas ignorar o que havia acontecido no dia anterior, esse era o caso de Seunome, ao mesmo tempo que tentava entender o porque Liam havia a beijado, tentava simplesmente ignorar o fato ocorrido, mas “simplesmente” não é a palavra correta.

Seunome não falou com Liam, ele havia a mandado uma mensagem de manha e assim que ela acordou havia visto mas não respondeu, a garota estava confusa, gostava de Liam, mas nunca tinha imaginado uma cena como aquela acontecer, um beijo entre eles estava longe de seus planos, e Liam a surpreendeu, a deixando completamente confusa, ela havia gostado, e muito do beijo mas como encarar isso? Ela tinha medo de que tudo tivesse acontecido apenas por ele estar bêbado, ela temia que aquele ato foi falso. Mas porque ela pensa desse jeito? Tem algum motivo? Sim, havia um, ela era inocente apesar de pensar estar no total controle de suas emoções, gostava dum cara qualquer que havia conhecido através dos amigos no Brasil, e numa noite eles ficaram, e ele lhe disse coisas na qual ela foi tola em acreditar, chegou a achar que eles dariam certo, mas no dia seguinte quando eles se viram de novo, ele simplesmente ignorou o dia anterior e começou a falar de uma outra garota próxima do seu grupo de amigos. Ela não sentiu aquela dor enorme, que podia lhe fazer chorar, não, mas sentiu que foi muito bem enganada, e desde então não acreditou em nenhuma palavra que qualquer cara bêbado que fosse dissesse a ela. Mas quando a sua venda caiu assim que Liam colou seus corpos, quando ela olhou em seus olhos, parecia que ele remoía aquilo que estava prestes a fazer há algum tempo, o que a deixou ainda mais confusa “Se ele já gostava de mim, porque não fez aquilo antes? Porque escolheu ontem? Mas ele sabe que sinto algo por Josh, então porque mesmo assim o fez? Tudo bem que ele e Josh estão longe de ser amigos, mas não importa! Ele sabe que eu já estava confusa por causa do que eu tenho com Josh, porque me deixar mais confusa ainda?”

Enquanto uns tentam organizar suas mentes confusas outros simplesmente se sentiam nas nuvens...

Niall e Allana eram só risos e olhares discretos cheios de algo mais. A garota não podia estar mais feliz, estar daquele jeito com Niall era incrível, ela se sentia sensacional, era tudo que sempre quis, era como se nada pudesse afeta-la agora. E Niall não podia estar mais feliz também, afinal a garota de seus sonhos, sua melhor amiga, sua Allana. Não oficialmente claro, mas agora ele apenas queria aproveitar esse momento com ela. Eles haviam vindo abraçados pra escola, era comum eles virem juntos, e ninguém estranhou o fato de Niall estar com o braço entrelaçado ao pescoço de Allana assim que eles passaram pelo portão da escola, mas claro para os dois foi um momento especial.

Seunome havia encontrado Harry no meio do caminho, assim que desceu do ônibus o garoto o avistou e pediu que esperasse por ele, e logo ele se aproximou cumprimentando ela.

-Que situação você ficou quando sua avó apareceu eim?!

-Ai nem me lembra... Desculpa mesmo. Ela veio do nada.

-Mas depois da ultima vez que você virou aquela dose de vodca, você ficou quieta como se já quisesse ir embora... Aconteceu algo pra você ter mudado assim do nada? – Seunome sentiu uma corrente fria percorrer seu corpo. Será que Liam tinha dito algo pra ele?

-Não... Claro que não... O que podia ter acontecido? – bufou no final tentando ser convincente.

-Ah seila... – “O que ele queria dizer com isso??” e essa era mais uma pergunta sem resposta na cabeça de seunome. Logo o assunto mudou, Harry eles foram até a escola comentando sobre a prova de história que teriam na semana seguinte, Harry parecia preocupado com sua nota, Seunome até se ofereceu pra ajuda-lo a estudar mas ele disse que não precisava e que pediria ajuda a uma amiga de infância dele. Assim que começavam a entrar no assunto de quem era essa garota, Harry pareceu desconfortável e começou a tentar mudar de assunto a garota ficou se perguntando quem poderia ser essa “amiga de infância” na qual Harry mencionara que o deixara tão nervoso. Mas Seunome não quis força-lo a dizer, afinal eles nem era tão íntimos a esse ponto.

Logo chegaram na escola e começaram a assistir as aulas, Liam chegou atrasado mas Seunome ficou de cabeça baixa fingindo estar concentrada em sua conta de matemática e não olhando pra ele. Foram três aulas mega chatas e logo depois da primeira Seunome já estava mais ou menos assim...



Quando finalmente o sinal do descanso tocou Seunome saiu da sala as pressas ouvindo Liam a chamar no corredor porem o ignorando e indo direto pro banheiro, onde respirou fundo encarando seu rosto no espelho molhando e secando com toalhas de papel, assim que outras garotas começaram a entrar , ela saiu pois odiava até ver elas começarem a retocar a maquiagem, sempre achou ridículo garotas correrem pro banheiro só pra retocar o batom ou rímel ou seja lá o que fosse que elas faziam lá com as maquiagens delas, mas assim que saiu foi empurrada para a salinha do zelador que ficava bem ao lado por alguém na qual ela reconheceu o perfume.

-Que isso?!! Ta maluco?!

-Achei que quisesse mais privacidade para falar sobre ontem... – aquela voz, tão perto a dela, estava escuro mas ela conseguia imaginar aqueles lábios mexendo como nunca antes.

-Olha Liam...

-Você não precisa explicar nada! Me desculpa okay! Agi por impulso, não sei o porque fiz aquilo... – ele suspirou forte e essa respiração quente bateu no rosto de seunome, ela não sabia o que dizer mas ouvia tudo atentamente – E já ficou claro que você não gostou! Então só... Me perdoa?- ela ouvia o ressentimento na voz dele.

-Não coloque palavras na minha boca Liam Payne! – ela disse nervosa, pois não tinha nada que mais a irritava do que quando alguém falava algo que ela nunca tinha dito. – Eu só... – suspirou – Eu só estou confusa...

-Confusa com o que?

-Você sabe Liam...

-Oh... Entendi. Você ainda ta com o Josh na cabeça não é?

-Sim... – ela disse baixinho – E não tinha certeza porque você tinha feito aquilo, afinal você tava bêbado...

- Você precisa que eu prove a você? – ele encostou sua mão no rosto de seunome, fazendo um movimento circular em sua bochecha, a garota arfou.

- Não. – Ela afastou a mão de Liam de seu rosto mas com a outra num movimento rápido ele a puxou pela cintura.

- Mas eu vou – Liam disse perto de seu ouvido com aquela voz calma, porem com um toque de sedução, logo em seguida depositou um beijo no pescoço da garota fazendo-a arfar novamente. E depois com suas respirações já misturadas e seus lábios tão próximos eles já podiam sentir o gosto um do outro novamente. Seunome já estava envolvida nos encantos de Payne, que além de carinhoso e atencioso, era um completo sedutor também, isso já estava claro, Liam não apenas queria beijos de seunome ele a queria por inteiro e se continuasse com esse charme a garota com certeza não resistiria a tanta sedução.



