18 de abril de 2014

DNA - Capítulo 7 - Forget Forever

No último capítulo...

A vida realmente é feita de escolhas. Algumas podem estar destinadas. Meus dons estão no meu DNA isso eu não poderia mudar, não os escolhi. Acreditar neles foi minha escolha. Cuidar de minha família foi minha escolha. Isso pode estar em meu DNA também, pois isso não é uma escolha afinal das contas, isso é meu destino.

Samantha P.O.V.

Minha irmã se levanta cedo, seria um luxo dizer que dormiu mais que duas horas. Ela arruma sua mala. Seu guarda roupa não é muito grande, consegue colocar maioria de suas roupas em uma mala e levou sua mochila com itens pessoais.

Passamos a noite conversando sobre nossa família, sobre a nova vida que SeuNome levara, sobre tudo. Tentamos não falar muito sobre o campo de treinamento, minha irmã parecia não querer tocar no assunto, apenas a respeitei.

Minha irmã tem uma mania de esconder seus sentimentos, mas não passa de uma simples ilusão se ela acredita que não vejo em seus olhos o pavor. Claro que é assustador. Isso simplesmente foge da realidade que SeuNome está acostumada a viver.

Lembro-me do dia que eu descobri que eu era diferente das pessoas de minha idade. Primeira pessoa que eu pensei em contar foi para SeuNome, mas já podia escutar sua voz de reprovação. Automaticamente corri para minha mãe.

Não me apavorei de inicio, me apavorei quando minha mãe mostrou o quanto isso é muito maior que eu. Apavorei-me quando vi minha mãe sem vida no chã, sabia que a magia havia a matado. Não por sua culpa, por culpa de algo maior que eu e ela.

A principio senti necessidade de procurar alguém para me explicar melhor essa história, me surpreendi ao descobri que meu pai sabia tudo.

Comecei a cuidar de minhas irmãs, deixando SeuNome pensando que eu e minha família necessitássemos de ajuda. Assim SeuNome estava ocupada demais para descobri seus dons

Ela tem 17 anos, dificilmente conseguira ser dominadora de algo, mas um ser magico ela é. Sabiny viu um futuro próximo, onde SeuNome consegue dominar o fogo. Mas o futuro é incerto, não posso afirmar nada.

- Acho que está tudo pronto. – Fala SeuNome fechando a mala. – Vou tomar um banho.
- Também vou, aproveito e acordo o papai e a Sá.
- Tudo bem. – Sua voz era sem emoção.

A voz de SeuNome era sempre, maioria das vezes, do mesmo tom. Fazia sempre aquela voz onde você não consegue imaginar se está feliz ou triste.

Vou até meu quarto. Tomo um banho. Sinto a presença de alguém. Logo pelo tom da voz e seus pensamentos, sinto que Louis se encontra na porta da frente de minha casa.

Samantha? Estais ai?Pensa ele.
Sim. Penetro em sua mente.

Louis está com medo. Seus pensamentos giram em torno de minha irmã. Medo de perder ela o domina.

Quero me despedir novamente de sua irmã.
Eu sei, mas isso só irá machucar você.
Eu preciso e você sabe disso.
Tudo bem, fique ai fora, daqui uns 20 minutos estamos saindo de casa.
Ok.

Louis é o único que converso por pensamentos. É o único que se permite a isso. Ontem, ao escutar a conversa de minha irmã com outros dominadores. Não resisti à tentação de escutar os pensamentos de Niall.

Niall tinha um sorriso sincero, um olhar calmo, um cabelo lindo, um rosto bonito e tinha uma personalidade incrível. Eu pude perceber que cuida de sua família do jeito que SeuNome cuida, pude escutar seu pensamento preocupado.

Ele era um amor. Quando me viu, tentei não escutar o que ele pensava, mas tive que escutar o que ele pensava de mim. Fiquei toda boba quando escutei elogios dele para mim.

- Vamos? – Meu pai bate em meu quarto.
- Claro.


Fecho a porta de meu quarto e ando até o quarto de Sá, a mesma já estava arrumada, a pego no colo. SeuNome já havia levado as malas até o carro e estava conversando com Louis. Tentei evitar os pensamentos de Louis e me concentrar em algo além dele.

Assim que SeuNome terminou de falar com Louis entrou no carro junto de Luke, que sentou-se no banco da frente. O rosto de minha irmã nunca foi tão enigmático como nesse momento.

- Vamos porque a viagem é longa. – Comenta meu pai.
- Vocês foram lá quando? – Pergunta SeuNome.
- Lembra se do ano que eu fui a um acampamento de verão? – Falo.
- Você foi para lá? – Pergunta SeuNome.
- Sim.
- Então você conhecia já Ellie e Niall?
- Conheci a Ellie. – Falo. – O Niall não estava lá.
- O que você fez lá?
- Treinei.
- O que aprendesse lá?
- Melhorei ao confundir as pessoas, agora consigo evitar escutar o pensamento de todos ao meu redor, consigo focar em apenas uma pessoa, consigo plantar lembranças falsas na mente das pessoas.
- Como assim?
- Por exemplo, você lembra quando ganhou o Luke? – A questionei.
- Claro...
- Pai você lembra? – Perguntei para meu pai que se concentrava no transito.
- Sim, ele era pequeno, sua mãe que te deu, não é verdade?
- Não...  Eu que o comprei... – Minha irmã desvia os olhos fixos em meu pai para mim. – Você fez isso?
- Isso o que? – Perguntou meu pai.
- Sim. Plantei a lembrança falsa no papai.
- Nossa... Isso é incrível. – Olhou para a janela e contraiu os lábios. Estava nervosa.

Eu poderia não conseguir ler a mente de minha irmã. Só que sabia que algo atordoava. Medo de algo. Eu aposto que não tem a ver com o campo de treinamento. Tem algo com mais sentimento envolvido. Talvez algo relacionado ao Louis... Ou até mesmo Zayn.

- É incrível mesmo...
- E quanto tempo isso costuma durar?
- Eu não sei...
- Mas é muito? É permanente?
- Acho que a memoria não é permanente... Mas as consequências dela são permanentes.
- Como assim? – Perguntou acariciando o cabelo de Sabiny que estava deitada em seu colo.
- Se você me fazer plantar uma memória falsa em Louis ele de fato esquecerá que te ama, mas a lembrança vai se apagando e junto você vai se apagando. Louis não apenas esquecerá que te ama... Ele se esquecerá de você.

