22 de setembro de 2013

Moments - 14º Capítulo: Troublemaker


 Já eram mais de três horas e eu, sinceramente, estranhei que os meninos ainda não tivessem aparecido. Tudo bem que eu tinha dito que precisava ficar sozinho, mas os conhecendo como conheço, não imaginei que eles levariam ao pé da letra, principalmente Niall. Será que eles entraram quando eu estava cochilando?


Bem, depois que eu entrei no quarto e fiquei um bom tempo olhando para o teto, acabei pegando no sono. Simplesmente é chato ficar olhando para o teto! Aí o sono vem e você dorme. Mas eu só cochilei, juro!
Levantei, passando as mãos no rosto e piscando forte, e então segui para o banheiro, jogando um bom tanto de água em meu rosto, para tirar aquela cara de sono. Aproveitei e molhei meu cabelo também, tentando arrumar os fios rebeldes. Enxuguei o rosto e o cabelo com minha toalha e saí do quarto, dando de cara com uma cena um tanto cômica.
Niall estava sentado próximo à porta de nosso quarto, escorando as costas e a cabeça na parede, e Zayn estava deitado em seu colo. Aparentemente, estavam conversando. Louis estava em pé, escorando-se na parede oposta a Niall e Zayn, de frente para a porta de nosso quarto. Tinha um sofá e algumas poltronas no corredor do hotel, sabe lá Deus porquê, e Harry dormia tranquilamente no sofá, de braços cruzados.


- Por que não entraram? – perguntei a Louis, que era o único que tinha me visto na porta. Niall e Zayn me olharam no mesmo instante em que ouviram minha voz, me vasculhando, procurando traços de algo diferente em mim.
- Você disse que precisava ficar sozinho – respondeu Niall, calmamente. – Esperamos o seu momento – ele sorriu triste.
- Está melhor? – perguntou Zayn, me olhando atentamente. Assenti.
- Vem, entrem. Não fiquem aí, sentados no chão – falei, calmo, mas minha voz falhava um pouco. Além de estar cansado e um pouco triste por Danielle, também estava preocupado com ela.

Depois que os meninos consentiram e se levantaram, Niall e Zayn pegaram Harry no colo e o deitaram em uma das camas, a que ele estava dormindo. Ficaram por ali. E então foi a minha vez de me sentar no sofá do corredor, para pensar, eu acho. Louis se sentou do meu lado, e até o momento estava quieto.

- Tentei ligar para Danielle – admitiu ele, triste, olhando para baixo. O olhei de canto de olho por um instante, e então voltei meus olhos novamente para a parede à minha frente. – Peguei o número dela com Eleanor e tentei. Nós dois tentamos. Mas você sabe o que aconteceu, não é? – consenti.


- Ela não atendeu. Ela nunca atende! – desabafei, apoiando os cotovelos nos joelhos e enfiando meu rosto em minhas mãos. Senti tapinhas em meu ombro.
- Vamos lá, cara. Ela só está muito ocupada – respondeu ele, mas ambos sabíamos que não era isso. Ambos sabíamos que estava acontecendo algo de muito errado e nenhum de nós, provavelmente nem mesmo Eleanor, sabia o quê.

Ficamos ali por mais algum tempo, até meu estômago roncar de fome. Droga! Esqueci que eu não havia tomado café e muito menos almoçado. Louis me olhou com uma cara engraçada e eu acabei rindo. Descemos em silêncio para o restaurante, procurando algo para eu comer.


Andy e eu estávamos saindo do colégio conversando animadamente sobre o jogo de futebol que vencemos na educação física, comentando os lances que dá para repetir e os que devemos melhorar, até nos depararmos com uma multidão gigante em volta de uma rodinha. Ali tinha briga. Era típico do nosso colégio: sempre que alguém ia brigar, era na porta do colégio e sempre formava uma rodinha. Umas brigas eram só xingamentos e ameaças, as outras saíam pessoas bem machucadas, mas nunca nada grave. Sem nos importar com o que estava acontecendo, paramos no portão apenas para esperar Julie.

- Cadê aquela maluca? – se perguntou Andy, notando que ela estava demorando mais que o normal. Será que ela estava conversando com algum garoto? Meu estômago se contorceu só de pensar nisso. Não, ela não podia. Não depois de ontem, do nosso beijo. Esquece isso, Payne!

Os gritos vindos da roda de briga só aumentavam. Era a voz da Maria. Comecei a observar as pessoas que estavam ali, me perguntando o que diabos Maria estava aprontando dessa vez, e quem seria sua vítima. E então caiu minha ficha. Apertei meus olhos a fim de ver melhor as pessoas dentro da rodinha e, quando vi, me dei um tapa na testa. Olhei para Andy, incrédulo e um tanto desesperado.


- Serve aquela? – perguntei, irônico, apontando para o meio da multidão. Andy cerrou os olhos por um instante, procurando. Seu rosto se transformou em completa frustração ao encontrá-la. – Vamos lá – disse, dando um passo, mas ele segurou meu braço.
- Deixa ela – respondeu ele, nervoso.
- Olha, eu não sei o que ela aprontou, mas eu vou lá. Maria está no meio da confusão, então coisa boa não é – retruquei, fazendo-o me soltar. – Além do mais, elas brigaram por minha causa. Eu vou – comecei a andar e percebi que ele estava ao meu lado.