Mas de repende com os dois ali, com os pelos arrepiados, olhos fixos, respirações próximas, e lábios quase se tocando o zelador da escola que era um homem velho porem esperto e muito bondoso, abriu a porta de sua salinha e os pegou no flagra. Os dois rapidamente olharam para a porta e um único pensamento fluiu a mente dos dois jovens “DROGA!”. Liam e Seunome se entreolharam de um jeito que ambos entenderam foi um tipo “O que a gente faz agora?” e o zelador foi o primeiro a se pronunciar.

- Não, não não crianças!!

-Sr... – Liam olhou em seu crachá – Fairbrother. Nos desculpe! Por favor, não leve isso a diretoria!

-Por favor senhor! Nós só queríamos conversar a sós... – Você disse com as mãos em sentido de prece.

-Relaxem crianças... – ele disse com sua voz já fraca – Não vou levar isso ao diretor – Liam e você disseram em uníssono “uffa” – Mas vocês não poderiam esperar até o final da aula ao invés de ficarem se pegando num armarinho sujo como esse? – ele disse com um sorrisinho nos lábios.

-Tínhamos que conversar... – Liam se pôs a dizer primeiro que você, ele estava ficando vermelho.

-Okay, garoto. Mas entendam... Não vou poder acobertar vocês outra vez! Se pegar vocês aqui de novo...

-Direção! Okay , Sr. Fairbrother. Nós entendemos! – você disse e Liam apenas afirmou com a cabeça. E então o zelador deu espaço para que passassem. Liam pegou em sua mão te puxando e vocês correram pelo corredor até que saíssem da vista do zelador. Por sorte não havia mais ninguém ali, todos os alunos já estavam no pátio. Depois você e Liam se separaram e ele foi até onde todos estavam enquanto você foi até a cantina comprar algo pra comer, acabou escolhendo um cupcake, de novo, nas ultimas semanas essa foi a sua escolha e parecia que você não tinha mudado de ideia, mas vamos levar em consideração que aquele era “o melhor cupcake da vida”, como você, Cindy e Allana costumavam dizer.


Harry On:



Liam chega vermelho, parecendo envergonhado com algo, porém com os olhos brilhantes, logo depois chega a Seunome com um cupcake, porem ela não demoraria tanto tempo só pra pegar um bolinho... Huuum! Ai tem coisa, mas antes que eu pudesse ser inconveniente primeiro Louis foi mais rápido.

-Liam chega, depois chega a Seunome... – disse alto com um sorriso debochado, olhando fixamente pros dois com os olhos serrados – Huuuum, ai tem eim!! Hahaha

-Sabe Lou, eu tava pensando a mesma coisa... – disse debochando também.

-Imaginando coisas é... – disse Liam rebatendo as provocações, mas mesmo assim ficando vermelho.

-Muitas coisas!! –Louis comentou e riu. Então Seunome disse, maldita Seuapelido.

-Não vou nem comentar as coisas que imaginei quando você falou da sua “amiga de infância” Styles... – disse provocativa e dando ênfase com aspas na frase, logo depois mordendo seu cupcake com um sorriso debochado.

Fiquei sem resposta, um arrepio percorreu meu corpo. Não consegui controlar meus pensamentos e um flashback do sorriso dela me veio a mente, aquilo me corou, e o pior todos ali viram o meu estado, aquele lado de garotinho apaixonado que eu escondia de todos, fazendo sempre o que eu devia fazer, ser o pegador, sem me apegar, sem sofrer, só beijar todas as garotas bonitas que me dessem mole. Mas ali, quando Seunome mencionou sobre ela, eu não pude evitar lembrar aqueles lábios, aqueles que eu ainda via quase todos os dias, daquela garota que eu sempre, e por toda a minha vida fui apaixonado.

- Nossa Seunome! Não viaja... – tentei disfarças o melhor que pude, espero que tenha dado certo dessa vez...

E o assunto morreu, tanto meu quanto deles. Cindy chegou irritada, ela havia ido pra diretoria depois de responder um de seus professores, Zayn logo se levantou e a abraçou, perguntando o que havia acontecido.

-Aquele professor de história ridículo! – disse bufando raivosa – Ele me insulta na frente da sala toda e quando eu devolvo o insulto a ele. Ainda me manda pra direção!

- Mas o que foi que ele disse? – Allana que estava sentada no meio de Louis e Niall foi a primeira a perguntar.

-Ele disse que eu era nada! Que não seria nada da vida! Aquele gordo!

-Ah, já perdi a conta de quantos já me disseram isso! Mas vou mostrar pra eles um dia quem é o nada! – disse Louis cheio de orgulho e confiança.

- E o que você rebateu pra ele Cindy? – Seunome disse abocanhando mais um pedaço de seu cupcake, ligeiramente interessada na história, mas mesmo assim interessada em seu cupcake colorido.

-Disse pra ele ir comer a mulher dele ao invés de ficar me enchendo o saco!

Isso rendeu altas risadas e alguns “Você é louca?” da maioria. Além de claro, palmas pra ela, o que chamou a atenção de quase todos ali no pátio. Porém não estávamos nem ligando pro resto daquele povo, só queríamos nos divertir entre nós e foda-se o resto.

-Mas teve uma coisa boa nisso tudo... – ele continuou assim que as palmas cessaram.

-Melhor que isso impossível! – disse Lou ainda rindo.

-O diretor me mudou de sala, pra mim não ter mais aulas com esse professor... Vou ficar na sala de vocês! – ela disse sorrindo. Recebeu abraços de Seunome, Allana e Zayn e mais alguns selinhos do Malik. Então o sinal bateu e fomos todos pra sala.


No corredor, enquanto eu pegava meu livro olhei rápido em direção ao armário dela, e ela estava lá... sendo Linda. Ah, Sem or! Quando vou finalmente criar coragem e dizer tudo a ela. Já faz tanto tempo...




Olaaaaaa 
Ai meus Deuses como eu tava com sdds de postaaaar!! 
Maldito carregador que me inventou de dar mal contato e parar de pegar bem agora! Fi de puta + eu! ¬¬'
Comprei um novo hj, coloquei meu net pra carregar, escrevi e já postei logo, pq não aguentava mais ficar sem sentir isso quando eu posto!
miiiiiiiiiil desculpas gente! sério! Corri pra todo lugar pra encontrar esse carregador rápido! 
Espero que gostem desse cap! ;]]

(prometi fazer maratona e espero que dê tudo certo e eu consiga! vou pedir permissão a linda da Adrielle Fernandes pra fazer a maratona assim que tiver uma quantidade de capítulos pronta! ;]]) 

Lembram daquela prova que fiz mês passado? Então gente fiquei em 15° lugar na lista de convocação! AMEM! \0/  Passei nesse caralhooooo! likhfoiudgfiugsduf 
E agora o bagulho vai ser loco porque eu começo as aulas amanha! Me desejem sorte! <3

Amo vcs que são pacientes e me aguentarem, não me xingarem por eu ter esses problemas do nada! Obga gienteeee *-* <3 

(QUEM AI TA ANSIOSA PRA COMEÇAR A LER ROCKET LOVE LEVANTA A MÃO!! \OOOOOOOOOOOO/) 
#ComeçaLogoDri 

Malikisses minhas gataaaaas e aproveitem o capitulo! ;]]
Amo Tuis <3 



MINI IMAGINE - I knew you were trouble

| | | 2 comentários:
MINI IMAGINE COM HARRY STYLES PARTE 3/3
PARTE 1 
PARTE 2 



Tirei a mecha de cabelo que caia em seu rosto, pelo vento, e a beijei. Odeio o fato de seus lábios serem totalmente convidativos para os meus.Mas ela vai embora, e vou ter que superar isso numa boa, porém não... parece que meu plano de nunca querer uma garota, e gostar dela de verdade, foi destruído.