Os olhos de minha irmã ganharam um certo brilho, não era um brilho bonito. Era um brilho triste. Daria tudo para conseguir ler a mente dela. Seus olhos se fecharam e forma uma pequena gota de lágrima que escorreu pelo seu rosto pálido.

- Pai... Preciso falar algo com o Louis.
- Mas filha, temos que ir para o campo.
- Eu tenho que falar com ele...
- Mas por que? – Perguntei.
- Quero dizer meus sentimentos antes que ele me esqueça.
- SeuNome você tem certeza...
- Pai por favor...
- SeuNome... – A chamei novamente.
- Não vai demorar, não é? – Perguntou meu pai.
- Vai ser rápido pai.
- SEUNOME! – Gritei.
- O que? – Me olhou.
- Você tem certeza do que está me pedindo para fazer?
- Tenho... Como tenho certeza que eu não o amo...

SeuNome saiu do carro com a total clareza de seus passos seguintes. Eu fui seguindo ela, pois ela havia me pedido para estar "ao lado" dela. O que não é de fato estar "ao lado", já que a mesma me pediu para me esconder atrás de um arbusto. Eu apenas apareceria quando ela me pedisse. Assim foi feito me escondi enquanto ela chamava o Louis que estava sentando nas nossas escadas com a cabeça para baixo, seus pensamentos eram tão tristes que eu estava me segurando para não fazer algo a respeito naquele exato momento.

SeuNome P.O.V.

- Louis... – Chamei baixo.

Louis tinha sua cabeça abaixada e estava sentado em minha escada. Olhou para mim com uma expressão triste, que incluía olhos vermelhos e olheiras profundas embaixo de seus olhos. Aquele rosto feliz era uma das coisas que eu mais almejava, e continuo almejando. Ele é uma das coisas mais importantes para mim, eu não suporto saber que estou fazendo mal para ele. Eu tinha que fazê-lo esquecer que me ama. Ele merecia aquilo. Mesmo que fosse para me esquecer também.

- Pequena... – Perguntou surpreso, um singelo sorriso apareceu.
- Tommy... – Seu apelido de infância levou ele rir ressaltando suas dobrinhas debaixo dos olhos. – Você lembra ontem, quando você me perguntou se eu ia te esquecer?
- Claro... – Levantou das escadas e se aproximou de mim. – O que tem?
- Eu nunca vou esquecer-me do dia que estávamos na casa de arvore de sua casa e você tentou me beijar. – Sorri. – E eu como uma boa menina fingi que te beijaria, no final de empurrei e mostrei a língua dizendo que aquilo era nojento.

Eu só percebi que estava chorando quando ele enxugou minha lágrima com seu dedo. Ajeitou minha cabeça em sua mão gelada e levantou, fazendo meus olhos chocarem com seus olhos azuis.

- Nunca vou esquecer quando matei pela primeira vez a aula só para ir para praia com você. Porque naquele dia ia ter um por do sol maravilhoso e aproveitei e te fiz estudar junto comigo números complexos. – Seus olhos se encheram de lágrimas igual aos meus. – Sabe Louis, eu realmente te amo. Talvez, eu nunca ame um namorado do jeito que eu te amo. – Seus olhos se fecharam lentamente deixando a lágrima escorrer. – Nunca vou sentir nada como eu senti por você.
- Pequena...
- Louis me perdoe.
- Eu...
- Eu nunca vou conseguir te corresponder do jeito que você quer. Pelo menos não agora.
- Eu espero.
- Não. Louis, eu não sei o que vai ser de minha vida agora, só sei que você não merece me amar.
- Só que eu amo SeuNome.
- Não devia. Nunca vou ser a pessoa certa para você.
- Por favor...
- Eu te amo... De verdade. Só que você precisa me esquecer.
- Samantha não faça isso. – Olhou para o arbusto em que minha irmã surgiu assim que foi citada. – Não vai adiantar, eu jamais esquecerei sua irmã. Nunca deixarei de ama-la.
- A deixe fazer isso. – Falo o puxando o rosto dele, o fazendo me encarar. – Se você me ama você deixará a Sammy fazer isso. Eu não serei feliz sabendo que você não está feliz. – Ele fechou os olhos. – Louis... - Selo os nossos lábios, para um último beijo.



Pela primeira vez eu senti algo. Pela primeira vez eu senti aquilo dos livros. Aquele frio no estomago. Desejo. Amor. Eu pela primeira vez senti o que é estar se apaixonando. Sentir caindo num buraco tão fundo e eu não havia alcançado o fundo.

Louis separou seus lábios de meus e me encarou. Suas pupilas que costumavam estar dilatadas na minha presença estavam normais. Suas olheiras sumiram e seus olhos já não estavam vermelhos. Tinha um sorriso sapeco no rosto.

- Você está bem Louis? – Perguntou Samantha desconfiada.
- Estou. – Sorriu e deu alguns passos para trás ficando distante de mim. – Estou muito bem na verdade.
- Você ama minha irmã?
- Claro, ela é minha melhor amiga. – Deu de ombros.
- Não. – Levantou as sobrancelhas. – Você a ama como namorada?
- Não! Claro que não. – Falou rindo. – Se quiser saber se estou mentindo leia meus pensamentos Sammy.
- Funcionou. – Suspirou aliviada minha irmã.
- O que funcionou? – Perguntou Louis curioso.
- Nada, agora vamos SeuNome. – Falou minha irmã sem paciência.
- Hoje que você vai para o campo né? – Perguntou.
- É... – Digo parada e chocada. Sem chão.
- Boa sorte lá Laurence. – Abraçou-me rapidamente. – Me mande noticia. Agora vou passar na Tami e ver se ela quer sair comigo hoje, estou muito a fim dela. Até outra hora. – Sorriu e andou até a casa de minha amiga.

Andamos até o carro em silencio. Estava tentando organizar meus pensamentos. Eu estava amando e esse alguém não me ama. Então era assim que Louis se sentia. Ainda bem que ele não se sente mais assim.

- Esta tudo certo mana? – Perguntou Sammy.
- Não. – Lágrimas escorreram compulsivamente de meus olhos semiabertos. – Eu o amo. Eu amo Louis. Só que agora ele não me ama mais. E o pior ele vai esquecer de mim... para sempre.