Com muito esforço, chegamos o mais perto possível das duas. Maria estava com um olhar feroz como o de um tigre faminto e um sorriso desdenhoso, enquanto Julie estava quieta, de braços cruzados, apenas revirando os olhos. Ela sequer parecia furiosa, apenas irritada por estar ali.

- Não vai falar nada? – gritava Maria, mas sem obter resposta de Julie. Espera, era ela mesmo? O que aconteceu que ela estava calada? Se tem uma coisa que aprendi ao longo desses dois anos de amizade com Andy é que Julie nunca, em situação nenhuma, fica calada. Ela sempre ganha uma briga, até de Andy, que é um boca dura de primeira! – Retruca, faz alguma coisa, garota – ela continuava a falar sozinha.


Julie apenas fingia que a garota não existia. Ela tentou sair da rodinha várias vezes, tentando passar entre as pessoas, mas todos em volta delas impediam. Eles estavam ali para ver briga e não sairiam dali até verem uma. Em um momento, depois de ouvir Maria gritar, pela décima vez, para Julie falar algo, a garota bufou e se virou para a garota.

- Pra que falar? Não gosto de gastar saliva com pessoas idiotas – retrucou Julie. Maria ganhou um furor ainda maior nos olhos, e seus dentes trincaram. – Você não vale nem o esforço, Maria. Desculpe, mas não é hoje que vou gastar minha preciosa voz com você – concluiu, sorrindo vitoriosa. Fiquei pasmo!


Algumas pessoas perguntavam o que aconteceu, e eu também acabei perguntando para um garoto baixinho que usava óculos parado ao meu lado. Ele respondeu que Maria havia puxado a garota, segundo ela, para uma “conversinha civilizada” assim que Julie saiu pelo portão. Maria perguntava várias coisas para Julie, que balançava a cabeça em frustração e saia dali, mas Maria sempre puxava seu braço de volta. Todos começaram a achar que “ali ia ter briga” e então formaram a rodinha em volta das duas, tornando o “escape” de Julie ainda mais improvável. Quanto mais Maria gritava para Julie falar e mais esta ficava quieta, mais pessoas se juntavam ali. Ele também disse que Maria estava xingando a garota havia um tempo, mas Julie só revidara agora.

- Pessoas idiotas? – a risada estridente de Maria me deu medo, confesso. – Eu não era idiota quando você me contou sobre o Liam, né? – ah, não. Eu já sabia o que estava por vir. Julie pularia na garganta de Maria. Ou será que não?
- Contei o que, fofa? – retrucou Julie, com uma calma invejável. Estou me perguntando pela décima sexta vez: era mesmo a Julie?


- Que você gosta dele, claro – respondeu a cobra.
- Ah, tá. Isso... – Julie parecia até se divertir com essa história, como demonstrava seu sorriso desdenhoso. – E você não gosta dele, né? – um sorriso de deboche se formou no rosto da pequena garota, enquanto o de Maria sumiu. Com rapidez, Maria já havia derrubado Julie com um empurrão, prendendo-a entre suas pernas e segurando seus braços no chão, no alto de sua cabeça.
- Isso é problema meu – gritou Maria.
- E se eu gosto dele, também é problema meu. Agora vai se ferrar! – Julie a empurrou com uma força sobrenatural, fazendo Maria parar do outro lado da rodinha, ao pé de vários alunos que olhavam assustados e com olhos arregalados para elas. Julie se levantou e limpou sua roupa, enquanto Maria começava a chorar de raiva, mas continuava sentada no chão. Algumas pessoas começaram a vaiar. Foi nesse momento que entrei na rodinha e segurei o braço de Julie, que me olhou furiosa. E então ela se acalmou ao ver que era eu.


- Vamos, Julie – disse, a puxando. Assim que dei o primeiro passo, ouvi a voz de Maria.
- Vocês estão... Juntos? – perguntou a garota. Olhei para ela, sem reação, e seus olhos estavam arregalados e demonstravam uma tristeza misturada a uma raiva sem igual.
- Não – respondeu Julie ríspida e rapidamente, se soltando de mim. O sorriso de Maria voltou enquanto ela se levantava.
- E se estivéssemos? – perguntei, meio sem ação, e até pensando na possibilidade.