Dia Seguinte - 


Estava na minha casa, deitado no sofá apenas encarando o teto, não acredito que essa garota vai me deixar assim, sem o que fazer... nem eu sei o que estou fazendo ou sentindo.
Minha campainha tocou, me levantei e fui até a porta a abrindo. Era seu nome, ao me ver abriu um sorriso e me abraçou.

- ainda não aceitei - ela comentou
- como não? - perguntei
- estou meio confusa ainda
- fechei a porta - como confusa, seu nome? fotografia é seu sonho
- mas... eu gosto tanto de você,  está sendo tão divertido ficar por aqui

Eu queria apenas abraçá-la e falar,não tudo bem, fique aqui comigo vamos continuar nos divertindo juntos... mas imagino seus pais querendo me matar, e imagino em um momento em que as coisas estarão dificeis e ela possivelmente me culpar.

- sorri de canto - valeu mas... não faz isso



- como não, você disse que gosta de mim... eu também gosto de você não está bom?

Teimosa demais, isso o que ela é... mas é puro egoísmo poupa-la disso, então, pela primeira vez, contra minha vontade vou ter que partir o coração de uma garota.
Soltei um suspiro alto e a encarei. A puxei, selando nossos lábios, a beijei calmamente, segurando em seu rosto delicadamente, rompi o beijo, olhei em seus olhos, e me afastei um pouquinho.

- olha seu nome, você é uma pessoa super legal, adorei os momentos que nos divertimos mas... - suspirei - foram momentos, eu logo ia terminar tudo isso, então, antes que você fique aqui achando que sou seu pequeno principe encantado, é mais facil falar a verdade não é? então, não gosto de você como você pensa, ou como você gosta de mim, só curto ficar com você as vezes
- Harry...

Ela parecia sem palavras, seus olhos estavam marejados, mas parecia segurar com todas as forças a lágrima que queria cair. Sua expressão de desapontada, passou para raiva, e ela veio pra cima de mim, batendo em meu peito, segurei suas mãos, mas queria tanto gritar "é mentira, não fique triste", mas estou decidido, que pela primeira vez, vou pensar em outra pessoa antes de mim.

- shh, calma - eu disse
- como calma?! Harry... - se afastou - minha mãe tinha razão, como sempre ela tinha razão, você é um idiota, cafajeste que só se importa com você... melhor, idiota, otária, fui eu mesma, que imaginei que essa pedra que você é teria algum sentimento
- qual é? calma, sou uma pedra mesmo, lamento
- lamento - disse sarcástica - argh! você é um idiota
- por que está tão nervosa assim?
- você é um sínico! - gritou - por que estou nervosa? vou lhe dizer porque... porque nunca na minha vida encontrei um cara que eu gostasse, sempre foi eles gostando de mim e eu nunca consegui ter um sentimento real, quando eu tive, um idiota quebrou meu coração, e agora, quando eu estava preparada pra dizer eu te amo de novo, um idiota, bem pior, faz a mesma coisa, me sinto mais otária ainda, por ser só mais uma da sua listinha
- não é assim, seu nome... olha eu...
- não é assim? é assim sim, me diga, você teve pena não é? fui tão otária que até pena tirei de você, uau
- pena? não... seu nome, eu te adoro mas...
- mas... mas... preciso foder outras garotas além de você, okay, Harry... sei muito bem qual seu tipo

Ela estava tão nervosa que até eu estava ficando nervoso junto, e acabei entrando na briga, que eu mesmo causei para ajuda-la, porém só estou me atrapalhando mais.

- qual tipo eu sou então?
- o tipo que não tem sentimentos - se aproximou - o cafajeste que não gosta de nenhuma garota, usa todas e joga fora
- isso que eu sou mesmo, parabéns por notar isso, pena que precisou da minha ajuda, não é? - disse sarcástico
- você não presta... como pude gostar... como posso gostar tanto de você? mas tudo bem... só um pequeno recado pra você
- diga seu pequeno recado
- caras como você, se divertem enquanto jovens, mas depois, terminam velhos e sozinhos, e com o sentimento que nunca foram verdadeiramente amados
- eu sou muito amado
- claro que é, mas você afasta todo mundo, inclusive eu, seu idiota... espero nunca mais te encontrar!

Seu nome abriu a porta e saiu de casa.
Eu me joguei no sofá e passei a mão no rosto, totalmente culpado. "nunca foram verdadeiramente amados" "afasta todo mundo", suas palavras ecoavam pela minha mente, e incrivelmente, cada uma me magoada.
QUE DROGA! Gostar de outras pessoas além de mim mesmo magoa demais, dói demais, e isso foi só uma garota que fez comigo. Como pode? uma garota ter esse efeito sobre mim, uma garota que conheço a menos de dois meses.
Agora ela vai embora, viajar o mundo por 5 meses, e em cinco meses, vou esquecê-la, espero não lembrar nem seu nome, isso parece impossível mas vou tentar, vou esquecê-la, e quando voltar, não vou nem visitá-la. Harry quem você quer enganar? você não gosta dessa garota, e sim, ama essa garota.
Chega, preciso esquece-la.

4 MESES  DEPOIS -

SEU NOME P.O.V.

Eu estava andando na França, o trabalho estava indo bem, todos estavam gostando das minhas fotos, e mesmo assim sinto um vazio, e sei quem o causa... Harry, pensava que depois da forma que ele me magoou esqueceria ele fácil.. mas não, ainda lembro dele, e muito bem. A França, principalmente Paris, não ajudava muito, vários casais, apaixonados, andando, se beijando, dizendo eu te amo, e eu tirando fotos, que é o melhor que eu posso fazer.
Até que alguém tromba em mim.

- au! - eu reclamei
- excusez-moi?
- não falo frances, desculpa
- riu - eu pedi desculpas, sou Jeremy - sorriu
- sou seu nome - sorri - não sou francesa, e não vou nem arriscar um frances porque sei que vai ser horrível
- riu - também não sou francês, mas morei aqui por 5 anos, mas agora voltei pra Londres
- moro em Holmes Chapel na Inglaterra
- uau, que coincidência - sorriu - vou ser muita evasivo se querer conversar mais com você?
- não, vai ser perfeito, não aguento mais ficar sem conversar com ninguém
- tem uma lanchonete bem ali - apontou
- então vamos

Fomos até a lanchonete, nos sentamos, pedi um refrigerante, e ele uma água. 
Ficamos sentados sentado, recostei meus braços sob a mesa, e o encarei. 