Olá meu anjinhos, como vocês estão? Quase que eu não posto hoje. Tive tanta coisa para fazer. Só que estou aqui, postando o capítulo que mais me parte o coração.
Esse capítulo contando pelas as irmãs mais lindas desse mundo apesar de triste é um de meus preferidos. Não sei por que, acho que pelo fato de a nossa protagonista ser tão boa a ponto de aceitar ser esquecida pelo seu melhor amigo apenas para vê-lo feliz. Acho isso tão lindo. Que orgulho dela – escritora boba –  ela é tão autentica. Eu apenas a adoro.
Agora sobre os comentários. Eu quase cai da cadeira quando uma menina disse que era uma “little smurf”, ela criou um fandom para mim, vocês sabem o que é isso? Ai gente estou em choros aqui. Adoro tanto vocês, os elogios os comentários, vocês fazem minha vida tão mais linda. Vocês são perfeitas, nunca se esqueçam disso.
Então o que vocês acham, que o Louis vai esquecer a SeuNome? Que esse casal já era? Façam suas apostas.
ps. poucos gifs por que eu nao estava achando nenhum que combinasse, desculpa.


Cya babys :*
- Aninha

Run Or Die - Capítulo 19. 2ªtemp.


~Narrador on~

Seunome e Louis não tiveram tempo de fazer nada, entraram em seus carros e partiram para casa de Mark, onde o resto estava.

Você: Acharam eles? - disse, entrando na casa.
Dom: Sim.
Louis: Onde eles estão?
Niall: Sabe aquele lugar que levaram a Seunome? A antiga boate dele?
Você: Levaram Jake pra lá?
Niall: Isso!
Você: O que estamos fazendo aqui? Vamos pra lá então! - ela disse, nervosa, pois a vida de Jake estava em perigo, e ela se importava muito com ele.
Dom: Calma, Seunome. - foi até ela. - eu, Niall, Liam, Harry e Mila vamos ficar aqui caso ele venha pra cá, Brian,Owen e Zayn foram pra lá!
Louis: Vamos então, Seunome! - puxou a garota pelo braço.

~~~~~~~~ 

Jake: Yara, faça qualquer coisa comigo e você sabe que eles te mataram!
Yara: Eles quem? - disse, amarrando as mãos de Jake uma a outra. - contratou eles como seus seguranças agora, é? - ela riu, e Jake cuspiu em sua cara.
Jake: Você é uma vadia!
Yara: Pelo menos eu estou livre e solta! - ela disse rindo, e saiu, deixando Jake com mais raiva ainda.



Brian: Psiu, Jake! - ele sussurrou, e saiu de trás de um armário.
Jake: Como entrou aqui? - sussurrou também.
Brian: Não foi tão difícil. - e foi desamarrando as mãos de Jake, e os pés. - enfim, cara, eu achei o John, ele não está morto! - disse ele, com lágrimas nos olhos.
Jake: Sério? Onde ele tá? - massageou os pulsos que antes estavam presos.
Brian: No final do corredor tem uma porta, que está trancada, tente arrombá-la e tire John de lá!
Jake: E você?
Brian: Eu vou acabar com Mark e Yara junto com Zayn e Owen! - sorriu.
Jake: Tá bom.

~~~~~~~~~~


Louis: Vem, Seunome, vem.
Você: Shhhh, não faz barulho! - ela sussurrou, colocando o dedo indicador na boca de Louis. Os dois estavam entrando de fininho para não serem percebidos, cada um com uma arma na mão.
xx: Onde vocês pensam que vão? - disse um cara alto, e bem forte.
Você: Não é da sua conta! - gif.
tumblr_lpochmRllS1r04phjo1_500.gif (500×281)

xx: Ah, sua vadia! - puxou Seunome pelo braço e a jogou na parede.
Louis: Deixa ela em paz! - deu um soco nele.



O cara revidou o soco, e Louis caiu no chão, sangrando.

xx: Vem cá, sua vadia! - pegou Seunome, e ela tentava lutar, batia e se debatia, mas o cara era três vezes maior e mais forte do que ela.
Você: Me solta, me solta, me soltaaa! - gritou. - ahhh, seu asqueroso!



Louis se recuperou e levantou do chão, foi por trás do cara e lhe deu um tiro, pegando Seunome no colo.


Louis: Vamos.
Você: Vamos. - assentiu.

~~~~~~~~~~


Jake: John, John! - sussurrou. - você tá ai? - tentava arrombar a porta, mas não tinha sucesso. Quando ele menos esperava, a porta foi aberta pelo lado de dentro, e tinha dois homens segurando John pelos braços, e o torturando. - Johnnn! - tentou entrar mas um dos homens lhe apontou uma arma. 



Jake: Parem, parem, não façam isso com ele! - dizia ele, já chorando, pelo fato de ver o amigo sofrer sem motivo.
John: Yara é.. uma vadia. - disse ele, antes de desmaiar.
Jake: Droga! - gritou. E dois tiros foram disparados, um em cada homem que segurava John, e assim, Jake o pegou.
Brian: Cuida do meu irmão. - disse ele, com Louis e Seunome atrás dele. - nós vamos acertar as contas com Mark.
Você: Que bom que você está bem, Jake! - disse e o abraçou, Louis ficou com ciúme, mas apenas saiu e foi atrás de Brian.

Louis, Seunome, Brian, Zayn e Owen estavam na frente da porta da sala de Mark, onde ele, os capangas e Yara também se encontravam. Dava pra ouvir que eles estavam rindo de algo inútil.
Seunome tomou uma iniciativa, chutou a porta com força e entrou, com uma arma na mão, apontada para eles.

Você: Quanto tempo, Mark. 




Mark: Ora ora, muito tempo mesmo, pequena Toretto. - disse levantando-se. - pra que a arma virada pra mim, querida?
Você: Só porque eu quero acabar com sua vida. - ela disse. - aliás, eu e mais um monte.

E assim, Hobbs, Mila, Dom, Harry, Niall e Liam chegaram lá também.

Hobbs: Se não é Mark Schuluz. - disse ele, Brian, Dom e Owen ficaram ao seu lado, como se fossem uma parede.
Mark: Policial Hobbs, porque a honra da sua presença em minha casa?
Hobbs: Eu vim prender um criminoso estúpido e seus capangas, que não deveriam ter saído da prisão.
Mark: Então eu acho que você veio ao lugar errado. - soltou uma risada falsa.
Hobbs: Não, estou no lugar certo. Acabou pra você, Mark.
Mark: Ah é? Porque? - debochou.
Brian: Primeiro, matamos seus seguranças idiotas.
Owen: Segundo, vocês ai estão em cinco. 

Dom: Terceiro, lá fora está cheio de policias.
Hobbs: E quarto, estamos fazendo seu filho de refém, então, eu acho bom você se render.
Yara: O que? - quase gritou, com lágrimas nos olhos. - prenderam meu irmão? Idiotas! - foi pra cima deles, mas o pai a impediu.
Mark: Tudo bem, vocês venceram. Mas isso não vai ficar assim.