- Vamos, Liam. Apenas concorde. Não vou deixá-la em paz enquanto você não me responder – grunhiu Maria, cerrando os dentes e apertando os punhos. Seu sorriso ainda era de vitória, já que Julie discordara. Olhei de canto de olho para Julie, que estava assustada. Ela podia se fazer de forte perante qualquer um, mas eu a conhecia o suficiente para saber que ela era, na verdade, muito frágil. Acho que apenas eu sabia que ela estava assustada e odiava estar naquela situação. Ela não queria mais ser perseguida por Maria. Sim, perseguida, já que, desde que Julie e eu começamos a conversar, Maria não deixava a pobre garota em paz, sempre fazendo um comentário negativo ou dando sorrisos idiotas para a garota. Em um dia, na saída, Maria colocou o pé na frente de Julie, fazendo-a cair e todos rirem dela. Ela correu para casa, com Andy e eu correndo atrás. A encontramos no portão de sua casa, chorando. E agora, isso? Era demais. Virei-me novamente para Maria, que esperava uma resposta coerente com a de Julie. Eu estava sério.
- Quer uma resposta? – perguntei, olhando Maria nos olhos e sentindo o olhar triste de Julie em mim. – Sim, estamos juntos – disse convicto, mais sério do que nunca. Não me importei com o olhar de Julie, nem com o olhar de qualquer um ali, apenas abracei Julie pela cintura, tirando-a dali, com Andy logo atrás de nós.







Hey Dreamers lindas :33
Eu disse que teria barraco! Só espero que tenham gostado (:

Me perguntaram quantos anos o Liam e a Julie tem, nessas partes da história (principalmente no beijo). O Liam ainda tem 12 e a Julie 11. Novinhos, né? .-. haha

Bom, obrigada a todas que comentam e também a quem só lê e não comenta nada... haha

P.S.: Já perceberam que, quando tem Liam e Julie, eu gosto de gif's da Blair com o Chuck, né? haha <33

Beeeijos, girls! Muito obrigada pelo apoio!

18 comentários:

  1. Nossa muito bom esse cap , amei !!!! Finalmente a Maria teve o q mereceu , bem feito ela agora sabe q os dois se gostam hahahaha perfeito . Continua

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhhhh Amando esse capitulo
    Tipo ta muito perfeito
    Continua please.. Vc escreve muito bem

    ResponderExcluir
  3. Continuaaaaa , quando é que eles vão se encontrar droga ?

    ResponderExcluir
  4. Ai mds que lindos Gabiiiii <3 LIAM MARAVILHOSO PAYNE <3 Sobre a Dani, so acho qie o Liam deveria ficar com uma brasileir ahaha ja que ela nao liga pro Lee :(( Mannu <3

    ResponderExcluir
  5. Ameii o cap você se supera a cada um

    ResponderExcluir
  6. No final só faltou o Lee beijar a Julie, para provocar de vez a Maria :) Amando sua fic, mas heey Gaby, fala com a Drica e diz para gente, ela vai parar com Little Things? O blog de vcs está perdendo mtas leitoras pqe vcs n estão postam e tal, isso pqe ainda estamos no mês de niver do blog :| - Isa

    ResponderExcluir
  7. Continua!! Tô muito curiosa a respeito da Danielle. Quando o Liam e a Julie vão se encontrar?? Arg. Você me deixa muito curiosa, é sério rçrç
    xx Júlia A.

    ResponderExcluir
  8. O Liam e a Julie vão se encontrar néé?? Porfavoor me fla que siim, to simplesmente amandooo!!
    XxAnna

    ResponderExcluir
  9. Amo amo amo sua fic, amo os gifs que vc colocou pq eu amo gossip girl, amo um barraco, amo a maneira que vc escreve... Amo tudo em cada capítulo seu!
    Bruna

    ResponderExcluir
  10. Amei o barraco e finalmente maria teve o que mereceu ameiii esse cap ea fic*----*

    ResponderExcluir
  11. acho q a raiva maior da Maria foi a Julie ter ficado calada, mas aí chegou o Daddy pra salvar a Julie e ainda sairam por cima. Estou anciosa pra saber o q aconteceu c a Julie. Evely :)

    ResponderExcluir
  12. Ui tretas <3 hausahsua ta parei
    to amando , cada capitulo melhor q o outro, continua logo *-*
    Larissa :)

    ResponderExcluir
  13. Meu Deus amr, pq tao diva??? Me da um poko do seu talento... Cara, eu AMO o jeito q vc escreve, é especial, sl, perfeito!! To mt curiosa pra saber no q vai dar essa historia: como q Liam e Julie vao acabar, quando vao se reencontrar, o q aconteceu cm a Dani, etc... Mt pfta sua fic, continua plz e obrigada por ter respondido minha pergunta da idade deles <3
    Bjs da Leh xx

    ResponderExcluir
  14. Gabi é sempre diva escrevendo mds,o liam e a julie saindo abraçadinhos, que AMOR, tipo eu leio a fic coml se a Julie fosse EU, entao fica mais magico ainda haha quando a Julie (eu haha) vai reecontrar o Liam? Ou acnteceu alguma coisa ruim com a Julie ?? :o. Xx Mah

    ResponderExcluir
  15. Minha Xará, continua logo tá?! To amando essa fic!

    ResponderExcluir
  16. cara simplesmente A-M-E-I esse capítulo. pra ficar perfeito o Liam deveria ter beijado a Julie só pra Maria ficar com ódio e cara de cú kkkk!! os gifs de GG são perfeitos, bem q vc podia postar mais deles nos capítulos só pra eu poder aumentar meu arsenal muahahah!!
    bjs e continua logo q eu to amando sua fic !!! ~Vitória

    ResponderExcluir

Não saia sem comentar. Dê sua opinião!!! Malikisses *-*