- então... Jeremy? O que faz aqui na França? 
- eu pinto quadros - sorriu - Paris é uma ótima inspiração e você
- sou fotografa... mas, minha última parada é aqui na França, duas semanas tirando fotos, e depois pequenas férias... ai volto pra casa 
- ah, vai ser interessante conhecer você - sorriu 


HOLMES CHAPEL 


1 MÊS DEPOIS

HARRY P.O.V. 

Estava no bar, com uma garota que estava dando encima de mim, porém Zayn cortou o clima, estranhei, mas fui até ele que me chamou. 

- o que foi? - perguntei 
- adivinha quem está de volta a Holmes Chapel? 
- não adivinho, fala 
- seu nome Watson - ele disse 
- revirei os olhos - nem sei porque você me disse isso, e como sabe disso? 
- eu te disse porque você amava essa garota e... as noticias correm rapido Harry, a cidade não é grande 
- okay, não importa 
- para de ser orgulhoso,cara... não volta a beijar garota, sendo que você gosta de uma 
- quem disse que eu gosto? 
- revirou os olhos - você é chato em 
- e se ela voltar com um namorado em? 
- qual é, Harry? - riu - até parece que um gringo qualquer vai te parar assim 
- se ela ainda gostar de mim, ela que venha atrás 
- depois do que você disse pra ela? de jeito nenhum, quem tem que correr atrás dela é você, meu amigo, e se eu fosse você, fazia isso mesmo, não é todo dia que aparece uma garota que você goste 
- somos bem diferentes 
- essa é a graça, alguém igual a você qual vai ser a novidade? 
- você tá insistindo em, Zayn? 
- estou mesmo, só quero te ajudar, essa garota que você está pegando é tão rodada que até o garçom já pegou 
- ri - idiota 
- vai depois .. merda
- o que? 
- ela acabou de entrar aqui com um cara 
- eu te falei 
- vai deixar um qualquer pegar seu lugar assim? quem é você? além do mais, quando ela entrou aqui, o primeiro a olhar foi pra você 
- revirei os olhos - okay, você ganhou 

Olhei para trás, e ela andava até o balcão com um cara ao seu lado, não gostei nem um pouco disso.Me aproximei e logo seu olhar foi pra mim. 

- seu nome, quem bom te ver de novo - sorri 
- você é muito sínico, Harold - ela disse desviando  o olhar
- sorri - não sou não, acho muito bom te ver de novo 
- hum... esse é Jeremy, meu amigo 
- amigo é? 
- adoraria não ser apenas amigo dela - Jeremy finalmente se pronunciou

Idiota - foi a primeira coisa que me veio a mente. 

- bem, um dia que você quiser sair - eu disse sugerindo 
- sai fora - ela disse 
- não desisto fácil e você sabe disso - pisquei 


1 SEMANA DEPOIS 

Uma semana estou tentando me reaproximar da seu nome, mas está dificil, então.... 
Estava de madrugada, fui até a casa dela, provavelmente a mãe dela me mataria se eu chegasse a essa hora e simplesmente tocasse a campainha, então, escalei até a janela dela, cheguei a sacada, porém a porta estava fechada, bati algumas vezes, até ela acordar, e levar um grande susto por eu estar ali. Ela se levantou, e abriu a ´porta de vidro. 

- por acaso enlouqueceu? são 2 da manhã o que faz aqui? 
- vim fazer isso 

A puxei e selei nossos lábios, podia até esperar ela me morder, mas logo ela correspondeu ao beijo. Senti suas mãos em meu pescoço, e eu apertei sua cintura deixando seu corpo colado ao meu.
 Rompemos o beijo, e ela bateu no braço. 

- au! 
- você é um grande idiota, idiota mesmo, te odeio - disse irritada - vai embora daqui 
- sorri - se me odeia por que correspondeu? - perguntei 
- porque... não sei, estou com sono 
- ah, claro, sono 
- por que está aqui agora? 5 meses atrás lembra o que você fez? me senti humilhada, sabia? nunca vou te perdoar 
- seu nome, eu juro... que eu menti tudo aquilo que eu disse, tudo mentira 
- ah, sim - disse irônica - vai embora, Harry 
-eu juro, não podia fazer você deixar tudo... por... por mim, sou apenas um cara, e é seu sonho, acredita em mim, é sério 
- me encarou - ou só está de novo brincando comigo? vai embora
- seu nome 
- sai 

Fui até ela e a abracei, tão ridiculo estar numa situação dessa por uma garota. 

- é sério... muito sério 
- mesmo se for sério - me encarou - por que está aqui? te conheço bem, você não estaria afim de se humilhar por garota nenhuma 
- porque.... você tinha razão a 5 meses atrás quando disse que eu afasto as pessoas de mim, é eu afasto, e afastei você também, mas quero voltar atrás
- eu fiquei muito magoada, por 5 meses inteiros 
- só queria te ajudar 
- riu baixo - você é tão atrapalhado - me encarou - mas é dificil voltar como era antes assim do nada 
- mas você acredita em mim, certo? 
- sorriu de canto - acredito, não deveria, mas acredito 
- deveria sim, porque é verdade 
- você é completamente doido, nunca imaginei ter um cara de madrugada vindo falar comigo, ainda por cima, escalando até a sacada - riu 
- posso dormir aqui hoje? 
- não abusa, Harry 
- por favor - fiz beiço 
- não 
- tem tranca na porta, vai, por favor 
- revirou os olhos - você é dificil pra aceitar um não em? 
- sou mesmo 

Ela foi até a porta, a trancou, tirei meus tênis, blusa de frio, e me deitei na cama, a puxei, fazendo-a cair na cama e rir. 

- espero que meus pais não tenham escutado nada 
- a gente dá um jeito - pisquei e a puxei pra perto de mim 
- odeio você me fazer perdoar você tão fácil - sorriu 
- pra que ficar brava comigo? por causa daquele idiota que veio com você? 
- hum? 
- é aquele etiquetado que vei contigo, não gostei dele 
- ele é francês - riu 
- então, não gosto de franceses 
- você nem conhece ele 
- conheço, ele disse que adoraria te namorar, abusado, não gosto dele 
- me encarou - que ciúmes em, Styles? 
- que? ciúmes, eu não tenho isso 
- então por que não gosta dele? 
- porque ele é abusado, não gosto desse tipo dele, francês mesquinho - resmunguei 
- riu e me beijou - ele já me beijou uma vez 
- ah, que fofo - eu disse sarcástico 
- foi o maior beijo, sabia? - provocou 
- para né? 
- sorriu - não se compara ao seu beijo, idiota 

Sorri e lhe beijei, era bom tê-la assim, perto de mim novamente, depois de 5 meses longe, notei que ela faz falta e até demais. Mas agora ela está de volta e espero que nada atrapalhe. 