~~~~~~

Para eles, tudo sempre acaba bem. Hã e Giselle vão para Tóquio, Tej e Roman foram pra Itália, Brian, Mia e Jake vão voltar pra Los Angeles, - não sabem que Seunome vai voltar com eles. - Dom, Letty, Mila, Amy, Ashley, Niall, Harry e Liam, vão voltar pra Londres, e finalmente começarem sua vida normal, assim como Louis, Zayn, Eleanor e Owen. Todos já estavam no aeroporto.

Dom: Bom, vamos galera? Nosso voo já vai sair.
Você: Pai.. - o chamou, e todos ficaram olhando.
Dom: Que foi, Seunome?
Você: Eu vou pra Los Angeles, com a Mia e o Brian.
Dom: O QUE?! - e todos olharam com olhos arregalados para ela.

~~~~~~~~~~


Mia: É, é, ela não para de vomitar.
Letty: Levou ela no médico? Deu remédio? 
Mia: Sim, já levei, ela já tomou o remédio mas não para.
Letty: E como ela está agora? 

Mia: Ela tá dormindo, dormiu a tarde toda, e ontem estava com vontade de comer ovos e tomar picolé de kiwi.
Letty: Sério? - riu.


~~~~~~~~~


Mia: Bom, Doutor, está aqui os exames. - entregou-os para o médico de Seunome.
Brian: O que ela tem?
Doutor: Boas notícias. Seunome, você está grávida! - sorriu.
Você: O QUE?

~~~~~~~~


5 anos se passaram.. 

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


Oi oi, gatitas!

Bom, não postei ontem porque passei o dia todo na casa do meu namorado, mas, aqui está mais um capítulo pra vocês.

Sinto lhes informar que ROD está no final :(((

Vocês viram You And I? Plmd, clipe PER-FECT!



Beijos, Mila
Até o próximo.  

A Produtora- Capítulo 16: Big Heartbreaker


~ Narradora ON~ 

Oferecimento, ´´ eu quase morri em You and I´´





~ 2 MESES SE PASSARAM...~ 

O One Direction foi a boyband mais premiada e mais consagrada de todos os tempos, Seunome colhia os frutos de seu trabalho. Tudo estava perfeito, do jeito que ela sempre queria... Queria, já que agora suas prioridades iam para um caminho tão oposto ao do trabalho. Sua vida pessoal, o cuidado de si, os seus sentimentos, nada disso antes tinha tido tanto espaço na vida dela como agora.

Devem ser os hormônios da gravidez e todo o resto. Seu coração doía muitas vezes mas a sua força era quase infinita e quando ela queria desmoronar, apenas pegava essa força de algum lugar e a utilizava. Para muitos isso poderia parecer frieza mas para ela, somente era defesa.

Roupas no chão, inssatisfação, raiva... Nenhuma de suas roupas conseguia disfarçar por completo a barriguinha que já se formara. Ela precisava começar a renovar seu guarda-roupa urgentemente. Ainda mais na noite do dia seguinte, a banda receberia um prêmio de honra à Inglaterra pelas mãos da Rainha. Era muito privilégio, precisava de um vestido arrasador e que não arrasasse com a sua situação atual.

- Onde você vai Anne? Lembre-se que amanhã bem cedo começam as gravações do seu novo álbum portanto não chegue tarde. - Sunshine alertou

- Okay, pode deixar, eu só vou dar uma volta com Niall por aí - ela piscou e saiu do apartamento deixando a futura mamãe trabalhando em seu notebook.

Ao tocar a campanhia Anne é recebida por Zayn, que a cumprimenta gentilmente dizendo que Niall está tomando banho e vai demorar mais meia-hora. A menina senta-se no sofá da sala e o moreno oferece alguma bebida mas ela recusa. Ele se senta na poltrona e a olha um pouco aflito.

- Tudo bem Zayn, pode me perguntar como ela está, não digo que você perguntou. - ela diz com um sorriso triste

- O que eu não... - ele tenta mas desiste - Como o bebê está? - diz baixo


- Ela e o bebê estão bem, ela vai ao médico amanhã de manhã, talvez dê para ver o sexo . - Malik afirma com a cabeça

- Obrigada. - ele diz somente

- Não desiste Zayn, ela não é fácil, nem um pouco mas tenho certeza que se existe alguém no mundo capaz de conseguir que ela fiquem em paz, esse alguém é você. - Após uma troca de olhares dos dois, Harry chega na sala e se senta ao lado da menina, a abraçando.

Malik sai depois de alguns minutos dele ali em um completo silêncio. Aquilo voltava a assombrar, ou talvez nunca tenha deixado de fazê-lo. Estar em um ´´namoro fake´´ era mais fácil do que ele pensava, a sua namorada fajuta não tinha nenhum problema em encenar, ele a achava bem bonita mas por algum ou por vários motivos não gostava de quando precisava beijá-la.

Após duas semanas de boatos do ´´namoro´´ enfim chegou o dia ´´x´´ em que o mundo/paparazzis pegariam os dois pombinhos no flagra. Tudo armado, o jeito como iriam se olhar, as mãos entrelaçadas, o selinho e enfim o primeiro beijo, perfeitamente captado pelas lentes espertas dos fotógrafos que estavam ´´escondidos´´ no local.

Então o mundo soube dessa relação, logo um discurso super ensaiado da maneira casual em que se conheceram durante um show do 1D que a nova banda foi prestigiar e das mensagens de texto que trocaram nos dias seguintes. Tudo apenas combinado. Perfeitamente.

Boa parte das dicas e jogadas partia da pessoa que mais se magoara com tudo aquilo. Depois de um tempo fazendo isso, ´´ a produtora´´ até fez parecer que não a machucava. Não mais. Porém era como se um instrumento cortante destruísse seus órgãos internos ao mesmo tempo em que ela tinha um ataque de risos. Somente insano.

Malik, apesar de magoado, vez ou outra levava seu olhar e seus pensamentos para ela. Sentia ódio por parecer que aquilo não a afetava, nenhum pouco. Era isso que ela fazia parecer. Então ele talvez tenha intensificado a ação do instrumento cortante e sempre que beijava sua namorada Olivia, fazia questão de olhar para Seunome, se estivesse por perto. Ele queria lembrar que aquilo só acontecia porque ela queria, pensava que isso iria aliviar seu sofrimento... Não, só fazia tudo ser mais doloroso.


Sunshine e Anne

Agora ele sentia como se todo o seu mundo fosse uma mentira. Ele mentia para os fãs, mentia para a família, mentia para o mundo e pior ainda, mentia para si mesmo. Mentia porque sabia que não conseguiria viver sem ela. Mentia porque sempre que a via se convencia do ódio quando o que tinha era um coração ferido porém ainda sedento. Mentia porque mesmo quando ela o feriu como nunca ninguém havia feito antes, ele não deixou de amá-la nem por míseras frações de segundo.

Como resolver tudo isso? Como convencer ela de que não tem mais jeito? Que tudo já está ferrado, que o melhor é dizer toda a verdade? Mas... qual é a verdade? A verdade de Zayn definitivamente não era a mesma verdade de Seunome. As consequências eram completamente distintas para ambos. Ele entendia isso mas sem dúvidas, isso estava indo longe demais. Não tem como esconder uma criança. Não tem como esconder um pai. E Zayn queria ser pai. Mais do que nunca. E ele estava disposto a desistir de tudo se isso o fizesse pai daquele bebê.

***
Na sala de estar dos meninos, Anne conversa com Harry que mesmo descobrindo ou suspeitando que sentia algo mais forte por ela a meses atrás, continua omitindo isso e assistindo de camarote ao supérfluo relacionamento entre ela e um de seus melhores amigos. 

- Para onde vocês vão essa noite? - Styles pergunta não muito animado

- Não sei, é uma surpresa, acho que deve ser um lugar romântico, faz tipo, bastante tempo que eu e Niall saímos, será que... - ela arregala os olhos ao pensar em uma possibilidade, seu sorriso se alarga - Ohh e se ele me pedir em namoro?

Com as mãos na boca ao pensar isso, Anne sente como se seu corpo estivesse submerso em alegria.

- An, eu acho que não vai rolar. - falou triste

- Por que Harry? Acha que nenhum cara se interessaria por mim e tudo o que eu represento? Eu passei por fases ruins mas estou bem outra vez - ela sorriu

Niall aparece na sala, seu cheiro invade a sala e Anne fica hipnotizada ao vê-lo. Suas expectativas para aquela noite não poderiam ser maiores. Sentia que seria um grande noite.

- Vamos linda? - falou sedutor

- Sim - disse com um sorriso largo

Os dois saíram e Harry se jogou no sofá. O big heartbreaker, dessa vez é quem está com o coração despedaçado. Quem ele gostava, definitivamente não sentia o mesmo por ele.
Niall e Anne caminharam pelas ruas de Londres, era uma noite agradável, a lua fazia companhia para o casal. A menina sentia borboletas percorrendo seu estômago quando Horan passava as mãos em seus cabelos. Eles entraram em uma cafeteria bem modesta.

- Eu adoro quando você faz carinho em mim. - ela diz enquanto ele massageia suas mãos

- Você vai querer mais alguma coisa? - falou Niall

- Já vamos? Chegamos a menos de uma hora, vai me levar em outro lugar? - perguntou animada

- Sim, na verdade é para esse lugar que eu queria te levar direto, mas achei melhor nos alimentarmos bem antes. - falou com um sorriso no canto do rosto

Nesse momento, Anne perdeu seu fôlego, naquele momento ela realmente achou que enfim um cara legal tinha sentimentos lindos em relação a ela. Apesar da relação dos dois ter começado tão... movimentada. Agora ela sentia que o que tinham era algo doce e meigo. Algo verdadeiro.

Unindo sua mão a dele, ela se deixou levar para o tal lugar misterioso. É uma surpresa, ele disse. A cada passo que dava seu coração se agitava mais e mais, a menina estava nervosa, nunca ninguém tinha levado ela para um lugar especial em uma surpresa. Era como nos filmes românticos que assistia quando mais nova.

- Essa rua é meio estranha. - ela disse estranhando

- O motel fica ali na próxima esquina, desculpe vir tão longe, é que nos do centro corria o risco de alguém nos ver, sabe...

Anne parou imediatamente quando ouviu a segunda palavra que ele dissera. Motel? Isso realmente superava qualquer expectativa dela, negativamente.

- Você tá me levando em um... motel? - perguntou abatida

- É minha linda, precisamos de mais privacidade, me entende? Para ficarmos completamente livres, apenas nos explorando - ele piscou - Vamos.

Niall segurou em sua mão e a puxou pensando que ela o seguiria, mas como uma âncora ela permaneceu com os pés fincados ao chão, processando tudo aquilo. Anne fechou seus olhos e quando abriu sentiu que estava desabando, seus olhos vermelhos revelavam isso.

- O que foi? - Niall perguntou tocando o rosto da menina

Assim que os dedos dele tocaram sua face, ela desconectou sua mão a dele bruscamente e somente virou as costas e andou depressa. Quando percebeu que ele estava vindo atrás dela o chamando, aumentou o ritmo e começou a correr.

Mesmo correndo Horan não deixou de escutar um barulho conhecido que fez com que ele dissesse ´´ Shit´´ mentalmente. Eram cliques. Cliques de câmeras. Parou de correr e olhou para trás, viu a mesma sombra preta de capacete que havia colocado naquele site de vergonhas a algumas semanas atrás.

- Hey, você!!! - e então ele começou a correr outra vez porém dessa vez atrás de outro alvo.

Correu até um beco sem saída escuro,  cansado enfim chegara ao paparazzi.

- Você não escapa dessa vez, seu idiota, me dá essas fotos - falou frente a frente com o paparazzi

- Não vou te dar nada. Já disse que não estão a venda.

- Não quero compra-las, quero elas agora.. você é bem mais baixo que eu, vamos lutar e no fim somente um sairá com as fotos.

- Por que quer tanto essas fotos? Acha que as fãzinhas não vão gostar quando verem o seu ídolo inocente e comilão trazendo uma menina pro motel? E o pior, correndo atrás dela, depois que ela o recusa? hahaha É o fim de uma imagem de menino bonzinho