2 DIAS DEPOIS 

Levei seu nome no bar, porque até que de uma forma incrivel ela gosta de lá... péssima ideia, Brith estava lá, a garota que eu já peguei mais ciumenta de todas, e ela olhava pra mim sem parar nem disfarçava, e não demorou nada pra seu nome notar. 

- legal essa garota olhando pra você - disse irônica e bebeu um pouco 
- é uma conhecida 
- me encarou - a verdade, você ficou com ela enquanto eu estava fora, não é? 
- é.. mas não tinhamos nada, não pensei em você na hora 
- suspirou - eu sei Harry, não estou brava por isso, mas é meio chato ela ficar praticamente te comendo com os olhos 
- sorri - vem aqui - a beijei - ciumenta 
- besta - revirou os olhos 

olhei para Brith que fazia uma careta, e seu nome, parecia ter adorado a reação dela, porque não parava de rir. Nunca imaginei ter olhos apenas pra uma garota, mas... parece que é isso. Só tenho olhos pra ela, não consigo mas olhar pra todos os lados pensando nas garotas de outras formas, parece que ela ocupou minha mente de vez... 



3 ANOS DEPOIS 


SEU NOME P.O.V.


- Vem cá, Harry... só uma foto 
- olha amor, eu adoro suas fotos, mas não precisa me incluir nelas 

Estava tentando tirar uma foto do Harry, porque a paisagem era bonita e com ele incluído ficaria ainda melhor, mas ele é chato. Porém consegui a foto. 
Faz um ano que eu e Harry moramos juntos, eu me mudei da casa dos meus pais, e ele da sua casa, e viemos morar em Londres, temos que admitir, nós dois não nascemos pra uma cidade meio pacata, adoramos agitação e Londres tem a nossa cara. 
Moramos em um apartamento, por mais de nós dois juntos termos condições de comprar um ótima casa, ou o melhor apartamento, optamos por um apartamento não tão simples, mas com certeza nada luxuoso, mas parecido com nós dois. 
Meus pais? odiaram a ideia desde o começo, porém agora se acostumaram e Harry é considerado da familia. 
Eu e Harry estávamos na Tower Bridge, encarando a paisagem, enquanto os carros passavam logo atrás de nós. 

- já pensou em casar? - Harry perguntou 
- sim - sorri de canto - mas não sei se quero 
- assim me ofende - brincou 
- não é isso - ri - só acho que não é muito nossa cara, nos casarmos em uma igreja, etc... - recostei a cabeça em seu ombro - já está tão bom nós apenas juntos não é? 
- ainda vou te convencer a se casar comigo - piscou 
- tem muito tempo pra fazer isso 
- é? - sorriu e me beijou 
- sim, se depender de mim, tem a vida toda pra decidir isso - sorri 
- adorei o rumo da história, magina nós dois velhinhos entrando na igreja de bengala e tudo? - riu 
- ri - okay, não vou me fazer de díficil por tanto tempo 
- mas vamos deixar futuro pra depois, porque o agora está perfeito - me beijou 



FIM 

---------------------------------------------------------------------------------------------
OI OI AMORES 
É ficou fofo, estou fofa porque, não sei, mas ficou daora? ESPERO QUE TENHAM GOSTADO MEUS AMORES 
EEEEEEE QUE DIA ESPECIAL NÉ? 
4 ANOS DE BANDA, 2010 Zayn falando no X Factor que aquele não era o final da one direction, 4 anos depois, eles estão fazendo turnê mundial, a gente morrendo de feels, e lendo ( no me caso escrevendo) fic pra sofrer um pouco mais haha <3 mas vei, nem parece que foi 4 anos, parece que foi ontem que eu morria de feels com a UANT agora é a WWAT, que eu fui, nunca vou superar, e vocês que não foram, não se preocupem que eles vão ficar muitos anos juntos, e vão ser muitos shows no Brasil pra vcs realizarem seus sonhos. ENTÃO AMORES, É ISSO, TRISTES PELO FINAL DO MINI IMAGINE MAS FELIZES PELOS 4 ANOS DE BANDA DESSE BANDO DE RETARDADO!  
- beijos * mi 

Longfic When you love - Cap 3

22 de julho de 2014 | | | 4 comentários:
                                                          Nasce um amor...
                                                                  Capitulo 1 | Capitulo 2
   

Anteriormente  Meu vô é tão, digamos, solto e liberal. Adoro isso! Após a pizza chegar e comermos, eu tomei um banho e me vesti para a fogueira, caminhei pela areia que ainda estava morna devido ao sol escaldante durante o dia, porém a noite estava gélida. Ao longe já podia enxergar uma fogueira e um carro acabava de chegar. Sou um pouco vergonhosa pra conhecer gente nova, mas enfim, espero que sejam legais.

(Seu Nome) P.O.Vs

        Caminhei decidida mesmo com a insegurança, quando cheguei mais perto percebi o garoto de mais cedo, como era mesmo o nome dele? Ah sim, Bryan. Ele me viu e sorriu docemente, retribui e ele caminhou até mim.

- Hey você veio! -ele falou animado-
- É. -sorri- Louis me convidou.

- Ah sim, ele já deve estar pra chegar. Enquanto isso, porque não fica comigo? Vou te apresentar aos outros. -sorriu gentilmente-
- Ah, ta bom.
- (Seu Nome)? -uma voz chamou fazendo com que eu erguesse meu olhar-


                    

                  Era Louis, sorri pra ele que fez o mesmo pra mim.

- Pensei que não fosse vir. -ele falou-
- É, eu pensei melhor. É bom conhecer novas pessoas, e já que vou ficar por aqui é bom ter amigos.
- Posso ser seu amigo sem pestanejar. -Bryan falou e eu ri-
- Obrigada. -falei- 
- Então... Deixa que eu te apresento à todos. -Louis falou-
- Ta bom. -respondi-
- É, acho que não precisa mais de mim. -Bryan falou e logo correu para a rodinha que se formava na fogueira-
- É bom te ver aqui. -Louis fala-
- É bom estar aqui. -sorrio-

               Nos aproximamos do pessoal que preparava a fogueira e Louis falou alto o suficiente para que todos pudessem ouvir:

- ''Ae'' pessoal, essa aqui é a (Seu Nome) Marshall, ela é neta do Bill e vai ficar uns tempos aqui na Califórnia.
- Oi. -acenei sorrindo sentindo minhas bochechas corarem-

                Todos eles vieram até mim e de um jeito que nunca vi antes, cada um foi muito gentil, todos me receberam com um abraço apertado -o que é estranho porque ninguém faz isso onde eu moro- e se apresentaram como: Zayn, Liam, Niall, Harry, Izabella, Elise e Perrie (muito bonita por sinal). Tinha Bryan também, mais esse eu já havia conhecido.