- Cala essa boca, seu pedaço de lixo, somente me dá isso agora - Niall avança sobre a câmera e a agarra
Então os dois começam a travar uma luta pela posse da câmera, muitos xingamentos são ditos, enfim, Horan consegue segurar a câmera depois de imobilizar o corpo do paparazzi embaixo do seu.

- Agora isso é meu - diz Horan feliz com a câmera nas mãos

- Uau... realmente não achei que você era uma ladrãozinho barato, você é uma mentira, não é nada do que se lê nas revistas ou se vê na TV.

- Eu sou uma mentira? Você trabalha mascarado, com esse capacete. Seu trabalho é sujo, eu vou tirar seu capacete para falar algo olhando para seus olhos - Niall se movimenta tirando o capacete - Se você voltar a me perseguir ou a perse...

Ele para de falar assim que vê a imagem abaixo dele, é uma garota. Sua boca forma um ´´o´´ perfeito, ele fica chocado.

- Você é...

- Sou sim otário, e isso faz com o que dói em você, não me faça mal algum. - a menina com os cabelos negros sorri sarcástica

- O que? Como assim  o que dói em... - um grito foge da garganta de Niall quando suas partes baixas são atingidas em cheio pelo joelho da garota, ele cai no chão dolorido.

- E isso é meu. - ela pega a câmera que está no chão e sai dali.

Uma grande noite. Realmente.

***
No apartamento de Seunome, após um banho quente, ela se prepara para dormir, alisa sua barriga recém formada. A sua campanhia toca inesperadamente. Ela olha no olho mágico e só o que vê são flores cor de rosa. Seu coração bate forte... e então ela atende a porta.

CONTINUA...

Espero que gostem amores

17 de abril de 2014

DNA - Capítulo 6 - Deoxyribonucleic

No último capítulo...


Olho para trás via seus olhos ficarem vermelhos. De todos os possíveis fins de um relacionamento que nunca realmente saiu do papel, esse era o que ele menos queria.



Irônico é eu acabando de me despedir de Louis estar pensando em deoxyribonucleic, popularmente conhecido como DNA. Estranho. Afinal, eu não veria Louis por um bom tempo e a única coisa que eu penso agora é no composto orgânico, cujas as moléculas contêm as instruções genéticas que coordenam o funcionamento dos seres vivos e principalmente, transmitem características hereditárias de cada ser vivo. 

Aula de biologia dois. Prova de calendário numero três. Nota dez. Assunto genética. Um parabéns no rodapé da prova com direito a estrelas por volta de toda a palavra. Podemos se dizer que eu entendo, ou domino muito bem o assunto genética. Não é meu assunto de biologia preferido, só que está na minha cabeça desde que foi citado por Fred. 

Me sinto mal por estar pensando nisso. Deveria estar chorando pela minha despedida com Louis. Só que tudo que eu penso é nisso. Deveria também estar pensando no dia de amanhã e de como eu não sei nada, absolutamente nada. Eu sei que corro em perigo, mas não entendo nada além disso.

- Tem alguém te esperando no quarto. – Samantha aparece ao meu lado sem aviso prévio.
- Tem boas intenções? – Perguntei.
- Tem, ela vai te ajudar a entender muitas coisas. – Dito isso anda até seu quarto.

Fecho a porta do quarto de Sabiny. Tinha acabado de checar se minha irmã mais nova estava bem. Caminho até meu quarto, a porta estava entre aberta. Abro devagar. Na minha janela havia uma menina loira olhando para fora. Assim que entro a menina se vira para mim. Estampa um sorriso sincero e bonito.


- Olá! – Exclama a menina loira, sua voz era animada. – Meu nome é Ellie.
- Oi. – Fala meio surpresa com a animação da menina. – SeuNome prazer.
- Adorei seu quarto SeuNome. – Diz Ellie admirando meu quarto. – Sua janela, com essa vista, seus quadros e adorei seus livros.
- Você já leu algum?
- Eu não preciso. – Sorriu. – Eu apenas toco e já sei tudo sobre o livro.
- Como assim? – Falo sentando na cama.
- Por exemplo. – A menina pegou um livro de minha prateleira. – Você já leu?
- Sim, meu livro preferido. – Sorrio.
- Eu não. – Olhou para o livro. Ellie sentou em meu lado, colocou uma mão em cima e outra em baixo do livro. – Um livro com linguagem rebuscada, com muito romance e muitas lições de vida, o rapaz no final morre.
- Como posso saber se você não leu?
- Boa pergunta. – Fala com um sorriso muito, mas muito feliz. – Posso pega sua mão? – Recuo, mas acabo dando a mão para Ellie. – Você teve um encontro com seu melhor amigo. Você gosta dele, mas não do jeito que gostaria. Gosto do jeito que ele te beija, te toca e te ama, contudo não sente aquilo que você costuma ler nos livros. Você no fundo esta agradecendo por amanha estar partindo, tem medo que sofra por amor. Algo que você tem muito medo.

Fico olhando para Ellie completamente em choque. Tudo o que ela me falou é absolutamente verdade. A voz de minha irmã ecoa em minha cabeça “Você é um escudo, não consigo ter acesso a sua mente”. Como Ellie conseguia?

- Como você consegue?
- Eu consigo ter acesso a emoção das pessoas e ver lembranças das pessoas.
- Mesmo eu sendo um escudo?
- Sim, - Sorriu. – com um treinamento adequado seu escudo pode me impedir de fazer isso. Com um treinamento adequado seu escudo pode ser muito, muito poderoso.
- O que ele pode fazer?
- Pode proteger a pessoa ao seu lado, impedir ataques a sua pessoa, tem inúmeras coisas.
- Com esse treinamento nada pode me atingir?

A ideia de o escudo me proteger me deixou com uma esperança. Uma esperança de poder cuidar de mim e de minha família. Uma esperança de ficar perto de minha família.

- Na verdade, - Ellie pela primeira vez não sorriu. – podem.
- Mas, como?
- A magias que não temos controle. Magia negra e poderosa.
- Magia? – Minha cabeça da um nó. – Achei que existia apenas dominadores.