- Qual é pessoal? Vamos, vamos. Fogueira é o quê? É alegria! Então vamos alegrar isso aqui! -falou o garoto que conheci como Niall-

                 Depois disso todos se sentaram envolta da fogueira, inclusive eu com Louis ao meu lado. Mal percebi e todos já estavam cantando músicas de fogueira, enquanto Niall tocava violão, entrei no ritmo mesmo não sendo uma Demi Lovato, eu cantei e encantei, mas não né. Enfim, a noite estava maravilhosa e com certeza me arrependeria se não tivesse vindo. Olhei para Louis que também cantava e por um segundo nossos olhares se fixaram um ao outro, foi estranho, na verdade muito estranho. Senti como se já o conhecesse, senti como se já tivesse passado por aquele momento antes, aquela sensação de Déjà vu. Desviei o olhar rapidamente e voltei a cantar, agora um pouco sem graça.

Louis P.O.Vs

              Aqueles olhos, porque vejo um brilho diferente neles? Quando me dou conta, estou encarando descaradamente a bela garota à minha frente. O que raios está pensando Louis? Você sabe que jamais sentirá algo por ninguém novamente, você é único e fiel ao amor de sua vida, Kiera, e não importa o quão longe ela está de você, nem que essa distância está entre a vida e a morte, um dia nos encontraremos de novo. Se depender de mim não vai demorar muito pra que isso aconteça. Quem te vê com um sorriso no rosto, acha que você está bem. Mas por dentro, só você mesmo sabe como as coisas estão de verdade. Tentar parecer bem na frente das pessoas para não ter que dar explicações é fácil e é incrível o modo como elas pensam que está tudo bem de verdade. Será que não existem mais aqueles tipos de pessoas que percebem seu astral apenas olhando fundo em seus olhos?

              Não sei se sou uma dessas pessoas, mas agora a pouco quando olhei fundo nos olhos de (seu Nome), foi exatamente o que senti. O sorriso de que está tudo bem por fora, mais no coração... Seus olhos me mostravam angústia, tristeza e principalmente mágoa. Quem pode ter feito tudo isso com uma menina tão linda e gentil? Pelo menos é o que vejo nela. Eu apenas sinto essas coisas, é como se estivesse em meu sangue, vindo junto de meu DNA. Sabem como é, quando você acaba de conhecer uma pessoa e só de vê-la você já sabe se ela é boa ou ruim? (Seu Nome) é uma delas, e quando a vi tive certeza que fazia parte das boas e com a péssima sorte de estar sujeita à depressão.

- Vem comigo? -sussurrei em seu ouvido e ela me encarou-
- Pra onde?
- Você vai ver. -levantei e estendi minha mão pra ela-
- Tudo bem. -ela hesitou por um instante e depois pegou minha mão se dando por vencida-

               Senti alguns olhares sobre mim, sobretudo o de Bryan, por algum motivo acho que ele está afim dela. O que na minha opinião é uma total falta de respeito! Tudo bem que não estamos juntos, mais o que todos pensam é que eu estou tentando ficar com ela, então nada mais óbvio do que o respeito dele, não é? Mais eu vou deixar passar, porque afinal, ele é meu amigo e também, eu não estou tentando ficar com ela, portanto as coisas ficam exatamente como estão. Estou começando a me arrepender de tê-la chamado pra vir comigo, mais agora não posso dar pra trás, não é? Só espero que ela goste do que vai ver.

- Aonde estamos indo? -perguntou desviando de uma palmeira-
- Você conhece constelações?
- Na verdade não. -sorri envergonhada-
- Então você vai amar o lugar pra onde vamos, lá tem uma vista incrível da constelação Orion.
- Orion? A única que conheço se chama cruzeiro do sul. -ela sorri e eu dou risada-
- Acho que até meu primo de sete anos conhece essa. -tiro sarro-
- Hey! -ela me dá um soco no braço- Não me esnobe!
- Ai! -reclamo- Isso doeu!
- Porque era pra doer. -sorriu maliciosamente-
- Ta legal, CUIDADO. 

                Falei mais já era tarde demais, ela levou um baita "tropicão'' numa pedra e a sorte dela era eu estar lá para segurá-la a tempo, seus braços me agarrarão com força, talvez pelo susto que ela tenha levado, mais admito que ninguém nunca me tocou daquela maneira e tenho que dizer que... Eu gostei. Fito seus olhos e mais uma vez aquele brilho diferente me encanta. Solto-a e digo me recompondo: 

- Essa foi por pouco. -falei-
- É foi mesmo. -ofegou-
- É melhor continuarmos. -digo-
- Claro.

                Depois de mais dois minutos de caminhada finalmente chegamos aonde eu queria. Fica bem no topo de uma grande pedra, tipo aquelas de cachoeiras, mas essa aqui não tem água. Deitei sobre a pedra e fiz um gesto para que (seu Nome) seguisse o meu exemplo. Assim ela fez. 

- (seu Nome) Marshall, eu te apresento agora, à constelação Orion. -apontei com o dedo-
- Aquela? -ela perguntou apontando junto comigo-



- Essa mesmo! 
- É linda. -sorriu-
- É, ela é sim.
- Você vem sempre aqui?
- Quase todos os dias. Eu... Gosto de vim aqui, gosto de poder ficar sozinho.
- Mais uma coisa que temos em comum! -ela ri- Eu também amo ficar sozinha, é a melhor maneira de pensar na vida. Apesar de que isso pode ser bem dolorido às vezes.
- É você tem toda razão. Eu... Costumava vir aqui com ela. -admito-
- Qual era o nome dela? -ela pergunta e parece estar mesmo interessada-
- Kiera. -falo sorrindo ao me lembrar de momentos ao lado dela-
- É um nome muito bonito. -ela diz sinceramente-
- E ela também era.
- Pelo menos você só tem lembranças boas ao lado dela. Ela pode até ter lhe deixado mais uma parte dela vai estar sempre com você. Lembrar dela deve te trazer coisas boas.
- É traz sim. -raciocino- Sempre que me lembro eu me sinto... Feliz e triste... Eu acho...

         Ouço um suspiro pesado vindo dela e creio que esteja pensando em Ray, o namorado que a abandonou. Eu não sei o que aconteceu de verdade mais com toda certeza esse cara é um idiota por tê-la deixado. Porque qualquer homem em sã consciência não desperdiçaria a oportunidade de ficar com uma garota incrível como ela. E é por isso que penso estar voltando a criar essa tal consciência.


Como eu disse pra vocês, vou terminar logo essa longfic pra poder postar a interativa de terror, comentem o que estão achando ta bom? As coisas estão um pouco paradas mais vão melhorar. Bjussss amo vocês, leiam Gardênia  -Deh

Gardênia - Cap - 14

| | | 20 comentários:
                                         Ride a bike

  

Anteriormente:  Abro os olhos desligando o chuveiro rapidamente, se isso estiver certo, então significa que (Seu Nome) pode enxergar algum dia, eu seria o herói dela e o primeiro a lhe mostrar o mundo, a lhe mostrar o céu. É minha chance de mostrar que sou um verdadeiro amigo. Enrolo-me numa toalha ainda com os cabelos molhados e sento na cama com o notebook nas mãos, abro o Google e digito minha pesquisa esperando ansiosamente que tudo dê certo. Os dedos inquietos sobre o teclado, só comprovam minha ansiedade. Clico na primeira página que apareceu e começo a ler tudo o que está escrito, e com tudo eu quero dizer tudo mesmo. [...]