- Existe SeuNome, na realidade a magia assim como ter habilidade é algo extra.
- Extra?
- Sim, você é um ser magico SeuNome, você é um escudo, independente de ser ou não dominadora.
- Você domina alguma coisa?
- Sim. – Sua voz era animada. – Domino o elemento terra.



- É legal?
- Sim! – Ellie se levanta. Ellie parece daqueles seres que não conhece a tristeza. – Meu pai me pediu para vir aqui te explicar sobre o campo de treinamento e tudo que você quer saber sobre o nosso mundo, que é seu também.
- Seu pai?
- Sou filha de Fred Horan. – Sorriu.
- Conheci seu pai, ele esteve aqui em casa hoje.
- Eu sei. – Sorriu. – Estava ele, meu namorado e o braço direito de meu pai.
- Namorado?

A imagem de Zayn aparece em minha cabeça. Seu jeito grosso, indiferente, charmoso, seu cheiro invade minha mente. Sinto uma parte de mim com raiva, raiva de Zayn ser namorado do Ellie.

- Liam. – Ellie sorri bastante, mas nada superou seu sorriso ao citar Liam.
- Ele é seu namorado? – Uma onde de alivio atravessou meu ser.
- Sim, - Me olhou engraçado. – achasse que era o Zayn?
- Achei... – Sorri timidamente.
- Não, nossa, não mesmo. – Riu. – Ele não faz mesmo meu tipo. Grosso e metido.
- Não o conheci muito bem, mas realmente ele é meio grosseiro.
- Ele combina muito com minha irmã mais velha. Eles estão juntos há mais de um ano.
- Ah, sua irmã mais velha está namorando Zayn? – Minha voz saiu com um pouco de tom de ciúmes.
- Sim... – Sorriu maliciosamente. – Você está interessada no Zayn?



- Não. – Falei rápido demais, me alto denunciei.

Na realidade, não estou à procura de alguém. Tenho meu argumento “Tenho que cuidar de minha família, não posso pensar nisso”. Foi bom não pensar nisso por um dia, hoje, quando eu tive meu momento de romance com meu melhor amigo. Se estivesse a procura de alguém, com certeza seria o Louis.

Não posso negar que algo me incomoda em relação a Zayn. Seus olhos penetrantes e misteriosos. Seu jeito superior, o jeito de se sentar, seu cheiro, sua voz. Ele em si.

Ele era como se fosse um aviso ambulante de “Cuidado”, era como se todo o universo me avisasse que ele era tudo que eu deveria manter distancia, mas ao mesmo tempo sentia uma imensa vontade de conhecê-lo.

- Antes de você se apaixonar eu te aviso, ele não é boa coisa. – Sua voz era preocupada. – Minha irmã morre de ciúmes dele. Cuidado.
- Ellie achei que você tinha vindo aqui para tirar as duvidas dela. – Uma voz vem de minha janela, mas eu não via ninguém. – Não para falar de nossa irmã e principalmente de Zayn.

Fico atenta para janela, mas ainda não vejo ninguém. Sinto alguém atrás de mim. Viro rapidamente e encontro um menino loiro, de olhos azuis e um sorriso sincero similar de Ellie.

- Esse é meu irmão. – Diz Ellie com um tom decepcionado. – Niall.


- Oi! – Falo meio surpresa, tinha certeza que a voz vinha de minha janela.
- A gente estava conversando Niall, caso você não tenha percebido. – Fala Ellie.
- Eu sei, mas papai pediu para vir aqui, pois sabia que você ia acabar conversando sobre assuntos que não condizem a situação. – Niall sorriu para mim e senta-se ao meu lado. – Prazer SeuNome.
- Niall é meu irmão gêmeo.
- Vocês são gêmeos?
- Sim. – Fala Niall. Eles tinham o mesmo sorriso e posso jurar que sua personalidade é similar a de sua irmã. – Vamos então para os assuntos importantes. Com certeza SeuNome, você tem muitas perguntas.
- Tenho, bem, eu não sei nada. – Sorrio de leve. – Só sei que corro perigo, porque há um maníaco atrás de mim, que por sinal matou minha mãe.
- Também perdemos nossa. – Comenta Ellie que tinha um sorriso triste. – A perdemos para caçadores.
- Foi um choque ver o corpo dela morto no nosso campo. – Niall usa uma voz séria. – O lugar mais seguro para nossa raça.
- Vocês estão dizendo que lá não é 100% seguro? – Pergunto.
- Faz alguns anos que aconteceu isso, esta agora muito mais segura. Conseguimos pessoas que se dedicassem apenas para proteção de nosso campo. – Ellie se senta no chão.
- Como fazem para fazer a proteção?
- Temos pessoas que ficam alerta caso alguém se aproxima de nosso campo, assim que sentem a aproximação elas penetram na mente tentando fazer com que a pessoas de meia volta e fique longe.- Fala Niall.
- Temos um escudo invisível, que transforma o campo totalmente invisível para qualquer humano. Caso, algum de nossa espécie, com intenções negativas tentaram entrar em nosso campo temos vários dominadores e “feiticeiros” de plantão para cuidar. – Fala Ellie com um sorriso tranquilo.
- Nosso campo tem muita gente. Cresceu muito desde a morte de nossa mãe. Temos pessoas que nasceram lá e que moram lá. Temos estudantes que apenas ficam alguns meses para conseguir controlar seus dons. SeuNome, o campo é quase uma cidade, a vantagem que é muito mais segura e você vai poder usar seus dons. – Niall sorri.
- Não tenho dons.
- Não? – Niall me olha estranho e olha para Ellie.

Olho para Ellie. Tinha um sorriso diferente no rosto. Niall deve ter entendido, pois sorri igualmente a irmã e até arisca dar uma risada. Apenas olho para os dois sem entender nada. Acredito ser algo de irmãos gêmeos.



- Você vai estar segura lá SeuNome. – Fala Ellie. – Você segura, sua família vai estar segura.
- Vocês me garantem isso?
- Se depender de mim, eu garanto. – Fala Niall
- Eu garanto. – Sorri Ellie.
- Obrigada.
- Mais alguma duvida? – Niall se levanta e senta-se ao lado de sua irmã.
- Como funciona um dia no campo?
- Você terá aulas de acordo com seu dom ou poder. No seu caso, você vai aperfeiçoar o escudo. – Ellie toca na mão de seu irmão, percebo que faz a mesma coisa que fez comigo antes.
- Tenho dormitório?
- Claro. – Ri. – Onde você acha que vai passar as noites? – Fala Ellie. – Se quiser pode ficar no meu dormitório. Nunca ninguém ficou comigo. – Sua voz vacila.

Ellie era um amor, não entendo como ninguém quis ficar em seu dormitório.

- Eu adoraria. – Sorrio. – Mais uma pergunta, seu pai mencionou que ele e minha mãe participavam de um circulo. Há quantos círculos?
- Muitos, - Niall reponde. – jamais saberemos quantos há. Qualquer um pode fazer um grupo, não importa o número. Um círculo é um juramento que se faz. Assim quebrado pode haver danos invertíveis, como morte de alguém, ou perda de dons.
- Por que alguém faz um círculo então?
- Assim que estão juntos o poder fica incrivelmente mais poderoso. Você fica invencível. – Niall continua. – Somos de um circulo, graças aos nossos pais. Eu, você e Ellie temos poder maior que um só teria, se juntarmos o resto de nós ficaríamos incrivelmente mais fortes.
- O círculo no qual pertencemos é um dos mais poderosos. Não foi quebrado, não houve traição e o sangue estava puro, até a última geração...
- Quando minha mãe me teve com um humano de genes normais. – Completo a frase de Ellie.
- Sim... – Ellie ficou levemente corada.
- SeuNome, nenhuma das famílias do circulo se sentiu traído com isso. Ninguém escolhe por quem se apaixonar. – Fala Niall.
- Menos Cody...
- Ninguém realmente gostava do Cody. – Fala Ellie. – Ele era maluco.
- Ele matou minha mãe...
- Esquece ele SeuNome. – Fala Niall. – Você indo para o campo vai ser o fim dos problemas. Cody vai desistir dessa vingança boba e você poderá voltar a sua vida normal.
- Quanto tempo acham que eu terei que ficar no campo?
- Alguns meses. – Ellie sentiu minha expressão triste. – SeuNome, colocaremos alguém para proteger sua casa e suas irmãs.
- O que? – A porta abre e minha irmã aparece sem aviso prévio. – Não precisa de ninguém para cuidar. Tem eu e a Sabiny.

Samantha dirigiu os olhos para Niall. Seu rosto mudou. Seus olhos ficaram incrivelmente escuros por alguns segundos. Senti a necessidade de olhar para Niall, seu rosto era similar de Sam. Seus olhos azuis ganhar uma cor escura por alguns segundo, voltando para os olhos azuis.

Apesar do silencio vi Sam sorri. Se fosse qualquer outro dia ia achar que enlouqueceu, mas tive a certeza que ela leu algo na mente de Niall que a fez sorri.

- Niall prazer... - Ele estende a mão para minha irmã e ela em silencio aperta a mão dele.


- A gente sabe que tem você Samantha, mas, por favor, aceita ajuda. – Falo quebrando o silêncio. – Deixa a sua irmã mais tranquila.

Sam me analisou por alguns segundos. Depois voltou o olhar penetrante para Niall.

- Tudo bem. – Sorriu. – Acho que minha irmã precisa dormir. Ela já tirou algumas de suas duvidas, mas eu quero passar as ultimas horas com minha irmã.
- Claro Sam. – Ellie sorri. – Vamos Niall. – Os dois se levantam. – Até amanha SeuNome. – Usou um sorriso sincero. – A gente se vê Sam. – Ellie pula pela janela.

Em um impulso corro para ver se ela estava bem, quando olho ela já não esta mais lá.
- Como? – Sussurro.
- Ela usou a terra. – Sorriu Niall. – Então a gente se vê por ai Sam. – Piscou. – Até amanha.
- Talvez eu visite minha irmã. – Sam sorriu e usou um pouco do seu charme.

Assim como sua irmã Niall pulou a janela. Nem me dou o trabalho de olhar, sei que usou a “terra”. Deito na cama e Sam se deita ao meu lado, que sorri para mim.



- Isso te assusta? – Pergunta.
- Ainda acho estranho.
- Fiquei surpresa que você não enlouqueceu, que você acreditou numa boa, até que aceitou ir para o campo.
- Eu também me assustei com a naturalidade que estou levando. – Sorrio.
- A vida é feita de escolhas mana. Espero que saiba disso. – Sorriu.
- Eu escolhi vocês.

Todos os anos sem minha mãe, eu aprendi a controlar meus sentimentos. Se não quero demostrar medo, não demonstrarei. Não posso dar ao luxo de sentir algo. Tenho responsabilidades. Se mostrar algo negativo, irá se refletir em minha família.

Se eu não aceitasse ir para o campo por medo ou por não acreditar nisso, poderia deixar minha família em perigo. Nada de ruim, quando depender de mim, irá acontecer novamente com minha família.

Eu não tenho uma vida para chamar de minha. Eu tenho a vida que minhas irmãs e meu pai necessitam. É nisso que eu acredito, é nisso que eu vou viver. Se precisar ter que acreditar em dominares, ou qualquer coisa, é isso que eu vou fazer.

Se a proteção significa distancia, era isso que eu precisava fazer. Se cuidar de minha família era ter abstinência de qualquer sentimento, era isso que eu devo fazer. Se significar sacrificar minhas necessidades, não tenho outra escolha.


A vida realmente é feita de escolhas. Algumas podem estar destinadas. Meus dons estão no meu DNA isso eu não poderia mudar, não os escolhi. Acreditar neles foi minha escolha. Cuidar de minha família foi minha escolha. Isso pode estar em meu DNA também, pois isso não é uma escolha afinal das contas, isso é meu destino.


Olá meus anjinhos, tudo bem com vocês? Quem ai vai aproveitar muito esse feriadão? Eu sei que eu vou estar trabalhando em aumentar a fic e estar postando todos os dias, meu presente de pascoa para vocês amores.
Então que ai falou que o Niall ia aparecer nesse capitulo, acertou! Não sei se vocês repararam, mas rolou um clima entre a Sammy e o Niall, será que vai rolar? Não sei não - sei sim - só que já estou aqui torcendo pelos dois. 
Amanha vem um capítulo bem tristinho e contado pela a Samantha, o Louis vai aparecer e vai ser de partir o coração eu já aviso. 
O que vocês acham que vão acontecer entre a Sammy e o Niall, namoro ou amizade? Façam suas apostas.



Cya Babys :*
- Aninha