(Seu Nome) P.O.Vs


         Naquela noite, a última coisa que consegui foi dormir, minha cabeça latejava com tantos pensamentos e meu coração pesava com a desorganização dos sentimentos. Alguma outra coisa, não sei ao certo o que é, mas lá no fundo eu sentia que algo estava prestes a acontecer na minha vida, o que me fez ficar feliz, já que da última vez em que tive esse sentimento, Harry apareceu mudando minha vida completamente.

               Acordei sábado de manhã e o dia parecia mais lindo do que todos os outros, apesar de eu não poder vê-lo, eu era capaz de sentir todas as harmoniosas vibrações. Como por exemplo, os pássaros pareciam cantar mais alegres e o som do vento era como uma doce música a ser ouvida. Tomei banho assim como nos outros dias, mas dessa vez havia algo saindo de meus lábios, era uma música que ouvi no carro de Harry. Harry. Na verdade desde que acordei só consigo pensar nele. 

              Diferente de como as pessoas cantam normalmente, eu cantava de uma maneira totalmente oposta e acabo de me dar conta do porque. Eu estava cantando como uma garota apaixonada. Não não, pare de ser boba (seu Nome), você nem sabe como é estar apaixonada por alguém, você nunca sentiu isso e nem deve se dar ao trabalho de sentir. Caminho cuidadosamente até a cozinha e antes que chego completamente Nana aumenta e voz e me fala:

- Ah, aí está ela! Eu já estava indo atrás de você.
- Porquê? -pergunto-
- Marvin acabou de chegar pra te ver, eu entrei pra te chamar.
- Ah, o Marvin. -não pude esconder minha frustração-
- Sim, o Marvin. Agora vamos, não o faço ficar esperando. -falou me empurrando pelas costas-

               Ai essa não! A ultima pessoa que eu queria ver no momento é o Marvin. Nesse e em outros momentos também. A presença dele nunca havia me incomodado tanto quanto incomoda nesses últimos meses. Saio para a varanda e já posso ouvir sua cadeira de rodas se movimentando.

- Linda (Seu Nome)! Sua beleza deixa meu dia mais feliz minha querida.

               Ofereço-lhe um sorriso forçado, mas não faço som algum.

- Como... Como você está? -ele pergunta quando vê que não falaria nada-
- Estou ótima. -seria chato não perguntar sobre ele né?- E você?
- Admito que estou bem melhor agora aqui com você.

               E... Mais um sorriso forçado. Meu Deus (seu Nome)! O que raios Marvin te fez pra você tratá-lo desse jeito? Ótimo! Agora minha consciência está tentando me fazer sentir culpa. Sento-me na mesma cadeira de sempre e tento parecer mais gentil do que tenho sido ultimamente com o pobre Marvin.

- Então... Como andam as coisas? -Porque raios eu fiz essa pergunta?-
- Ah que bom que perguntou! -falou pegando na minha mão- Está tudo indo perfeitamente bem!

                Por algum motivo não me agradou o tom que ele usou nessa pequena frase. Foi como um iceberg. O que está escondido é muito maior do que o que está na superfície. Resumindo, tem muito mais nessas palavras do que se pode imaginar. Pouso minha mão sobre os joelhos educadamente, mas não o bastante para que ele não perceba que eu não gosto deste ato.

- Que bom Marvin.
- E você... Está precisando de alguma coisa? Qualquer coisa. Você sabe que pode contar comigo, não é?
- Ham... É claro que sei Marvin. Obrigada mais... Eu estou bem, de verdade.
- Bom... Pode me chamar a qualquer momento que eu virei correndo.

                A ultima palavra saiu mais baixa do que o normal, talvez ele tenha percebido que literalmente não poderia vir correndo, pelo fato de não ter o movimento das pernas. O que me fez sentir pena e ficar com ainda mais remorso de tratá-lo de maneira indiferente. Ainda assim, não poderia deixar de perguntar se ele pretendia demorar, afinal, hoje é sábado e com certeza -eu espero- Harry vai me encontrar lá.

- Então... Você vai demorar?
- Eu estou atrapalhando? -ele pergunta-
- Não não, nada disso. Só queria saber mesmo, seria mais confortável entrar e tomar um café caso você fosse demorar. -sorri-
- Ah eu adoraria! -nossa que bosta hein- Mas, eu tenho algumas coisas... Pendentes a resolver, então não posso.

               Isso! É melhor eu conter meu entusiasmo para que ele não perceba minha felicidade, seria muito indelicado da minha parte agir dessa forma tão pouco acolhedora.

- Mais eu fico muito feliz que você tenha pensado em me convidar para um café. -ele pega minha mão novamente-
- Falando em café... -tiro minha mão de volta e passo sobre o estômago- Nossa que fome hein?! Pois é, acho que vou entrar para comer alguma coisa, estou faminta.
- Ah... Isso, isso! Faça isso, afinal, ficar sem comer pode te deixar fraca, e não queremos isso, queremos?
- Queremos? Não não, não queremos. De maneira nenhuma. Tchau Marvin, foi bom te ver.

                 Falei já de pé entrando pra dentro de casa, ainda a tempo de ouvir o seu tchau abafado do lado de fora. Depois de passado algum tempo, eu finalmente tomei meu café da manhã e me encontrava no meu lugar preferido no mundo inteiro, O Richmond Park!

Harry P.O.Vs

             (seu Nome) vai adorar a minha ideia eu tenho certeza absoluta, apesar de eu estar de que ela nunca fez isso antes, fico feliz de ser o primeiro a lhe dar esse gostinho de liberdade, o sentimento que ela tanto ama. Fecho o carro e assim que viro a primeira rua do parque, já avisto o lugar que aluga o produto que estou interessado. Me aproximo e há um senhor de costas que imagino ser o proprietário daquele pequeno cantinho.

- Com licença, quanto é?
- 10 dólares a hora.

                  Ele se vira pra mim e é então que tenho minha grande surpresa. Para o meu total espanto, ele é o mesmo senhor que me vendeu a flor que dei a (seu Nome) algum tempo atrás! Mal percebo e estou o encarando, e imagino eu com um ar de bobão do sétimo ano, aqueles que a baba escorre pelos cantos da boca. Eca.

- O senhor é... -minha frase fica no ar quando ele me dá um sorriso e assente com a cabeça-
- Eu mesmo!
- Mais...? Como...? Eu não te encontrei mais na loja flores!
- Ah eu parei de trabalhar naquele lugar há séculos. -ele falou erguendo as mãos pra cima-
- Então o que estava fazendo lá no dia em que eu fui comprar flores? -perguntei curioso-
- Ajudando um garoto com bom coração a fazer a escolha certa. -deu uma piscadela-
- Mais... Como o senhor sabia que eu estaria lá? Porque isso não faz sentido pra mim?
- Porque você faz muitas perguntas bom garoto. Pare de se questionar sobre tudo, são coisas da vida. Viva assim e vai ser muito feliz.
- Viver sem questionar? -perguntei à mim mesmo-
- Então? Vai querer uma ou não?

                 Por um momento havia me esquecido do meu real objetivo de ter ido até ali.

- Ah, sim sim, eu vou querer. -falei pegando dez dólares no bolso-
- Quer escolher?
- Pode ser aquela azul ali.
- Tudo bem. -ele disse-
- Vai estar sempre aqui?
- Porque? -perguntou desconfiado-
- O que aconteceu com o "não questione"? -perguntei divertido-
- Sou apenas um velho prevenido garoto. -ele sorriu para mim- Mas, a resposta para sua pergunta é não. Não estarei sempre aqui.
- Mais então... Como eu posso te encontrar de novo?
- Quando você menos esperar, ira me ver por aí.
- O que... -ele me interrompeu-
- Ande, vamos. Não quer deixar sua garota esperando, não é?
- Não. -sorri- Até mais.

             Acenei com a mão e corri com a bicicleta ao meu lado em direção a onde (seu Nome) fica, tenho certeza que ela vai amar, pelo menos a conhecendo como eu conheço. Mais agora aqui entre nós, aquele senhor sempre consegue me deixar encabulado. Aproximo-me do nosso querido banco e meu coração se incendeia de sentimentos, como em todas as vezes que vejo aqueles lindos cabelos ruivos balançando com o vento, e aquelas maçãs rosadas com aspecto fino. Sentimentos que só sinto ao lado dela e com ela, sentimentos tão bons que é impossível encontrar as palavras certas para descrevê-lo. A única certeza que tenho, é a de que eu nunca havia sentido algo assim por ninguém na minha vida, e Deus! Eu quero tanto que ela sinta o mesmo por mim.

              Meu sorriso se alarga à medida que eu caminho em sua direção, da mesma maneira minhas pernas parecem se alargar de tão moles que ficam, meu estômago dá voltar como se borboletas estivessem brincando lá dentro. O amor faz isso com a gente? A única coisa que eu quero, é tentar colocar naquela linda cabecinha, que eu não me importo se ela pode me ver ou não. Não me importo se ela é rica, famosa ou tem contatos importantes. Eu só me importo se ela é ela. Desse jeitinho meigo que só ela tem, com esse sorriso fofo que te faz sorrir involuntariamente, com esses olhos que ao mesmo tempo sem vida, trazem tanta alegria as pessoas. É isso que quero fazê-la perceber, e eu sei que vou conseguir.

- Me esperando? -pergunto sorrindo assim que fico à sua frente-
- Harry! -ela sorri se levantando- Cadê você?

                Largo a bicicleta e coloco minhas mãos nas suas. Rapidamente seus braços estão envoltos no meu pescoço em um grande abraço. Seus abraços são os melhores para mim. Quando estamos juntos é como se mais nada importasse ou existisse, nem mesmo aquele beijo da noite passada deixou que ficássemos receosos um com o outro. Tudo o que tem aqui e agora, são dois jovens que acima de tudo e todos tem uma linda amizade que nada nem ninguém pode abalar.

- Como você está? -pergunto assim que nos separamos-
- Bem melhor, aquele remédio que você me deu parece ser mágico! -ela falou animada e sorrindo-

                  Eu já mencionei o quanto amo o sorriso dessa garota? Pois bem! Tome notas disso.

- Eu fico muito feliz com isso, caso contrário teria que deixar minha surpresa pra outro dia. -sorri-
- Surpresa? -ela pergunta animada- Harry você tem uma surpresa? O quê é? -pergunta curiosa-
- Bem, nós vamos... Não sei se devo falar.
- Fala logo Harry! -falou em um tom fofo e fez biquinho-

                 Meu Deus! Ela quer me deixar louco fazendo biquinho desse jeito? Acho que ela já me venceu nessa batalha depois disso. Porque homem tem que ser tão fraco quando as garotas usam esse tom de voz e fazem biquinho? Que droga hein?!

- Ta bom ta bom, eu falo.
- Isso! Diz logo vai.
- Nós vamos andar de bicicleta!
- Ai Meu Deus Harry! Tá falando sério? Eu sempre sonhei em andar de bicicleta!
- Eu sabia que você ia gostar. Me dei conta disso por saber que você ama a sensação de liberdade, essa é uma grande maneira de se sentir livre.
- O que eu vou sentir quando estiver andando? -pergunta entusiasmada-
- Você vai sentir.... -penso- Vai sentir que é um pássaro dando seu primeiro voo. Você ira amar.
- Eu gosto de pássaros! -ela diz sorrindo-
- Então você vem? -falo tocando sua mão-
- Sim. -ela assente sorrindo, segurando minha mão com força-

                Peguei a bicicleta e expliquei a (seu Nome) exatamente como era. Ela estava tão feliz e animada ao mesmo tempo que acho que qualquer pessoa infeliz que tocasse nela seria contagiado pela sua alegria. Estávamos prontos para dar a partida.

- Tudo bem, eu quero se segure com força em mim e não solte, tá legal? -falei-
- Ta bom! -ela falou sorrindo-
- E... Lá vamos nós.

                   Comecei a pedalar e senti seus braços se apertando com força no meu peitoral, eu estava tão feliz por tê-la feito feliz que acho que nada vai superar a alegria deste momento. Começamos a ganhar velocidade e (seu Nome) parecia estar perdendo o medo aos poucos. Eu pude sentir quando seus braços se afrouxaram o suficiente para que eu pudesse voltar a respirar normalmente.
                

(Seu Nome) P.O.Vs

            Acho que esse é o dia mais feliz da minha vida! Um dos dias mais felizes da minha vida na verdade, já que o primeiro foi quando conheci Harry. Meu Deus, tudo o que ele faz é tão perfeito que não parece ser real, e acreditem eu me questiono toda hora se ainda não estou sonhando e a qualquer momento vou acordar vendo que tudo não passou de mais um filme sem figuras na minha mente.

               Eu estava receosa, na verdade quando começamos a nos movimentar o meu coração deu um salto triplo e foi parar no meu estômago. Mas então eu comecei a pensar em Harry e no meu primeiro beijo noite passada com ele, e de repente eu me sentia tão segura nos seus braços, como se mal nenhum pudesse ser capaz de me atingir, é assim que me sinto ao lado de Harry. Esse sentimento é tão lindo que as vezes parece não caber dentro de mim e transbordar pra fora do meu coração. Qual o nome pra isso?

                                    Homenagem ao capítulo com: HARRY STYLES
      

Eu só tenho uma coisa há dizer para nossa querida (seu Nome): O nome disso é AMOR minha querida, acorda pra vida! Rsrsrs oooi minhass lindas, como vocês estão? Finalmente vou voltar a postar agora neh? A viagem foi ótima (ninguém perguntou). Mas enfim, quero saber o que estão achando então comentem okay? Vou terminar a longfics do Louis logo, porque estou louca pra postar a longfic interativa de terror que eu fiz. Alguém gosta de terror? Haha beijos Gardeners. -Deh ♥